Lançamento de livros

O projeto de extensão Café com RH, que pertence ao LAPEEX/PSOT, e o GIPP lançam o primeiro livro da coletânea "Organizações e sociedade: práticas e pesquisas em trabalho, educação e saúde" no dia 30 de abril de 2019, às 19h00, com uma bela roda de conversa com os organizadores/autores que abordarão o tema "O Sentido do Trabalho e da Educação no Brasil". Após a roda, os autores/colaboradores irão falar um pouco sobre cada artigo que produziram junto aos organizadores/autores.

Em "O mercado de crédito na corte joanina" (Eduff, 2019), a historiadora Elizabeth Souza analisa as relações sociais de empréstimos na cidade do Rio de Janeiro durante o período joanino, entre 1808 e 1821. O lançamento, com noite de autógrafos, será no dia 16 de maio, na Livraria Icaraí, em Niterói.

A Livraria Icaraí, da Eduff, recebe o escritor e engenheiro Pedro Toledo para uma noite de autógrafos do seu livro “O Veneno de Malthus” (Editora Chiado). O livro conta a história do clarinetista Marcel. Nascido em Genebra, filho de pai brasileiro e mãe suíça, o rapaz é convidado por um quinteto brasileiro para atuar no país durante três anos. No Rio de Janeiro, ele conhece e passa a se relacionar com uma ambientalista que investiga irregularidades praticadas por uma indústria de agrotóxicos.

O projeto de extensão Café com RH que pertence ao LAPEEX/PSOT / e o GIPP lançam o primeiro livro da coletânea "Organizações e sociedade: práticas e pesquisas em trabalho, educação e saúde" no dia 30 de abril de 2019 às 19h00 com uma bela roda de conversa com os organizadores/autores que abordarão sobre o tema "O Sentido do Trabalho e da Educação no Brasil". Após a roda os autores/colaboradores irão falar um pouco sobre cada artigo que produziram junto aos organizadores/autores.

O professor do Programa de Pós-Graduação em Ciência Política da UFF Luís Falcão vai lançar o livro “Algernon Sidney: um pensador republicano do século XVII” (Eduff, 2019), no dia 25 de abril, às 18h, na Livraria Icaraí, em Niterói.

Pouco conhecido no Brasil, Algernon Sidney foi um pensador republicano inglês do século XVII, cujo pensamento uniu duas fontes teóricas opostas: do direito natural moderno, retirou as bases da natureza humana; da lei da natureza e do contratualismo, de Maquiavel, a virtude, as formas de governo, o conflito e a expansão.

Organizada pela professora de Jornalismo da UFF e da UFRJ Marialva Barbosa, a coletânea “Os manuscritos do Brasil” (Eduff, 2018) analisa jornais feitos à mão no Brasil durante o século XIX, muito embora os impressos já existissem no período. A obra será lançada, em noite de autógrafos, na Livraria da Travessa, em Ipanema, no Rio de Janeiro. 

Compreender como eram esses jornais, quem os faziam e o porquê de serem produzidos manualmente são as principais indagações dos autores que investigam essas produções poucas vezes mencionadas na história da imprensa brasileira.

A partir do diálogo com a psicanálise e outras áreas, os autores refletem sobre a problemática do racismo no Brasil, na coletânea “Racismo, capitalismo e subjetividade”, recém-publicada pela Eduff. Organizada pelos professores Marília Etienne, Marcelo Coelho e Sandra Cabral, a obra traz na capa a foto "Pés”, de Sebastião Salgado. O livro será lançado, em noite de autógrafos, na Livraria da Travessa, em Botafogo. 

Ficou interessado? Leia as primeiras páginas do livro no perfil da Eduff, no ISSUU

A Livraria Icaraí, da Eduff, recebe o professor Luiz Fernando Braga para o lançamento do livro “Professor Dorothy”, publicado pela editora O Sexo da Palavra. Nos 12 contos que compõem a obra, o autor explora as tensões em torno de questões como bullying, LGBTfobia e higienização comportamental no espaço escolar.

A cada capítulo, o leitor faz um mergulho no psicológico das personagens e se depara com temas recorrentes na sociedade brasileira contemporânea, como Escola Sem Partido, neonazismo, identidades oprimidas e opressoras.

Organizada pela professora de Jornalismo da UFF e da UFRJ Marialva Barbosa, a coletânea “Os manuscritos do Brasil” (Eduff, 2018) analisa jornais feitos à mão no Brasil durante o século XIX, muito embora os impressos já existissem no período.

Compreender como eram esses jornais, quem os faziam e o porquê de serem produzidos manualmente são as principais indagações dos autores que investigam essas produções poucas vezes mencionadas na história da imprensa brasileira.

“Tak Baht” (Eduff, 2018) é uma imersão etnográfica na tradição budista em Laos, mais especificamente na cidade de Luang Prabang. Na obra, o antropólogo Pedro Fandiño analisa a cerimônia, conhecida como tak baht, de recolhimento de doação realizada por monges budistas da corrente teravada, a mais antiga da religião. É um dos primeiros estudos que se decicaram a entender o costume e seus efeitos no país.

Páginas

Subscrever Lançamento de livros