Eu sou: Técnico | Docente | Estudante | Bandeira da inglaterra

Professores da UFF são premiados com a Ordem Nacional do Mérito Científico

Os docentes Maria Domingues Vargas, do Departamento de Química Inorgânica, e Celso da Cruz Carneiro Ribeiro, do Departamento de Ciência da Computação, receberam a Ordem Nacional do Mérito Científico na última quarta-feira, 17 de outubro. O evento, realizado no Palácio do Planalto, tem por finalidade homenagear personalidades nacionais e estrangeiras que se distinguiram por suas relevantes contribuições prestadas à Ciência, à Tecnologia e à Inovação no Brasil.

Considerada a principal honraria do Executivo, a Ordem foi instituída pelo Decreto nº 772/1993. A atual edição condecorou 85 pesquisadores de universidades do país e do exterior que se destacaram por seus méritos intelectuais e acadêmicos nas diversas áreas do conhecimento. Todos eles receberam insígnias e também o diploma da Ordem ao Mérito Científico 2018.

Esse prêmio mostra […] a importância da manutenção dos investimentos em ciência e pesquisa para que o país possa retomar seu caminho rumo ao desenvolvimento - Celso da Cruz Carneiro Ribeiro

Pesquisadores homenageados na cerimônia

Maria Vargas foi promovida para a Classe Grã-Cruz na área de Ciências Químicas, enquanto Celso Ribeiro foi admitido na classe Comendador na área de Ciências da Engenharia. Os condecorados são definidos por uma comissão formada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), pela Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) e pela Academia Brasileira de Ciências (ABC).

Maria Domingues Vargas 

Professora Maria Domingues VargasCom doutorado e pós-doutorado na Universidade de Cambrigde, na área de Ciências Exatas e da Terra, a professora do Departamento de Química da UFF, que atua há 15 anos na universidade, desenvolve pesquisas em química bioinorgânica, bioorgânica e bioanalítica e de compostos e materiais moleculares. "Ter sido promovida à classe da Grã-Cruz é motivo de grande alegria, pois significa o reconhecimento de mais de três décadas dedicadas ao ensino e à pesquisa em universidades públicas do nosso país, como parte de um grande time, o da comunidade científica brasileira", celebra.

A pesquisadora também foi uma das homenageadas do evento “Mulher - Presente e Futuro” organizado pela Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação (Proppi) em março desse ano. Na ocasião, ela falou sobre os desafios enfrentados pelas pesquisadoras e ressaltou: “somente 14% dos membros da Academia Brasileira de Ciências são mulheres".

Agora, com a premiação, ela destaca a importância de se realizar parcerias. "Talvez o sucesso tenha vindo, de um lado, porque quis com muita intensidade realizar-me como cientista e dediquei-me muito, muito mesmo. Por outro lado, e talvez tão importante, cedo tive a compreensão de que parcerias são essenciais na academia: com homens que saibam reconhecer nosso talento e trabalhar em pé de igualdade,  e com mulheres, através de colaborações e redes de apoio. Gostaria de dizer que, ao receber a Grã-Cruz, ontem, me senti orgulhosa representando minhas colegas cientistas da UFF, com quem venho compartilhando o sonho de vermos mais mulheres fazendo ciência e atingindo o topo da carreira científica".

 

Celso da Cruz Carneiro Ribeiro

Professor Celso da Cruz Carneiro RibeiroCom dois doutorados na área de Ciência da Computação, um pela Université Paris 13 (Paris-Nord) e o outro pela École Nationale Supérieure des Télécommunications, e três pós-doutorados, pelas universidades Universität Wien, AT&T Labs Research e Ecole Polytechnique de Montréal, Celso Ribeiro atua como professor da UFF também há 15 anos. Suas principais áreas de pesquisa são análise e projeto de algorítmos, otimização combinatória, métodos de busca heurística, processamento paralelo, otimização em esportes e metaheurística.

O professor destacou a importância de uma atuação em conjunto para os avanços da pesquisa. “É uma grande honra ter sido contemplado. Esse prêmio representa o reconhecimento ao trabalho desenvolvido durante minha carreira e também ao trabalho de cooperação realizado com todos os meus amigos e colegas, alunos e ex-alunos de mestrado e doutorado, coautores e colaboradores no Brasil e no exterior”.

“Esse prêmio mostra ainda a qualidade do trabalho desenvolvido na UFF; em particular, no Instituto de Computação. Mostra também a importância da manutenção dos investimentos em ciência e pesquisa para que o país possa retomar seu caminho rumo ao desenvolvimento. Esse é o papel do cientista: contribuir com novas ideias e soluções originais”, concluiu.

Público-alvo: 

Compartilhe