Percentual de docentes doutores é de 24,1% na rede privada, 61,0% na rede pública e de 72,2% nas universidades federais Censo 2017 - Doutores e Mestres por Organização Acadêmica Organização Doutores (Amarelo) Mestres (Azul) 51.223 24,1% 104.706 49,3% 160.827 41,0% 154.285 39,4% 109.604 61,0% 49.579 27,6% 69.126 72,2% 19.940 20,8% 2.835 78,4% 623 17,2% O segmento ausente em cada anel representa docentes especialistas e graduados. Censo 2017 - Docentes Ativos(*) x Docentes Doutores (*) Inclui substitutos e visitantes e exclui os docentes cedidos e afastados Outras Notícias sobre o Ensino Superior Menos de 7% dos matriculados no ensino superior ingressam nas universidades federais via cotas ou livre concorrência Síntese do Censo Superior com foco na UFF
Menos de 7% dos matriculados no ensino superior ingressam nas universidades federais via cotas ou livre concorrência Matrículas no Ensino Superior em 2017 Matrículas nas Universidades Federais As 63 Universidades Federais registraram 1.120.804 matrículas sendo que as dez maiores concentraram a terça parte do total As cotas nas IFES Legislação Exemplo de um curso escolhido pelo MEC que ofertou 100 vagas em Minas Gerais, onde a proporção raça/cor e de pessoas com deficiência foi extraída das estatísticas do IBGE.  A distribuição das vagas segundo os valores registrados nos círculos coloridos resulta da legislação pertinente (link acima). Fonte: Ministério da Educação Importante: As cotas devem ser aplicadas em todos os cursos As cotas na UFF Em poucos tempo, conforme previsto pela legislação sobre o ingresso nas universidades federais, metade dos alunos matriculados terão ingressado pelas cotas e metade por livre concorrência. Não havendo aumento na oferta de vagas nas universidades federais, cotas e livre concorrência continuarão atingindo, cada uma delas, menos de 7% (metade dos atuais 13,5%) de todos os alunos matriculados no ensino superior brasileiro. Mais sobre o Censo Superior com foco na UFF  
A UFF na Rede Federal. As Redes Privada e Pública de Ensino Superior Redes Privada e Pública: De todas as Instituições de Ensino Superior, 76,7% são Faculdades Privadas, 4,3% são Universidades Públicas e 2,6% são Universidades Federais; Do total de cursos de graduação 71% foram oferecidos pela Rede Privada. Apenas nas Licenciaturas a Rede Pública ofereceu mais da metade dos cursos; De todas as vagas (Processo Seletivo Principal) 91,7% foram oferecidas pela Rede Privada e 4,8% pela Rede Federal; Na Rede Privada 1,2 candidatos disputaram cada vaga e na Rede Federal a procura foi de 15,3; A Rede Privada ocupou 32,1% das vagas que ofereceu e a Rede Federal ocupou 91,2%; Nas matrículas, 75% dos alunos foram vinculados a Rede Privada e 13% as Universidades Federais; Nas licenciaturas a distância, a Rede Privada ofereceu 64,1% das matrículas e a Rede Pública 18,3%; Na graduação as mulheres conquistaram 55,2% dos ingressos, 57,0% das matrículas e 61,1% das conclusões; Na Pós-Graduação Stricto-Sensu a Rede Privada registrou 15,9% do total de matriculas e a Rede Federal 58,2%; A UFF entre as Universidades Federais: 1ª no total de vagas novas (processo seletivo principal) oferecidas; 1ª em quantidade de matrículas; 2ª no total de diplomas concedidos; 2ª no total de candidatos na graduação a distância e 4ª na graduação presencial; 3ª no total de docentes doutores. Mais detalhes As Instituições de Ensino Superior Os Cursos de Graduação As Vagas oferecidas no Processo Seletivo Principal - Vagas Novas As Matrículas A Diplomação Pós Graduação Stricto Sensu O Corpo Docente Fontes: INEP - Sinopses Estatísticas da Educação Superior INEP - Censo - Principais Resultados INEP - Censo - Notas Estatísticas Segundo Cronograma, o INEP divulgará os dados de 2018 em 19 de setembro de 2019. Para dados atuais utilize o Sistema de Transparência da UFF.  
