Eu sou: Técnico | Docente | Estudante

UFF consegue recursos para obras no Cine Icaraí e no Instituto de Química

UFF consegue verba para reabertura do Cine Icaraí, importante marco cultural na história de Niterói

O reitor da UFF, Sidney Mello, se reuniu em Brasília, na última segunda-feira, 13 de novembro, com o secretário de Ensino Superior do Ministério da Educação (MEC), Paulo Barone, para negociar a liberação de verbas para a conclusão do projeto executivo do Cine Icaraí e das obras do Instituto de Química.

Para a reabertura do Cine Icaraí, fechado desde 2006, o MEC liberou R$ 1 milhão. O recurso contribuirá para transformação do espaço em um centro cultural e sede da Orquestra Sinfônica Nacional e da Companhia de Ballet de Niterói.

“Daremos continuidade ao projeto básico do Cine Icaraí com a verba negociada com o MEC. O adiantamento de R$ 15 milhões solicitado para a reabertura de parte do cinema ficará para 2018, mas já é um passo importantíssimo”, destaca o reitor.

Para o Instituto de Química, a UFF conseguiu o adiantamento de R$ 4 milhões para a conclusão das obras. Esse valor faz parte de um aporte de R$ 28 milhões de recursos do Ministério, direcionados para esse fim. Outros R$ 19 milhões estão serão disponibilizados pela Petrobras para a construção de um laboratório de alta tecnologia no instituto. A previsão é que no início de 2019 o prédio seja entregue à comunidade acadêmica. “Para acelerar o processo, criaremos uma equipe de trabalho”, garante Sidney.

A UFF também obteve avanços significativos em relação à dívida de R$ 4 milhões - saldo a pagar pela compra do terreno do INSS, localizado próximo ao Hospital Universitário Antonio Pedro (Huap). Segundo o reitor, o MEC informou que entrará em contato com o INSS para negociar a dívida e propor o repasse do terreno para a universidade sem nenhum custo. A administração da universidade já havia encaminhado proposta de parcelamento para saldar o débito.

No local, a UFF prevê a construção de uma unidade do Huap, com um centro de reabilitação cardíaca e fisioterápica, centro de diálise crônica e unidade de tratamento de sangue para análises clínicas. “No entanto, a verba para a criação da segunda unidade do Antonio Pedro ficará para o próximo ano, pois o projeto ainda precisa ser avaliado pela Ebserh”, conclui.

Público-alvo: 
Localidade: