UFF na defesa da INICIAÇÃO CIENTIFICA

Print Friendly, PDF & Email

O Programa de bolsas de Iniciação Científica do CNPq proposto pelo CNPq desde sua fundação, tinha o objetivo essencial de despertar vocação científica e incentivar novos talentos entre estudantes de graduação. Foi institucionalizado no final dos anos 80 no atual PIBIC, e foi sempre considerado como um Programa pioneiro que tem servido de inspiração para iniciativas similares em diferentes países. Além de contribuir para reduzir o tempo médio de titulação de mestres e doutores ele possibilita uma maior articulação entre a graduação e pós-graduação. Posteriormente o Programa foi ampliado com o PIBIT que viabilizou também o engajamento de alunos em projetos mais ligados à pesquisa aplicada e tecnológica.

Desde sempre as chamadas institucionais de bolsas do PIBIC ocorreram de forma livre, espontânea, respeitando as demandas específicas de cada instituição e sua pluralidade e interdisciplinaridade de áreas de conhecimento, características marcantes da pesquisa científica do mundo atual.
O que o Pré-Edital de bolsas PIBIC para o ano 2020/2021, divulgado na página do CNPq, revela é o rompimento de uma política que incentiva as vocações científicas e o estabelecimento da priorização de áreas de conhecimentos, que se limitam essencialmente à pesquisa aplicada em áreas chamadas de estratégicas para o desenvolvimento do país.

Desde a notícia do pré-edital, a PROPPI/UFF vem se articulando junto a diferentes entidades, associações e sociedades para reverter esta associação, como a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (ANDIFES), da qual nosso Reitor integra a Diretoria, o FOPROP (Fórum Nacional de Pró-reitores de Pesquisa e Pós-Graduação), a ABC (Academia Brasileira de Ciências), a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), entre outros órgãos para reverter esta linha de ação apresentada pelo CNPq. Entendemos que o movimento coletivo dessas entidades fortalece o respeito que merecemos frente as decisões governamentais relacionadas ao desenvolvimento da pesquisa no país em suas comunidades acadêmico-científicas.

Entretanto, independentemente dos resultados dessas articulações conjuntas, a PROPPI já vem se mobilizando, para adotar políticas internas no sentido de garantir a distribuição de bolsas de todos os projetos aprovados, independentemente das respectivas áreas de conhecimento. Como as bolsas de Iniciação Científica na UFF são divididas entre cotas CNPq e cotas próprias, a proposta é usar as cotas da UFF para minimizar o impacto sobre as áreas consideradas não prioritárias pelo CNPq.

Para saber mais sobre este informativo

Estes são os dados de contato do setor da universidade que escreveu este informativo:

Tags: 

Avalie esta página

CAPTCHA
This question is for testing whether or not you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
A atualização mais recente deste conteúdo foi em 01/05/2020 - 14:54