UFF é uma das 3 Universidades Federais com mais docentes doutores Docentes Ativos(*) x Docentes Doutores (*) Inclui os docentes substitutos e visitantes e exclui cedidos e afastados Série Histórica do Corpo Docente da UFF de 2007 a 2017 Fonte: Sinopses Estatísticas da Educação Superior Os dados de 2018 serão divulgados no dia 19 de setembro de 2019 Dados adicionais estão disponíveis na Síntese do Censo 2017 com foco na UFF  
Apenas 13 em cada 100 alunos do ensino superior cursam Universidades Federais Matriculados Em 2017, 8.286.663 alunos cursaram, pelo menos, uma disciplina (portanto estiveram matriculados) em uma Instituição de Ensino Superior - IES. Destes alunos, 2.045.356 (24,7%) na Rede Pública (IES Federais, Municipais ou Estaduais) e 1.120.804 (13,5%) em uma Universidade Federal. Em 2017, de cada 100 alunos matriculados no Ensino Superior: 75 estudaram na Rede Privada; 24 em uma Faculdade Privada; 54 em uma Universidade; 33 em uma Universidade Privada; 21 em uma Universidade Pública; 13 em uma Universidade Federal. As dez maiores concentraram 1/3 das 1.120.804 matrículas das 63 Universidades Federais: A UFF foi a Universidade Federal com maior número de alunos matriculados no ensino de graduação, quarta colocada no ensino presencial e primeira na graduação a distância. Alunos matriculados na UFF de 2014 a 2017: Os dados de 2018 serão divulgados pelo INEP em setembro de 2019. Síntese do Censo 2017 com foco na UFF 
Censo 2017 - Cursos de Graduação Cursos de Graduação - Ensino Presencial e Ensino a Distância O Censo 2017 coletou dados sobre 35.380 cursos de graduação sendo 10.425 oferecidos pela Rede Pública. Distribuição dos 35.380 Cursos de Graduação por Grau Acadêmico nas Redes Pública e Privada 2,3% das Instituições de Educação Superior (IES) oferecem 100 ou mais cursos de graduação; 26,7% das IES ofertam até 2 cursos de graduação; Em média, as IES oferecem 14 cursos de graduação; 92,0% dos cursos de graduação nas universidades são na modalidade presencial; O grau acadêmico predominante dos cursos de graduação é o bacharelado (58,7%).           Em 2017 oferecemos vagas em 122 cursos presenciais e 6 cursos a distância. Registramos no Censo 3 cursos onde não foram oferecidas vagas totalizando 131 cursos de graduação. A relação de todas as IES e todos os cursos que cada uma delas oferece está disponível em http://emec.mec.gov.br/ Os totais gerais da UFF estão disponíveis em https://goo.gl/L6ce8q Outras Informações sobre os Cursos de Graduação da UFF Dados Gerais sobre a Graduação na UFF Objetivos dos Cursos, Matriz Curricular, Duração e Mercado de Trabalho Endereços e Telefones das Coordenações Coordenadores de Curso Próximos Concursos e Formas de Ingresso Cursos previstos (ainda não iniciaram as atividades)  
Cinema, Estudos de Mídia e Medicina têm o menor índice de evasão entre os cursos oferecidos pela UFF   As Instituições Estaduais, Federais (IFES) e Municipais constituem a Rede Pública. O índice de evasão de uma unidade de ensino (Escolas, Faculdades ou Institutos) é medido considerando-se o somatório dos dados de todos os cursos daquela unidade. Método de cálculo e mais detalhes Publicidade e Propaganda atingiu a maior relação candidatos por vaga em 2017.  No ensino a distância, a maior relação candidatos por vaga ocorreu em Engenharia de Produção. Os dados de 2018 serão divulgados pelo INEP em setembro de 2019.  
Censo 2017 - Instituições de Ensino Superior - IES Quantidade de Instituições de Ensino Superior - IES no Brasil em 2017 O Censo 2017 coletou dados de 2.448 Instituições de Ensino Superior. Destas IES, 296 pertencem a Rede Pública sendo que apenas 63 são Universidades Federais. Endereços: 63 Universidades Federais 6 Faculdades Federais 40 IF e CEFETs As Instituições de Ensino Superior - IES brasileiras podem ser públicas ou privadas. As instituições públicas de ensino são aquelas mantidas pelo Poder Público. Podem ser Federais, Estaduais ou Municipais.  Tem financiamento público não cobrando matrícula ou mensalidade. As IES privadas são administradas por pessoas físicas ou jurídicas de direito privado, com ou sem finalidade de lucro. As instituições privadas sem finalidade de lucro são: comunitárias, que incluem em sua entidade mantenedora representantes da comunidade; confessionais, que atendem a determinada orientação confessional e ideológica;  filantrópicas, que prestam serviços à população, em caráter complementar às atividades do Estado (art. 20 da LDB). No que diz respeito à classificação acadêmico-administrativa, as IES podem receber diferentes denominações: Universidade -  É uma instituição de ensino superior que compreende um conjunto de faculdades ou escolas superiores destinadas à especialização profissional e científica. As universidades oferecem atividades de ensino, de pesquisa e de extensão, que são serviços de atendimento à comunidade, nas diversas áreas do saber. Apresenta requisitos mínimos de titulação acadêmica (um terço de mestres e doutores) e carga de trabalho do corpo docente (um terço em regime integral). É autônoma para criar cursos e sedes acadêmicas e administrativas, expedir diplomas, fixar currículos e número de vagas, firmar contratos, acordos e convênios, entre outras ações, respeitadas as legislações vigentes e a norma constitucional. Centro universitário - Os centros universitários, assim como as universidades, têm graduações em vários campos do saber e autonomia para criar cursos no ensino superior. Em geral, são menores do que as universidades e têm menor exigência de programas de pós-graduação. Faculdade - As IES são credenciadas originalmente como faculdades. O credenciamento como universidade ou centro universitário, com as consequentes prerrogativas de autonomia, depende do credenciamento específico de instituição já credenciada, em funcionamento regular e com padrão satisfatório de qualidade. Não apresenta autonomia para conferir títulos e diplomas, os quais devem ser registrados por uma Universidade. Além disso, não tem a função de promover a pós-graduação.  Institutos Federais - São unidades voltadas à formação técnica, com capacitação profissional em áreas diversas. Oferecem ensino médio integrado ao ensino técnico, cursos técnicos, cursos superiores de tecnologia, licenciaturas e pós-graduação.   
TESTE02 Cursos de Graduação (Presenciais ou A Distância) Distribuição dos 35.380 Cursos de Graduação por Grau Acadêmico nas Redes Pública e Privada 2,3% das Instituições de Educação Superior (IES) oferecem 100 ou mais cursos de graduação; 26,7% das IES ofertam até 2 cursos de graduação; Em média, as IES oferecem 14 cursos de graduação; 92,0% dos cursos de graduação nas universidades são na modalidade presencial; O grau acadêmico predominante dos cursos de graduação é o bacharelado (58,7%).           Em 2017 oferecemos vagas em 122 cursos presenciais e 6 cursos a distância. Registramos no Censo 3 cursos onde não foram oferecidas vagas totalizando 131 cursos de graduação. A relação de todas as IES e todos os cursos que cada uma delas oferece está disponível em http://emec.mec.gov.br/ Os totais gerais da UFF estão disponíveis em https://goo.gl/L6ce8q Outras Informações sobre os Cursos de Graduação da UFF Dados Gerais sobre a Graduação na UFF Objetivos dos Cursos, Matriz Curricular, Duração e Mercado de Trabalho Endereços e Telefones das Coordenações Coordenadores de Curso Próximos Concursos e Formas de Ingresso Cursos previstos (ainda não iniciaram as atividades)   O Corpo Discente em 2017 Alunos Matriculados no Ensino Superior - São alunos que cursaram ao menos uma disciplina de um curso de Ensino Superior         Dos 8.286.663 matriculados no Ensino Superior, 2.045.356 estiveram matriculados na Rede Pública (IES Federais, Municipais ou Estaduais). No Brasil, de cada 4 quatro alunos matriculados no Ensino Superior apenas um pertence a Rede Pública. Vagas* Oferecidas - Projeta o tamanho que a instituição deseja atingir no futuro.          Se todas as 7.900.060 vagas fossem preenchidas e na ausência de outros fatores como evasão e retenção este seria o tamanho futuro das redes pública e privada. Em 2017 de cada 100 vagas oferecidas, apenas 8 foram Públicas. (*) Vagas podem ser novas ou remanescentes. Na UFF as Vagas Novas são oferecidas via SiSU (Ensino Presencial) ou via Consórcio CEDERJ (Ensino a Distância). As vagas Remanescentes são vagas de reposição. No caso da UFF são oferecidas pela COSEAC nos concursos conhecidos como Transferência Facultativa, Reingresso, Mudança de Curso ou Mudança de Localidade. Candidatos para vagas novas oferecidas          Em 2017, 16.478.779 estudantes se candidataram a uma das 7.900.060 que foram oferecidas nas IES. Candidatos por Vaga - Relação que indica o interesse pelas vagas oferecidas.          No caso da UFF aproximadamente 16 candidatos disputaram cada uma de nossas vagas. Ingressantes (ocupantes das vagas novas - calouros) - Mede o sucesso na ocupação das vagas bem como o tamanho projetado dos estudantes matriculados no futuro.   Concluintes (formados) - O sucesso da IES na realização de seu objetivo maior. Vagas Remanescentes Oferecidas - Impedir que a evasão reduza a quantidade de concluintes As Instituições de Ensino Superior - IES A UFF entre as outras Instituições de Ensino Superior - IES Vagas e Candidatos. Preenchimento de Vagas na UFF e nas demais IES Matriculados 53% dos alunos da UFF terminaram o Ensino Médio em Escolas Públicas 36% dos alunos matriculados da UFF ingressaram via ações afirmativas Matriculados no Segundo Semestre de 2017 por Ano de Ingresso Concluintes Alunos Equivalentes A UFF e as outras Universidades Federais - Bacharelado, Licenciatura e Tecnólogo  
Censo 2017 - Grau Acadêmico Censo 2017 - Bacharelado, Licenciatura e Tecnólogo - A UFF e as outras Universidades Federais  
Censo 2017 - UFF é a Universidade Federal com maior número de Matrículas na Graduação Censo 2017 As 63 Universidades Federais totalizaram em 2017 1.120.804 matrículas sendo 47.254 na Universidade Federal Fluminense Mais detalhes  
Censo 2017 - Diplomação Em 2017, dos 1.199.769 alunos que concluiram o Ensino Superior, 251.793 o fizeram na Rede Pública (IES Federais, Municipais ou Estaduais). De cada cinco alunos que concluiram em 2017 apenas um foi estudante da Rede Pública.       Em 2017 a Universidade Federal Fluminense ficou na segunda colocação entre as Universidades Federais na quantidade de diplomas concedidos. No período considerado a UFF aumentou signitivamente a quantidade de diplomas concedidos.  
Censo 2017 - A UFF e as outras Instituições de Ensino Superior - IES 46,4% dos estudantes do Ensino Superior não são matriculados em Universidades As matriculas nas Universidades Federais representam apenas 13,5% do total de matrículas do Ensino Superior Fonte: INEP - Censo - Dados extraídos das Sinopses Estatísticas do Ensino Superior
Censo 2017 - Vagas, Candidatos e Preenchimento de Vagas Em 2017, 16.478.779 estudantes se candidataram a uma das 7.900.060 vagas que foram oferecidas pelas Redes Pública e Privada em todo o Brasil. Foram 2,1 candidatos que se apresentaram para cada vaga. A Rede Pública ocupou 83% de suas vagas e a Rede Privada 32%. Graduação - Vagas, Candidatos e Alunos novos nas Redes Pública e Privada em 2017 A rede pública (Instituições Federais, Estaduais e Municipais) ofereceu apenas 8% das vagas tendo recebido 47% de todos os candidatos. A relação candidatos por vaga da rede pública foi de 11,9, nas Universidades Federais 15,3 tendo a UFF atingido 15,9 candidatos por vaga. Graduação - Vagas, Candidatos e Alunos novos na Rede Pública em 2017 As Instituições Federais ofereceram 58% das vagas públicas, receberam 75% dos candidatos e ocuparam 91% das vagas oferecidas. Na UFF, 225.252 estudantes se canditaram a um total de 14.205 vagas de Graduação (Presencial e EaD) Vagas Remanescentes são vagas que visam repor vagas novas não preenchidas nos anos anteriores além de aumentar a taxa de diplomação por diminuir os efeitos da evasão. Em 2017, a média no Brasil foi de 100 vagas novas para 36 remanescentes. Nas Instituições Federais para cada 100 vagas novas foram oferecidas 26 de reposição. UFF - Graduação em 2017 - Distribuição das Vagas Novas As 5 Universidades Federais com maior quantidade de vagas e candidatos Fonte: INEP - Censo - Dados extraídos das Sinopses Estatísticas do Ensino Superior Detalhes adicionais: Relação Candidatos por Vaga dos Cursos Presenciais da UFF Relação Candidatos por Vaga dos Cursos a Distância da UFF Série Histórica das Vagas Oferecidas pela UFF por Curso - https://goo.gl/Zz7uvh
Censo 2017 - Síntese com foco na UFF Quantidade de Instituições de Ensino Superior - IES no Brasil em 2017 O Censo 2017 coletou dados de 2.448 Instituições de Ensino Superior sendo que apenas 296 (12,1%) pertencem a Rede Pública. Dentre as 2.448 Instituições de Ensino Superior no Brasil: 2.249 (91,9%) não são Universidades; 1.878 (76,7%) são Faculdades Privadas; 106 (4,3%) são Universidades Públicas; 93 (3,8%) são Universidades Privadas. 63 (2,6%) são Universidades Federais que representam 21% da Rede Pública. Lista de Instituições Federais de Ensino Superior - Fonte eMEC Universidades Federais Faculdades Federais IF e CEFETs Cursos de Graduação - Ensino Presencial e Ensino a Distância O Censo 2017 coletou dados de 35.580 cursos. Destes apenas 10.425 (29%) são públicos. As 7.272 Licenciaturas constituem o único grau acadêmico onde a quantidade de cursos da Rede Pública supera a Rede Privada. 2,3% das Instituições de Educação Superior (IES) oferecem 100 ou mais cursos de graduação; 26,7% das IES ofertam até 2 cursos de graduação; Em média, as IES oferecem 14 cursos de graduação; 92,0% dos cursos de graduação nas universidades são na modalidade presencial; O grau acadêmico predominante dos cursos de graduação é o bacharelado (58,7%). A relação de todas as IES e todos os cursos que cada uma delas oferece está disponível em http://emec.mec.gov.br/ Os totais gerais da UFF estão disponíveis em https://goo.gl/L6ce8q Outras Informações sobre os Cursos de Graduação da UFF Dados Gerais sobre a Graduação na UFF Objetivos dos Cursos, Matriz Curricular, Duração e Mercado de Trabalho Endereços e Telefones das Coordenações Coordenadores de Curso Próximos Concursos e Formas de Ingresso Cursos previstos (ainda não iniciaram as atividades) Graduação - Vagas, Candidatos e Alunos novos nas Redes Pública e Privada em 2017 Local Vagas Candidatos Candidatos por Vaga % de Preenchimento das Vagas Brasil 7.900.060 16.478.779 2,1 36% Rede Privada 7.245.027 8.675.605 1,2 32% Rede Pública 655.033 7.803.174 11,9 83% Rede Federal 380.618 5.817.448 15,3 91% UFF 14.205 225.252 15,9 93% Foram consideradas apenas vagas novas. No caso da UFF são as vagas do SiSU e do CEDERJ Vagas Remanescentes são vagas que visam repor vagas novas não preenchidas nos anos anteriores além de aumentar a taxa de diplomação por diminuir os efeitos da evasão. Nas Instituições Federais para cada 100 vagas novas foram oferecidas 26 de reposição. As 5 Universidades Federais com maior oferta de Vagas e com a maior quantidade de candidatos A UFF foi a Universidade Federal que mais ofereceu vagas na graduação presencial e a segunda na graduação a distância. Foi a quarta Universidade Federal mais procurada na quantidade de candidatos no ensino presencial e a segunda no ensino a distância. Relação Candidatos por Vaga dos Cursos Presenciais da UFF Relação Candidatos por Vaga dos Cursos a Distância da UFF Série Histórica das Vagas Oferecidas pela UFF por Curso - https://goo.gl/Zz7uvh Matriculados Em 2017, 8.286.663 alunos cursaram pelo menos uma disciplina (portanto estiveram matriculados) em uma Instituição de Ensino Superior - IES. Destes alunos, 2.045.356 (24,7%) na Rede Pública (IES Federais, Municipais ou Estaduais) e 1.120.804 (13,5%) em uma Universidade Federal. Em 2017, de cada 100 alunos matriculados no Ensino Superior: 75 estudaram na Rede Privada; 24 em uma Faculdade Privada; 54 em uma Universidade; 33 em uma Universidade Privada; 21 em uma Universidade Pública; 13 em uma Universidade Federal. As dez maiores concentraram 1/3 das matrículas das 63 Universidades Federais A UFF foi a Universidade Federal com maior número de alunos matriculados no ensino de graduação, quarta colocada no ensino presencial e primeira na graduação a distância. Alunos matriculados na UFF de 2014 a 2017 Concluintes Entre as Universidades Federais que mais diplomaram, a UFF ficou na segunda posição no ensino de graduação, segunda posição na graduação presencial e primeira na  graduação a distância. Docentes Titulação - Total e Percentual de Doutores e Mestres Organização Doutores Mestres 51.223 24,1% 104.706 49,3% 160.827 41,0% 154.285 39,4% 109.604 61,0% 49.579 27,6% 69.126 72,2% 19.940 20,8% 2.835 78,4% 623 17,2% O segmento ausente em cada anel representa docentes especialistas e graduados. Entre as Universidades Federais com maior quantidade de professores doutores, a UFF ficou na terceira posição. Regime de Trabalho - % de docentes em Tempo Integral e Tempo Parcial Organização Tempo Integral Tempo Parcial 54.886 26,2% 84.748 40,5% 201.437 52,9% 103.768 27,3% 146.551 85,6% 19.020 11,1% 83.667 91,9% 7.210 7,9% 2.998 88,9% 375 11,1% O segmento ausente em cada anel representa docentes horistas. Corpo Docente - Distribuição por Sexo e Raça/Cor Atuação dos Docentes  
UFF aumenta em quase 40% o número de diplomados da graduação presencialDados do Censo 2017 da Educação Superior divulgados no último mês foram motivo de muita comemoração na UFF. No ano passado, a universidade registrou mais de 6 mil alunos concluintes no ensino de graduação, superando com uma margem significativa de diferença os números relativos ao ano de 2015, quando cerca de 3900 alunos se diplomaram. O resultado, ao contrário do que muitos podem imaginar, não é consequência apenas das ações do Reuni: reflete a ação conjunta e sistemática das pró-reitorias da universidade nos últimos anos para aperfeiçoar seus sistemas internos de organização e, consequentemente, os serviços oferecidos à comunidade pela instituição. A Pró-Reitoria de Planejamento (Proplan) é um dos setores que vem encabeçando essas mudanças. De acordo com o seu coordenador de Gestão de Informação José Márcio, algumas medidas vêm sendo adotadas, como a adequação na matriz curricular de determinados cursos e a transformação de cursos integrais em turnos únicos. Dessa forma, segundo ele, aumenta-se a possibilidade de os estudantes que precisam trabalhar permanecerem na instituição e, com isso, diminui-se a evasão. Para o coordenador, que recentemente presidiu uma comissão de estudos sobre a evasão e a diplomação nas IFES, “a universidade precisa entender que os cursos são diferentes e as soluções também. No caso das licenciaturas, por exemplo, as razões que explicam a não permanência nos cursos muitas vezes estão relacionadas a questões externas, como mercado de trabalho. Os salários são muito baixos”. “Em situações como essa, mas não apenas”, relatou o pró-reitor de Graduação (Prograd), José Rodrigues Farias, “temos buscado aperfeiçoar o acolhimento dos alunos, tornando os campi mais receptivos e oferecendo boas condições para que consigam permanecer na instituição”. No entanto, são muitas as direções de trabalho. Segundo ele, o setor disponibiliza uma grande quantidade de bolsas para os alunos. Busca-se, com isso, não só oferecer uma experiência profissional, mas contribuir também para a diminuição das taxas de evasão. Um exemplo é a bolsa de tutoria, na qual estudantes da pós-graduação oferecem apoio acadêmico aos ingressantes. Além de estimular que o aluno fique na universidade, explicou o pró-reitor: “estamos buscando potencializar a ida do estudante para o mercado de trabalho, diminuindo a retenção e aumentando o fluxo de entrada e saída na instituição. E também estamos conscientizando as pessoas da comunidade acadêmica, criando programas e estabelecendo parcerias com outros setores da universidade”. Um parceiro da Prograd nesse processo é a Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (Proaes), que atualmente oferece cerca de 2900 bolsas e auxílios, voltados a estudantes de baixa renda da graduação. São onze modalidades, dentre as quais se destaca o Auxílio Alimentação, que passou a ser disponibilizado em maior quantidade nos últimos anos. Além do aumento significativo em seu valor, ocorreram mudanças no processo de distribuição que o readequaram à realidade do graduando. “Antes a prestação de gastos estava restrita a restaurantes e agora passaram a valer notas fiscais de outros estabelecimentos alimentícios, como mercados”, destaca a assistente social da Divisão de Programas Sociais, Jaqueline Brum. “As iniciativas não são implementadas aleatoriamente, mas sustentadas em informações objetivas e mensuradas. Desta forma, temos maior eficiência e, portanto, maior chance de êxito, além de economia de recursos”, Antonio Claudio da Nóbrega. Satisfeito com as conquistas da Proaes relativas à assistência estudantil, o Pró-Reitor Leonardo Vargas explicou que recentemente foi aberto um edital, que oferecerá cerca de 500 bolsas extras. O intuito é zerar a demanda reprimida e, assim, diminuir a evasão. Leonardo reforça também que, além das bolsas e auxílios, a Pró-Reitoria tem oferecido apoio aos estudantes sob a forma de cuidados preventivos, voltados à sua saúde. A Divisão de Saúde do Estudante é um dos braços do Proaes Itinerante, e faz incursões nas diferentes unidades e campi da UFF no estado do Rio. Inaugurado esse mês, o projeto estruturou uma equipe formada por um psicólogo, um psiquiatra, um profissional de enfermagem e outro de serviço social, para atender às demandas de caráter psicossocial da comunidade estudantil. “Sem contar os serviços básicos que já oferecemos, como o restaurante universitário, o BusUFF, que atualmente está expandindo para algumas unidades do interior e também a moradia estudantil, que nos últimos anos, conta com duas novas alas no campus do Gragoatá”, ressalta. Além dessas medidas para assegurar a permanência do estudante na instituição, a ocupação das vagas ociosas também é uma preocupação. Ela pode se dar sob a forma de transferências, reingressos, mudanças de curso e de localidade, o que, segundo José Márcio Lima, atende tanto à sociedade como às necessidades da universidade, tendo em vista o impacto gerado em sua matriz orçamentária. “As pessoas desconhecem o fato, mas o MEC bonifica a universidade a cada aluno que ingressa e a cada aluno que se forma. A preocupação da instituição não é diplomar a qualquer custo, mas assegurar que todas as vagas disponíveis possam ser preenchidas o mais rapidamente possível”, enfatiza. A modalidade de Ensino a Distância (EAD) também tem favorecido a permanência do graduando. Através das possibilidades oferecidas por esse recurso, a aposta é tentar tornar os currículos mais flexíveis. “Temos estimulado a mobilidade, incentivando que o graduando da EAD faça cursos presenciais e vice-versa”, explica o Pró-Reitor da Prograd, José Rodrigues. “Porém, é necessário reduzir os estigmas relacionados ao ensino a distância para que possamos consolidar essas ações. Apesar de a UFF representar quase 40% do Consórcio Cederj, possuindo quase 20 mil alunos nessa modalidade, essa realidade é nova para nós”,  esclarece José Rodrigues. Ainda de acordo com ele, as pró-reitorias estão totalmente comprometidas com o crescimento da UFF: “Perseguimos uma taxa de sucesso de 70%, um índice muito superior aos 30% de alguns anos antes, quando demos início a todas essas ações”. A taxa, vale ressaltar, é medida pela quantidade de estudantes que saem da instituição em relação à quantidade que entra quatro anos antes; através dela, pode-se avaliar se o estabelecimento de ensino tem sido bem-sucedido em diplomar alunos. O trabalho árduo e conjunto de profissionais de diferentes setores da universidade está por trás do êxito alcançado pela universidade no Censo 2017. Com esse resultado, não só a comunidade acadêmica se beneficia, mas a sociedade como um todo. O atual vice-reitor e reitor eleito para o quadriênio 2018-2022, Antonio Claudio Lucas da Nóbrega, reforça a visão de José Rodrigues de que a busca por um taxa de sucesso cada vez mais alta da UFF se baseia em múltiplas ações administrativas, acadêmicas e de assistência estudantil. “As iniciativas não são implementadas aleatoriamente, mas sustentadas em informações objetivas e mensuradas. Desta forma, temos maior eficiência e, portanto, maior chance de êxito, além de economia de recursos”, conclui.