Repositório da Extensão Informamos que a PROEX passa agora a integrar através da Comunidade da Extensão o Repositório Institucional da UFF (RIUFF), dentro da política para depósito de produção técnico-científica da Universidade. Tal integração foi consolidada conforme BS UFF de 05/01/2017 - Seção IV - pág. 049 - Norma de Serviço nº 655 de 03 de janeiro de 2017 e Determinação de Serviço PROEX Nº 10 de 19 de julho de 2018 que designou uma equipe responsável pela comunidade PROEX no RIUFF. O RIUFF é um importante sistema de informação, coordenado pela Superintendência de Documentação (SDC) que visa armazenar, disseminar e possibilitar o acesso aberto, como bem público global, à produção acadêmica da Universidade. Para tanto, reúne essa produção num único local e a disponibiliza em meio digital. Com isso, é possível preservar a memória institucional e a produção técnico-científica da Universidade, bem como ampliar a visibilidade e uso da produção intelectual desenvolvida. Neste sentido, convidamos a comunidade acadêmica da UFF - especificamente os extensionistas - a publicarem, no RIUFF, através da Comunidade da Extensão, produtos acadêmicos decorrentes de Programas, Projetos, Cursos, Eventos e Prestação de Serviços de Extensão, cadastrados no SigProj e aprovados na PROEX a partir do ano de 2015. Este recorte temporal se faz necessário diante do montante de trabalhos existentes e frente à necessidade de se manter a atualidade das questões e resultados pertinentes aos produtos acadêmicos que serão publicados no Repositório. Os autores interessados devem preencher formulário disponibilizado no site da PROEX junto com os materiais a serem publicados para o seguinte email: repositoriouffproex@gmail.com. Logo após o envio os produtos acadêmicos serão avaliados de acordo com as normas de publicação do RIUFF para posterior abastecimento do Repositório e análise final da SDC. Obs: Os documentos deverão ser enviados em formato PDF Listamos os produtos acadêmicos passíveis de publicação no RIUFF, via PROEX. Os mesmos deverão obrigatoriamente mencionar a que Programa, Projeto, Curso, Evento ou Prestação de Serviço de Extensão estão vinculados, informando, inclusive, o nº de registro na plataforma SIGProj -  Sistema de Informação e Gestão de Projetos/MEC -  e ainda obedecer aos respectivos critérios para envio e depósito mencionados abaixo: • Artigos em periódicos Critérios Os artigos deverão ter Acesso Aberto (publicados em como SciElo, por exemplo), possuir uma licença Creative Commons ou uma licença declarada para constar em repositórios e serem depositados em formato PDF. Caso o acesso não seja aberto, o autor poderá depositar somente os metadados no RIUFF. • Livros e capítulos de livros Critérios Livros e capítulos deverão ter Acesso Aberto, possuir uma licença Creative Commons ou uma licença declarada para constar em repositórios. É preferível que os livros e capítulos de livros sejam depositados em formato PDF, e, se possível, com o link que remete ao original da produção, caso haja autorização da editora nos termos contratuais. Caso o acesso não seja aberto, o autor poderá depositar somente os metadados no RIUFF. • Trabalhos publicados em anais de evento acadêmico Critérios Não há exigências para depósito. Uma vez realizado o evento, o respectivo trabalho pode ser enviado para o RIUFF. • Trabalhos apresentados em eventos acadêmicos Critérios Os trabalhos devem ser encaminhados em conjunto com o certificado de apresentação. • Relatórios finais de programas e projetos de extensão Critérios Os relatórios finais devem ser encaminhados com comprovação de aprovação em plenária departamental. • Outras Publicações acadêmicas Critérios Outros materiais como textos, imagens, vídeos, slides, folders que serão avaliados para posterior publicação.  
UFF participa do I Encontro Rede Sudeste de Repositórios de Acesso AbertoA Universidade Federal Fluminense participou do I Encontro da Rede Sudeste de Repositórios Institucionais de Acesso Aberto - RIAA. O evento aconteceu de 28 a 30 de maio no conhecido auditório Roxinho da UFRJ. Com temática atual que trata de Ciência Aberta, Dados de Pesquisa, Repositórios Institucionais dentre outros, o evento reforça a importância do Acesso Aberto à Ciência como forma de melhoria das condições de vida da sociedade como um todo. A UFF  é uma das 47 Instituições que integram a Rede Sudeste. Atuando como membro desde o nascimento da Rede,  foi muito bem representada por Bibliotecários do Sistema de Bibliotecas e Arquivos e por alunos que trabalharam como voluntários no Evento. O Repositório Institucional da UFF pode ser acessado no link www.repositorio.uff.br. Todo o evento foi transmitido ao vivo. Para acompanhar o que se falou por lá, visite a Fan Page da Superintendência de Documentação: @Bibliotecas.Arquivos.UFF
Repositório Institucional da UFF facilita acesso a pesquisas Com o objetivo de reunir, preservar, disseminar, promover e dar acesso à produção técnico-científica da instituição, a Universidade Federal Fluminense institui política para depósito no seu Repositório Institucional, o RIUFF. Artigos científicos, teses de doutorado, dissertações, bem como outros tipos de documentos eletrônicos podem ser consultados, via internet, de forma livre e gratuita. A Comissão de Criação de Políticas de Preservação, Divulgação e Disponibilização de Produção Científica do RIUFF elaborou a política publicada pela universidade, através da Norma de Serviço nº 655 de 3 de janeiro de 2017, e contou com o acompanhamento dos comitês de Governança e de Gestão da Informação da UFF. De acordo com a superintendente de Documentação e presidente do Comitê de Gestão da Informação, Déborah Motta Ambinder de Carvalho, e a bibliotecária e documentalista Jane Alice de Souza Teixeira, a UFF, alinhada a outras importantes instituições brasileiras e estrangeiras que mantêm seus repositórios institucionais, contará com as coordenações dos cursos de