Eu sou: Técnico | Docente | Estudante

Turismo social é oferecido a servidores e alunos da UFF

Logo do projeto

Com o objetivo de estimular a integração e socialização da comunidade acadêmica fora do ambiente institucional, o professor Bernardo Lazary Cheibub, da Faculdade de Turismo e Hotelaria da UFF, lançou o projeto Turismo Social. A proposta é oferecer excursões gratuitas para servidores e alunos da universidade, que comprovem baixa renda, como forma de  proporcionar-lhes um dia inteiro de lazer e entretenimento na cidade de Niterói.

A idealização do projeto teve início em 2014 quando a PROGEPE, Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas, solicitou ao professor dois bolsistas para a área de Atenção Integral a Saúde e Qualidade de Vida do Servidor. Foi então que, envolvidos nesse departamento, surgiu a possibilidade de realizar o Turismo Social. “Tivemos a ideia de montar um projeto que pudesse proporcionar qualidade de vida através da experiência turística”, conta Cheibub.

Tivemos a ideia de montar um projeto que pudesse proporcionar qualidade de vida através da experiência turística”, conta Cheibub.

Após a fase inicial de organização e planejamento, foi, no ano seguinte, em 2015, que o projeto se concretizou. O programa teve rápida aceitação pela PROAES, Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis, que concedeu cinco bolsas para sua realização. Além disso, outros estudantes aderiram ao projeto de forma voluntária.

Com o lema O melhor de uma cidade em um dia, o objetivo do turismo social é proporcionar experiências turísticas a alunos e servidores que, por falta de condições, não conhecem os atrativos da cidade. Niterói foi a cidade escolhida para iniciar o projeto porque além de ser o local onde a UFF tem sua sede, também concentra o maior número de servidores e estudantes. Embora muitos deles passem bastante tempo na cidade ainda não a conhecem. O professor Bernardo Cheibub explica que “o fato do passeio ser num único dia facilita para as pessoas, pois, elas não têm necessidade de terem outros gastos, o que encareceria o passeio. Dessa forma, o turismo fica mais acessível”, enfatiza.

As vagas dependem da quantidade de lugares disponíveis no ônibus. De acordo com o professor, houve uma grande procura e a participação na primeira experiência preencheu o número total de assentos”. Como forma de facilitar a escolha, no caso de haver mais inscrições do que vagas, a equipe preparou um processo de seleção com pré-requisitos. A prioridade é dada às pessoas de baixa renda, com problemas de saúde causados no ambiente do trabalho - doenças psicossociais, pela função que exerce - ou pessoas com necessidades especiais. No caso de vagas disponíveis, abre-se espaço para acompanhantes (cônjuge e/ou filhos).

Segundo Cheibub, “existem vários fatores que afastam as pessoas dessa experiência turística que as impedem de conhecer novos lugares. Elas até sabem da existência dos pontos turísticos da cidade, mas questões econômicas, sociais, políticas e até mesmo culturais não lhes permitem visitá-los. Proporcionar essa vivência é o que mais nos importa”.

O projeto realizou seu primeiro passeio no sábado, dia 30 de janeiro. O roteiro incluiu os principais pontos turísticos de Niterói. Segundo Cheibub, para manter o baixo custo, o projeto conseguiu entradas gratuitas ou a preços reduzidos nos locais visitados e transporte utilizado foi o BusUff. Além disso, a NelTur, empresa de turismo da Prefeitura de Niterói, disponibilizou um guia para o grupo.

Os participantes visitaram lugares como a Fortaleza de Santa Cruz, o Solar do Jambeiro e o Caminho Niemeyer. “A ideia é expandir a experiência para outras cidades próximas, como Teresópolis e Cabo Frio, e fazer dois passeios por semestre”, diz o coordenador. A próxima viagem está prevista para o mês de maio.

Os interessados podem inscrever-se no site www.turismosocialuff.wix.com/turismosocialuff ou pelo Facebook do projeto.

Tags: