Eventos hoje!

Niterói
Quando Tipo de evento Descrição do evento Auditório Local de Realização
08/03/2018 - 17:00 até 30/05/2018 - 21:00
UFF/SDC/BCG realiza a Exposição "Desnudando um olhar sobre o feminino", em comemoração ao Dia do Bibliotecário e ao mês da Mulher Cultura

A UFF através da Superintendência de Documentação/Biblioteca Central do Gragoatá, realiza a Exposição "Desnudando um olhar sobre o feminino", em comemoração ao Dia do Bibliotecário e ao mês da Mulher.

A exposição da curadora Amanda Almeida aborda nuances do mundo feminino como em um caleidoscópio de cores e formas à tinta óleo. Espera-se do observador a reflexão acerca das questões que envolvem o feminino, principalmente no que tange à relação das mulheres com seus próprios corpos e dos mesmos com o mundo.

A exposição ficará no 'Espaço Cultural' da BCG no 1º piso, de 08 de março - Dia Internacional da Mulher - a 30 de maio, de 08h30 às 21h.

Este é mais um evento da agenda de comemorações do mês do Bibliotecário!

 

Niterói - Campus Gragoatá, Espaço Cultural da Biblioteca Central do Gragoatá, Niterói, RJ, BR
16/04/2018 - 16:00 até 17/07/2018 - 19:00
A Presença Imigrante em São Gonçalo Cultura

A UFF/SDC em parceria com a UERJ, Marinha do Brasil e o Museu da Imigração da Ilha das Flores, o Centro de Memória Fluminense da Superintendência de Documentação apresenta a exposição que conta a história da imigração no município de São Gonçalo. A exposição é composta de fotografias, depoimentos e documentos sobre esse processo, além de apresentar livros do acervo da SDC que tratam da história do munícipio vizinho.

A inauguração da Exposição acontecerá no dia 16 de abril, às 16 horas, no Centro de Memória Fluminense da UFF.

A Presença Imigrante em São Gonçalo - Exposição CEMEF

Rua Professor Marcos Waldemar de Freitas, s/n, Biblioteca Central do Gragoatá, 1º andar - Campus Gragoatá, Niterói, RJ, BR
17/04/2018 - 10:00 até 29/04/2018 - 22:00
Centro de Artes UFF abre duas exposições sobre o Brasil até 29/04 Mostras

Ambas exposições fazem parte do “Brasil: A Margem”

 

Devotos

Na confluência de várias efemérides - Dia do Índio, Descobrimento do Brasil, Tiradentes, São Jorge -, o Centro de Artes UFF propõe rever conceitos, usando a arte e a cultura como ferramentas de reflexão, no projeto “Brasil: A Margem”, entre os dias 17 e 25 de abril. Uma semana inteira repleta de eventos: debates, filmes, exposições, sarau, uma feira alternativa, concertos e shows de música popular. Com essa programação, o projeto aponta para o reconhecimento e a afirmação das margens de um Brasil efervescente e que carece se conhecer melhor.

Devotos - Registro de fé e religiosidade na cidade de Niterói, a mostra Devotos faz uma seleção de imagens fotográficas da procissão em devoção a São Jorge, partindo da Igreja de São Jorge e passando pela igreja de Nossa Senhora da Conceição, ambas no Centro da cidade de Niterói. A exposição é composta de fotos de Robson Leitão, atual diretor do Teatro da UFF e, de Paulo Duque Estrada, fotógrafo falecido em 2013 que dá nome ao espaço de fotografia do Centro de Artes UFF.

Espaço UFF de Fotografia Paulo Duque Estrada

 

Terra Brasilis: o agro não é pop!

Na confluência de várias efemérides - Dia do Índio, Descobrimento do Brasil, Tiradentes, São Jorge -, o Centro de Artes UFF propõe rever conceitos, usando a arte e a cultura como ferramentas de reflexão, no projeto “Brasil: A Margem”, entre os dias 17 e 25 de abril. Uma semana inteira repleta de eventos: sarau, debates, filmes, exposições, uma feira alternativa, concertos e shows de música popular. Com essa programação, o projeto aponta para o reconhecimento e a afirmação das margens de um Brasil efervescente e que carece se conhecer melhor.

