UFF e Prefeitura firmam acordo para inaugurar novo cinema em IcaraíNa manhã desta terça-feira, no Teatro da UFF, ocorreu a solenidade de assinatura do Termo de Cessão de Uso do Cinema Icaraí da universidade junto à Prefeitura Municipal de Niterói. Tombado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (Inepac), órgão subordinado à Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro, o imóvel será revitalizado e gerido pela prefeitura, que utilizará o prédio para fins exclusivamente culturais por um período de 40 anos, além de concluir as obras do novo Instituto de Artes e Comunicação Social (Iacs), no campus do Gragoatá. Durante o evento, o reitor Antonio Claudio Lucas da Nóbrega afirmou que a parceria entre UFF e prefeitura é apenas um dos muitos acordos que a instituição e o município terão pela frente, reforçando que o trabalho continuará sendo transparente, como vem ocorrendo em todos os níveis administrativos da universidade. “Os processos licitatórios começarão o mais breve possível e a expectativa é que as obras tenham início ainda este ano”, reforçou. Já o prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, relembrou sua trajetória na universidade. “A prefeitura de Niterói e o povo desta cidade não vão faltar com a UFF. A instituição é fundamental para o crescimento sustentabilizado da nossa cidade. Vamos investir cerca de R$ 45 milhões na recuperação do cinema e na conclusão do Iacs, construindo uma história muito bonita em defesa da instituição”, afirmou Neves. Fizeram parte da solenidade, além do reitor e do prefeito, as secretárias municipais de Educação, Ciência e Tecnologia e de Fazenda, respectivamente, Flávia Monteiro de Barros e Giovanna Vícter. Além disso, participaram do evento professores, alunos e servidores da UFF, bem como vereadores, secretários, assessores e outras autoridades municipais. “A UFF e a Prefeitura de Niterói dão um exemplo de ousadia e resiliência entregando à cidade dois novos prédios justamente no momento em que vivemos a desconstrução da imagem das universidades públicas e o contingenciamento de verbas de custeio. Tenho absoluta certeza de que a universidade vai sair mais forte da situação que estamos enfrentando”, Antonio Claudio. Atendendo a um antigo desejo da comunidade, a reforma do Cinema Icaraí prevê a recuperação total do telhado - laje, madeiramento, telhas e calhas -, revitalização das fachadas, com recomposição do modelo original, bem como dos pisos, paredes e tetos, e também das esquadrias, instalações elétricas, hidráulicas e de transmissão de dados. Segundo o diretor do Iacs, Kleber Santos de Mendonça, a conclusão das obras reforçará a estrutura dos cursos oferecidos aos mais de 3.500 alunos matriculados no instituto. Na visão dele, parcerias com a prefeitura funcionam como uma prestação de contas e serviços à população. “Formamos cidadãos capazes de gerar transformações sociais importantes para a sociedade”, ressaltou. Já o diretor do Centro de Artes da UFF, Leonardo Caravana Guelman, definiu o acordo como um momento histórico, destacando a importância dessa parceria, que envolve arte, cultura e cinema. Ele aproveitou a ocasião também para apresentar ao público um curta-metragem sobre a Orquestra Sinfônica Nacional (OSN) (http://www.centrodeartes.uff.br/historia/osn-uff/), que passará a contar com um local exclusivo no prédio para suas atividades, com um palco adequado para o ensaio dos músicos e espaço para a guarda de seus instrumentos e partituras. “A UFF e a Prefeitura de Niterói dão um exemplo de ousadia e resiliência entregando à cidade dois novos prédios justamente no momento em que vivemos a desconstrução da imagem das universidades públicas e o contingenciamento de verbas de custeio. Tenho absoluta certeza de que a universidade vai sair mais forte da situação que estamos enfrentando”, conclui o reitor Antonio Claudio.
PROAES realiza reunião em parceria com o Projeto Ecoenel para o Programa de Acolhimento Estudantil 2019.1Na última quinta-feira, dia 14 de março, aconteceu a reunião para esclarecer a parceria com o projeto Ecoenel, para o Acolhimento Estudantil 2019.1. Foram apresentados o projeto de arrecadação de resíduos recicláveis, como será o funcionamento, a utilização dos cartões cadastrados, quais tipos de materiais são aceitos, posto de coleta que estará recebendo os recicláveis e os horários de funcionamento. Os resíduos já podem ser entregues no posto de coleta até o dia 21 de março e no dia 22 de março, a equipe do projeto Ecoenel também estará recebendo os materiais na quadra da Educação Física, onde estará ocorrendo a gincana de integração. Lembrando que todos os resíduos arrecadados serão revertidos em desconto na conta de energia da instituição escolhida. Para mais informações, acesse o regulamento no final deste informe.
Turismo da UFF oferece treinamento para policiais militares do Rio de JaneiroO turismo é visto por muitos como uma das possíveis saídas para a crise econômica do país. A atividade é capaz de injetar verba na economia, no setor de transportes e em diversas outras áreas. A cidade do Rio de Janeiro, conhecida como “cidade maravilhosa”, apesar de seus inúmeros atrativos, continua abaixo da sua potencialidade, o que se explica, segundo o professor do Departamento de Turismo e Hotelaria da UFF, Marcello de Barros Tomé Machado, pelos seus altos índices de violência. Pensando nisso, o Departamento de Turismo e Hotelaria da UFF em parceria com o Batalhão de Policiamento em Áreas Turísticas da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (BPTur-PMERJ), criou o Curso Especial de Policiamento em Áreas Turísticas (Cepat), com o objetivo de conscientizar os policiais militares lotados no BPTur sobre o impacto do turismo para a cidade. “Ninguém deseja viajar para um lugar que oferece risco à sua integridade física e daqueles que o acompanham. E não há como negar que o Rio é conhecido internacionalmente como uma cidade que oferece riscos significativos relativos à violência urbana. Por isso, ampliar a segurança é fundamental para o desenvolvimento do turismo, não só na nossa cidade, mas também em todo o Brasil. Evidentemente, a violência não é só uma questão policial. Existem diversos fatores envolvidos, mas uma polícia estruturada, com equipamentos adequados, treinamento, etc., realiza ações mais precisas e seguras”, afirma Tomé. Embora o processo de seleção para o curso priorize inscrições dos policiais do BPTur, Marcello ressalta que todos os agentes de segurança que atuam no Rio de Janeiro podem se inscrever. “Nós já tivemos policiais do Bope, de UPPs, e de outros batalhões também. Além dos policiais militares, temos vagas para a Guarda Municipal, que sempre participou ativamente em todas edições, e temos vagas para a Polícia Civil também”. “O contato com esses saberes gera uma transformação na interação desse policial com a sociedade”, Marcello Tomé. Em 2011, o então Comandante do BPTur, o Tenente-Coronel Cláudio Costa de Oliveira, procurou a UFF em busca de contribuições para a criação do Cepat. Mesmo depois da troca de comando, o Tenente-Coronel Joseli Cândido da Silva deu prosseguimento às tratativas de criação do curso. “Quando finalmente conseguimos abrir a primeira turma em 2012, a UFF ficou responsável por algumas disciplinas como: Fundamentos do Turismo, Marketing Turístico, Hospitalidade, Negociação e Conflitos em Turismo, Geografia e História do Rio de Janeiro e Língua Estrangeira”, explica Marcello. Parte das disciplinas são ministradas por professores da Secretaria de Segurança Pública, principalmente da PMERJ. Os docentes civis são da Faculdade de Turismo e Hotelaria da UFF. O professor afirma que as aulas são realizadas nos mais variados lugares: "Algumas edições foram no próprio BPTur, outras no Parque do Cantagalo, tivemos hotéis em Copacabana que cederam espaço para as atividades e já aconteceu aqui na universidade, no Campus Gragoatá”. Normalmente, a abertura do curso é feita com uma palestra inaugural, onde um especialista é convidado a falar sobre questões relacionadas ao tema Turismo e Segurança. Marcello destaca a troca de experiências proporcionada pela iniciativa. “Uma dessas palestras já aconteceu na UFF e é uma interação interessante. Muitos desses policiais são jovens e alguns até estão cursando faculdade. No entanto, uma parte significativa não tem proximidade com esse ambiente. Para muitos, foi o primeiro contato com essa atmosfera acadêmica, muito própria e diferente”. Além de aulas e palestras, os alunos do Cepat também participam de trabalhos de campo, que já ocorreram no centro do Rio de Janeiro e em cidades do interior, como Petrópolis e Itatiaia, proporcionando maior conhecimento sobre a geografia e a história de diversos municípios do estado. Após a conclusão do curso, que dura dois meses com aulas todos os dias de manhã e de tarde, os policiais participam de uma espécie de estágio, que garante a efetividade da formação. A primeira turma teve como estágio a Conferência das Nações Unidas sobre desenvolvimento sustentável, a Rio+20, em 2012. Para Marcello, é importante que o aluno esteja preparado para fornecer informações que propiciem uma fruição mais segura e de maior qualidade para o turista: “É natural que o agente de segurança represente a informação segura e precisa, por isso o policial precisa conhecer a história da cidade, a localização dos atrativos turísticos. E também é necessário que esteja consciente sobre a vulnerabilidade do turista, que desconhece as rotinas particulares da cidade e pode se submeter a riscos desnecessários”. O curso também proporciona ao agente, enquanto indivíduo, uma formação diferenciada. “Ele adquire uma noção melhor de língua estrangeira, do fenômeno turístico e suas relações com a esfera econômica, social, ecológica, cultural e política. Também passa a conhecer mais da história e da geografia do Rio de Janeiro, a importância de se mostrar acolhedor através da hospitalidade. O contato com esses saberes gera uma transformação na interação desse policial com a sociedade, seja com os turistas ou não”, afirma o professor. Esse contato também vem sendo positivo para a UFF: “No ambiente universitário, pode existir uma impressão negativa do policial militar. Essa convivência acaba desmontando preconceitos, o que gera uma quebra de paradigmas”, observa Marcello. O projeto contempla os três pilares da universidade - ensino, pesquisa, extensão: “Nós estamos, obviamente, auxiliando na formação desses agentes; alguns resultados do Cepat viabilizam pesquisas, seja na área da segurança ou hospitalidade; e a demanda para a criação do curso partiu da Polícia Militar, então temos a universidade ultrapassando os seus muros, atendendo os anseios da sociedade”, conclui.
Governador do Estado e secretariado visitam a UFF e enfatizam parcerias na agricultura familiarNo dia 16 de janeiro, quarta-feira, a Universidade Federal Fluminense sediou a solenidade de posse do novo secretário de Estado de Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento, Eduardo Lopes. O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, doutorando em Ciência Política pela UFF, enfatizou a importância da cooperação entre o poder público e as universidades para o desenvolvimento de projetos científicos e soluções tecnológicas na agricultura. O evento enfatiza a relevância da UFF para colaborar com projetos de recuperação do desenvolvimento do Rio de Janeiro. De acordo com o reitor, Antonio Claudio Lucas da Nóbrega, há conversas em andamento para elaborar parcerias para a universidade participar ativamente da construção e execução das políticas públicas do Estado, bem como colaborar na capacitação do corpo de servidores técnicos. O governador, Wilson Witzel, ressaltou uma mudança de paradigma na condução de políticas públicas para dar robustez à produção agrícola, pecuária e pesqueira do estado. "O Rio de Janeiro, que já foi referência em produção agrícola e pesqueira até a metade do século passado viu os dois setores definharem nas décadas seguintes. Não podemos nos furtar dos desafios sociais e ambientais que virão. A agricultura é peça-chave”. Um dos focos dessa política será o incentivo à agricultura familiar, que tem um peso decisivo na economia nacional com um faturamento anual de US$ 55,2 bilhões. Além disso, é responsável pela renda de 40% da população economicamente ativa do Brasil e por mais de 70% dos brasileiros ocupados no campo. “É preciso ter como norte uma produção sustentável, que tenha como centro a agricultura familiar", afirmou. A UFF será um parceiro chave dada à sua comprovada expertise em projetos na área, como as iniciativas de aperfeiçoamento humano e técnico dos agricultores familiares, redução no uso de pesticidas, controle de doenças e qualidade da produção. “Temos ampla competência nessa área em diversas unidades acadêmicas. Implementamos um projeto de agricultura familiar em Magé, que foi premiado pelo Sebrae, para promover uma filosofia baseada no uso de novas tecnologias e práticas orgânicas, com métodos de produção limpa e maior qualidade de vida do produtor. São muitas iniciativas que podem ser contempladas para colaborar com o crescimento do Estado”, reforçou Antonio Claudio.
Em parceria com a Itália, UFF garante verba para a criação de serviço de saúde pioneiro no BrasilA UFF sediou, nos dias 29 e 30 de novembro, o Seminário Internacional “Reformas Sanitárias Italiana e Brasileira: trajetórias e perspectivas”, no qual foi debatido o projeto de instalação de uma “unidade de cuidados intermediários” em Niterói, entre outras questões. A iniciativa se deu como parte de uma parceria entre a universidade, a Secretaria de Saúde da cidade e o Serviço Social Sanitário da região de Emilia Romagna, em Bolonha (Itália) e acarretará na captação de uma verba de oitenta mil euros derivada do acordo de cooperação entre os países. Direcionado a pessoas em condições crônicas que agudizaram os sintomas e não têm possibilidade de serem assistidas em domicílio, a unidade oferecerá serviços de assistência para melhorar as condições de cuidado dos pacientes do sistema público de saúde, utilizando basicamente tecnologias leves, voltadas para a reabilitação, com baixo custo e alta eficácia. Para o reitor Antônio Cláudio Nóbrega, “este projeto representa uma importante inovação na rede de saúde de Niterói. Acompanhando a tendência internacional, ele prepara os serviços de saúde para os tempos atuais e futuros, com o aumento significativo da população idosa em relação à população geral, com elevação significativa das condições crônicas. Ele propõe um cuidado mais eficaz na recuperação ao crônico sem a necessidade de internação hospitalar, melhorando a eficiência dos serviços, com a redução de custos nesta atividade”. Dividido em duas frentes, o projeto, além de prestar esse atendimento, por meio de um programa piloto no Hospital Municipal Carlos Tortelly, inclui a capacitação de uma turma de profissionais para atuar nele. A previsão é de que o processo de formação tenha início nos próximos meses. Identificamos uma proposta inovadora para a saúde, que potencialmente tem a possibilidade de evitar internações, reduzindo a utilização de leitos hospitalares e cuidando melhor da população”, Túlio Batista. Segundo o coordenador do projeto e professor do Instituto de Saúde Coletiva, Túlio Batista, este é um processo de “transferência de tecnologia, em que Niterói será contemplada com os saberes e as práticas de uma experiência de cuidado similar na Itália. E em contrapartida, a UFF levará para eles o que nosso sistema de saúde pode oferecer em termos de aprendizado”. Conhecendo os serviços da região de Emilia Romagna, explicou o coordenador, “identificamos uma proposta inovadora para a saúde, que potencialmente tem a possibilidade de evitar internações, reduzindo a utilização de leitos hospitalares e cuidando melhor da população”. Esse serviço de cuidado, mais conhecido como “cuidados intermediários”, seria um ponto de apoio às atividades desenvolvidas na Atenção Básica, na qual não se faz necessária a assistência hospitalar ou paliativa. Para a diretora geral da Secretaria de Saúde da região de Emilia Romagna e uma das palestrantes do seminário sobre reforma sanitária, Kyriakoula Petropulacos, essa é uma parceria muito relevante, através da qual se estabelece uma conexão entre a universidade e o sistema de saúde: “temos uma população muito envelhecida e necessitamos tomar conta dela por meio de cuidados intermediários. Podemos compartilhar os resultados do nosso trabalho e, por outro lado, levar do Brasil todo esse trabalho desenvolvido no campo da educação”. De acordo com Emília, apesar de o Brasil ser um país muito mais novo do que a Itália, ele está enfrentando os mesmos problemas: “Aqui, a população também está envelhecendo e desenvolvendo doenças de caráter crônico. Temos que encontrar opções eficazes de tratamento, fazendo uso da pesquisa para esse fim. Nesse cenário, a colaboração entre Brasil e Itália é importantíssima”. Integrante do Conselho Científico do Centro Internacional de Saúde da Universidade de Bolonha, o professor Ardigò Martino explicou que a rede criada entre os países “facilita as pesquisas nos dois contextos, possibilitando a permanência mais prolongada dos profissionais nos diferentes lugares. Num primeiro momento, isso é um choque, entender as diferenças, se adaptar. Mas, com esse ‘incômodo’, facilita-se o entendimento, por parte dos envolvidos, dessas conexões globais que são determinantes de saúde nos diferentes contextos”.
UFF/PROEX e Município de Niterói debatem EducaçãoO “I Seminário Anual de Avaliação”, promovido pelo Programa Transdisciplinar de Educação Integral e Fortalecimento de Políticas Públicas (Tear UFF Educação), foi realizado no dia 08/12/17, na Casa do Conhecimento, localizada no Caminho Niemeyer. O Tear UFF Educação é um Programa de Extensão, coordenado pela Prof.ª Sônia Maria Dantas Berger, do Instituto de Saúde Coletiva da UFF, que atualmente conta com a participação de outras unidades acadêmicas (Faculdade de Nutrição, Faculdade de Educação, Instituto de Psicologia, Instituto do Noroeste Fluminense de Educação Superior, Escola de Enfermagem, Escola de Serviço Social, Faculdade de Administração e Ciências Contábeis), para desenvolver suas atividades junto à rede municipal de educação de Niterói. O evento de extensão foi realizado pela PROEX/UFF em parceria com o Município de Niterói. Trata-se de uma das ações desenvolvida no âmbito do Termo de Cooperação Técnica entre a Universidade Federal Fluminense/Pró-Reitoria de Extensão e o Município de Niterói/Secretaria municipal de Educação, Ciência e Tecnologia (SEMECT). A coordenação do Seminário foi da técnica da PROEX Carla Valério Cardoso. O encontro debateu a relevância da parceria, o seu potencial para a formação acadêmica e o desenvolvimento de políticas públicas. Na ocasião os extensionistas da UFF e demais participantes tiveram a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre a rede municipal de educação e suas múltiplas possibilidades de articulação com a UFF. Além dos debates, o Grupo de Teatro Experimental “UFFanistas” apresentou esquetes com base nos assuntos explorados no Evento. O público, cerca de 140 participantes, foi composto por docentes, técnicos e alunos da UFF, gestores e educadores da rede municipal de educação de Niterói e outros interessados. O público participou ativamente dos debates, os quais foram bastante produtivos quanto às propostas para atuação da UFF, via extensão, junto ao município no próximo ano.  
Eduff e Superintendência de Documentação selam novo modelo de parceria   A doação de 444 exemplares da Eduff marcou o início do novo modelo de parceria entre a editora e a Superintendência de Documentação (SDC) da UFF, durante encontro realizado na manhã desta quarta-feira, 8 de novembro, entre o diretor da Eduff, Aníbal Bragança, e a superintendente de Documentação, Déborah Ambinder, na Livraria Icaraí. Os exemplares entregues à SDC são referentes a 98 títulos, que incluem lançamentos recentes e livros que já integravam o catálogo da editora. Com o novo modelo de parceria, a equipe de bibliotecários do sistema de bibliotecas da universidade fará uma pesquisa prévia no site da Eduff para selecionar os títulos que interessam a cada área do conhecimento e a cada unidade. Até então, os livros doados para a SDC eram selecionados e encaminhados pela Eduff sem uma seleção prévia específica para cada unidade do sitema de bibliotecas. A partir de agora, a superintendente de Documentação, Déborah Ambinder, acredita que a nova ação vai permitir o enriquecimento das coleções das bibliotecas de acordo com o escopo das áreas e cursos atendidos por cada uma delas. “Esse novo modelo de parceria atinge um público muito maior, reflete e amplia a visibilidade da produção intelectual da universidade, sem contar que também amplia a qualidade do ensino, da pesquisa e da extensão”, afirma. Na ocasião, o diretor da Eduff, Aníbal Bragança, adiantou que há, ainda, um interesse de formalizar um acordo de cooperação entre a editora e a SDC para que haja uma continuidade na parceria entre os dois setores da universidade. A Superintendência de Documentação é responsável pela coordenação e gerenciamento do Sistema de Bibliotecas e Arquivos da UFF, que conta atualmente com 35 unidades, incluindo 30 bibliotecas localizadas em Niterói e nos municípios de Campos dos Goytacazes, Rio das Ostras, Macaé, Nova Friburgo, Volta Redonda, Angra dos Reis, Santo Antônio de Pádua e Petrópolis. Também esteve presente na reunião a bibliotecária Márcia Silvestre, chefe da Seção de Planejamento e Desenvolvimento de Coleções, responsável pela parte de compras e doações.    
PROEX firma parceria com Projeto CinderelaA Universidade Federal Fluminense, através da Pró-Reitoria de Extensão, firmou uma parceria com o Projeto Cinderela. A ação social tem cunho filantrópico voltado para mulheres com câncer e tem como principal objetivo trabalhar com a autoestima, alcançando, assim, melhoras significativas nos tratamentos. A parceria entre o Projeto e a UFF se deu através da PROEX, viabilizando atendimento odontológico às pacientes. A responsável pela parceria é a Professora Lucíola de Luca (Faculdade de Odontologia - UFF).