GT

A sustentabilidade das universidades públicas brasileiras vem sofrendo um impacto dramático nos últimos anos. Um quadro financeiro que já era precário corre o risco agora de se tornar insustentável caso a PEC 241, rebatizada no Senado como PEC 55, venha a ser aprovada. Estudos realizados pela Universidade demonstraram que a sua implementação retiraria da UFF a quantia de 810 milhões de reais em dez anos. Além disso, a autonomia universitária – uma garantia constitucional – tem sido sistematicamente atacada, tanto por agentes do campo político, quanto do jurídico.

“A Voz da Pesquisa” é uma iniciativa da UFF, através da Pró-reitoria de Pesquisa, Pós-graduação e Inovação (Proppi), que tem por objetivo ouvir os pesquisadores da universidade, por meio de reuniões e palestras com o intuito de debater e criar soluções para os problemas enfrentados por esses profissionais ao desenvolverem seus projetos. A primeira reunião, realizada em setembro, contou com a presença de pesquisadores da instituição e foi mediada pelo coordenador de pesquisa, Walter Lilenbaum.

Na última sexta-feira, 23 de setembro, na sala dos Conselhos, foi oficializada a entrega de propostas elaboradas pelo Grupo de Trabalho (GT) criado com o objetivo de regulamentar a jornada de trabalho e frequência dos funcionários técnico-administrativos de toda a UFF, incluindo das unidades de ensino de todos os campi, reitoria e os servidores do Hospital Universitário Antônio Pedro (Huap) regidos pela Lei Nº 8.112/90.

Subscrever GT