Exposição de pinturas acrílicas sobre tecidos do artista plástico Denilson Baniwa que promove, através de sua arte, uma crítica contundente ao crescimento vertiginoso do chamado “agronegócio”, ao mesmo tempo em que celebra o papel daqueles que, em seu entender, são os únicos que resistem à sua expansão: nossos povos originários; nações e atores indígenas que não estão esquecidos em um passado idílico, mas inseridos no mundo contemporâneo e se valendo das estratégias de luta que estão colocadas ao seu alcance.

Curadoria Wallace de Deus e Pedro Gradella.

Galeria de Arte UFF Leuna Guimarães dos Santos

 

Inauguração 17 de abril | 19h às 21h
Visitação até 29 de abril de 2018
Entrada Franca
Domingo a 6ª feira, das 10h às 22h
Sábados das 13h às 22h

R. Miguel de Frias, 9, Niterói, RJ, BR
25/04/2018 - 09:00 até 26/04/2018 - 13:30
Semana Mundial da Alergia Semana Científica

Em 2018, a Semana Mundial da Alergia e das Imunodeficiências Primárias (IDPs) acontecerá, simultaneamente, de 22 a 28 de abril. Este ano, o tema designado pela WAO (World Allergy Organization) é “Dermatite Atópica, Uma Coceira que Causa Erupções na Pele” e pela IDF (Immune Deficiency Foundation) é “Meu Futuro Começa com Investigação e Diagnóstico Precoces das IDP”.

Confira abaixo as atividades no Serviço de Alergia e Imunologia do Huap/UFF em parceria com a Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI):

• 25/04 (quarta-feira): Palestra sobre Dermatite Atópica

Horário: 09:00h

Local: Anfiteatro do 2º andar dos ambulatórios.

Público-alvo: familiares e pacientes com Dermatite Atópica (crianças e adultos) em acompanhamento nos Serviços de Alergia e Imunologia Clínica e de Dermatologia do HUAP/UFF

Descrição: palestra explicativa sobre a Dermatite Atópica e suas consequências para o indivíduo. 

Objetivo: aumentar o conhecimento do paciente com dermatite atópica e de seus familiares sobre a doença e as formas de tratamento e prevenção das crises (inflamação da pele).

• 26/04 (quinta-feira): Palestra sobre Manifestações Cutâneas nas Imunodeficiências Primárias.  

Horário: 10:30h.  

Local: Auditório Aluísio de Paula, em sequência à sessão semanal do Serviço de Dermatologia do Huap/UFF. Palestrante: Dra Simone Pestana (Servico de Alergia e Imunologia Clinica do HUAP / UFF)

Público-alvo: médicos, residentes e alunos do curso de Medicina.          

Descriçao do evento: palestra expositiva sobre as manifestações dermatológicas que chamam a atenção para a possibilidade do diagnóstico de imunodeficiências primárias.

Objetivo: despertar nos médicos e nos estudantes de medicina o interesse e a valorização das manifestações cutâneas como vitrine para diversas doenças, inclusive imunodeficiências primárias.

Anfiteatro Aloysio de Paula Avenida Marques de Paraná, 303, Niterói, RJ, BR
26/04/2018 - 20:00
O Projeto Música Livre apresenta El Efecto e Meu Funeral no dia 26 de abril no Teatro da UFF Cultura

Música Livre - El Efecto & Meu Funeral

Um dos principais nomes da cena independente carioca dos anos 2000, El Efecto celebra 16 anos de trajetória independente, lançando seu quinto álbum de estúdio, intitulado Memórias do Fogo. O trabalho evidencia o aprofundamento do projeto da banda e apresenta mais um caldeirão de ritmos onde se misturam a pesquisa musical e o engajamento político.

Formada em 2002, na cidade do Rio da Janeiro, El Efecto tem o ecletismo como marca do seu trabalho. As composições são mergulhos nas mais distintas tradições e gêneros musicais, revisitados a partir de uma perspectiva contemporânea. De maneira geral, a estética da banda é a do rock. Mas a utilização de instrumentos como cavaquinho, violão, viola caipira, trompete, clarinete, flautas e percussões sintetiza a tentativa de fugir dos rótulos e caminhos predeterminados. O resultado disso é uma unidade onde se conjugam o lirismo e a contundência, uma mescla de climas onde se destaca a forte presença da música brasileira e latinoamericana. As letras propõem interpretações críticas das atitudes individuais e coletivas, movimentando-se entre a angústia e a esperança, o pessimismo da razão e o otimismo da luta. Não se trata de pensar a arte como um escape para as frustrações de uma vida resignada, mas sim de tomá-la como um estímulo, um ponto de partida para questionamentos e - por que não? - transformações concretas.

Essa característica se faz presente em O encontro de Lampião com Eike Batista, faixa de tons épicos, inspirada na literatura de cordel, que viralizou nas redes sociais em 2012, trazendo projeção nacional para a discografia da banda. Em junho de 2013, El Efecto foi indicado como Melhor Grupo de Rock no Prêmio da Música Brasileira. Pedras e sonhos, álbum da faixa viral, foi considerado um dos três melhores discos do gênero. Desde então, a banda vem expandindo seu público em apresentações por todo o país e algumas incursões internacionais no Equador, Argentina, Portugal e Espanha.

Após o hiato de um ano, dedicado à produção e gravação do novo álbum, El Efecto lança Memórias do Fogo. Para esse novo ciclo, a banda se amplia, fixando-se no formato de sexteto. O disco é uma coletânea de ritmos, indo do samba ao metal, evocando a potência cultural da música brasileira. Cada canção pretende se tornar uma chama, resgatando memórias para iluminar possíveis caminhos. O álbum, produzido por Patrick Laplan, Tomás Alem e a banda, e masterizado por Robert Carranza (Criolo, The Mars Volta, Ozomatli). Inspirado na trilogia de nome semelhante de Eduardo Galeano, que fala sobre a trajetória da América Latina, o álbum evoca a importância de cultivarmos a chama interior, seja para jamais esquecer que o mundo está pegando fogo, ou até mesmo, para juntos, incendiá-lo em algum sentido.

Todas as músicas do El Efecto estão disponibilizadas na internet e podem ser baixadas de forma gratuita, fato que corrobora com o objetivo de ampliar ao máximo a difusão do trabalho, para que a mensagem, ideias e os ideais circulem e o debate continue.

Formação da banda - Bruno Danton (voz, violão e viola), Cristine Ariel (guitarra, cavaquinho e voz), Eduardo Baker / Pedro Lima (baixo), Gustavo Loureiro (bateria), Tomás Rosati (voz, cavaquinho e percussão), Tomás Tróia (guitarra e voz)

Meu Funeral - formado em Niterói (RJ), por Lucas Araujo (RivoTrio 2mg), Jan Santoro (Facção Caipira) e Matheus Jorell (Filhos do Totem e ex-Lougo Mouro), o Meu Funeral tem como principal característica fazer músicas rápidas, com temáticas diversas abordadas com uma linguagem acessível e direta, sem cair no erro da simplificação de questionamentos complexos. A partir de vivências, leituras e debates, Lucas busca escrever de forma leve e verdadeira sobre temas que acredita que devem ser abordados ou sobre pensamentos e sentimentos que precisa expor.

Com músicas velozes, influenciadas principalmente pelo punk rock e hard core, a banda não se limita a rótulos, mesclando influências diversas como reggae, ska e indie rock. Fazendo questão de cantar em português e levantar a bandeira da resistência, em um país onde o número de bandas cantando em língua estrangeira tem crescido e se destacado, Meu Funeral busca o diálogo com seu país de origem e busca fomentar importantes debates, como a respeito da diversidade, da naturalização de condições que devem ser questionadas, da influência da tecnologia em nossas vidas, respeito e valorização da diversidade e o aprendizado que pode vir a partir do diálogo.

Após sua formação, a banda vem compondo diversas músicas e dia 20 de abril lança seu primeiro EP com sete músicas que passeiam entre o hard core melódico, o grind core e o ska. O EP foi gravado por Renan Carriço e Jan Santoro no Estudio Quintal. Já as artes são do artista plástico Pedro Varela.

26 de abril de 2018
Quinta – 20h
Teatro da UFF
Rua Miguel de Frias, 9, Icaraí – Niterói/RJ
Ingressos: R$ 30 | R$ 15 (meia)
Classificação etária: 16 anos
Informações: 3674-7512 | a partir de 14h

R. Miguel de Frias, 9, Niterói, RJ, BR