graduação e programas de pós-graduação, mestrado e doutorado, como parceiros fundamentais para o sucesso do repositório. A ideia da criação do RIUFF, segundo Déborah Ambinder, surgiu em 2009, por meio de um edital do Ibict/Finep, que previa a distribuição de kits tecnológicos, treinamento dos recursos humanos da instituição, além do suporte de informática e de equipamentos. Neste contexto, sua gestão ficou sob a responsabilidade das superintendências de Documentação (SDC) e de Tecnologia da Informação (STI). O RIUFF vai garantir à sociedade o acesso livre e gratuito à informação, a difusão do conhecimento, a retroalimentação da investigação, o estímulo econômico, a responsabilidade ambiental, a ação de sustentabilidade e desenvolvimento social. Disponibilizado atualmente aos internautas na versão 3.2, e com a perspectiva de migrar nos próximos meses para a versão 5.3, o repositório reúne exclusivamente a produção da comunidade universitária da UFF. Outra iniciativa semelhante, ainda em fase experimental e na versão beta, é a “Questões em Rede”, um repositório temático, voltado para publicações do Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação (Enancib), que ocorre anualmente, no qual estão sendo depositados trabalhos de várias comunidades científicas e instituições de ensino. Déborah Ambinder e Jane Teixeira destacam que a produção científica e administrativa disponível no RIUFF foi estabelecida em conformidade com a Lei 12.527/2011, que regulamenta o direito constitucional de acesso às informações públicas em vigor desde 16 de maio de 2012. A lei criou mecanismos que possibilitam a qualquer pessoa, física ou jurídica, sem necessidade de apresentação de motivo, o recebimento de informações públicas dos órgãos e entidades.   “O uso do repositório como local virtual da produção científica e institucional traz grandes benefícios para a UFF”, afirma Déborah Ambinder, dentre estes, a maximização do impacto dos resultados da produção adêmica, ampliando sua visibilidade e disseminação, através do livre acesso à informação; a facilitação da gestão da informação disponível em meio digital, reunindo num único local a produção intelectual da universidade; a preservação da memória institucional e a produção técnico-científica da UFF, por meio do armazenamento de longo prazo de documentos digitais; a ampliação da visibilidade e o uso da produção intelectual desenvolvida na universidade. A superintendente ressalta, ainda, que o RIUFF é um instrumento para subsidiar a gestão de investimentos em pesquisas na instituição e apoiar a formação e desenvolvimento de pesquisadores, educadores, acadêmicos, gestores, alunos de graduação e pós-graduação, bem como a sociedade, a promoção da participação social e o exercício da cidadania. Os procedimentos para criação de comunidade/coleção no RIUFF estão disponíveis na página do Repositório: http://www.repositorio.uff.br/jspui.
UFF institui política para depósito no Repositório Institucional da UniversidadeCom o intuito de reunir, preservar, disseminar, promover e dar acesso à produção técnico-científica da instituição de forma livre e gratuita, a Universidade Federal Fluminense institui política para depósito no Repositório Institucional da Universidade Federal Fluminense – RIUFF. A UFF, alinhada a outras importantes instituições brasileiras e estrangeiras que mantêm seus repositórios institucionais, http://www.opendoar.org/countrylist.php contará com as coordenações dos Cursos de Graduação, Pós-graduação, Mestrado e Doutorado, como parceiras fundamentais para o sucesso do repositório. A Política elaborada pela Comissão de criação de políticas de preservação, divulgação e disponibilização de produção científica no RIUFF (DTS/SDC 15, de 08/07/2016), com o acompanhamento do Comitê de Gestão da Informação (PORTARIA N.º 56.162 de 28 de abril de 2016), foi criada em conformidade com a Lei 12.527/2011 - Lei de Acesso à Informação e alinha-se à motivação institucional, beneficiando a comunidade acadêmica no que diz respeito a: Maximizar o impacto acadêmico dos resultados da produção acadêmica da UFF, ampliando sua visibilidade e disseminação, através do livre acesso à informação; facilitar a gestão da informação disponível em meio digital, reunindo num único local a produção intelectual da universidade; preservar a memória institucional e a produção técnico-científica da Universidade, por meio do armazenamento de longo prazo de documentos digitais; ampliar a visibilidade e o uso da produção intelectual desenvolvida na universidade; subsidiar a gestão de investimentos em pesquisa nesta Instituição; disponibilizar, através do RIUFF, recursos didáticos produzidos pela comunidade UFF e suas parcerias visando apoiar a formação e desenvolvimento de pesquisadores, educadores, acadêmicos, gestores, alunos de graduação e pós-graduação, bem como a sociedade e ainda, a promoção da participação social e o exercício da cidadania. No Brasil, iniciativas embrionárias, como as da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) - Portaria nº. 13 de 15 fevereiro de 2006, que institui a divulgação digital das teses e dissertações produzidas pelos programas de doutorado e mestrado; o Projeto de Lei (PL n. 1.120) de 21 de maio de 2007, que dispõe sobre o processo de disseminação da produção técnico-científica das Instituições de Ensino Superior e a do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT) em 2009, são consideradas pioneiras nas ações de incentivo à implantação dos Repositórios Institucionais. Em 2009, através do Edital IBICT-FINEP/PCAL/XBDB 002/2009 que previa a distribuição de kits tecnológicos, treinamento dos recursos humanos da Instituição, além do suporte informacional e tecnológico, a UFF implanta o seu Repositório Institucional. A equipe operacional da época foi formada por duas Bibliotecárias da Superintendência de Documentação (SDC) e um analista TI da Superintendência de Tecnologia da Informação (STI). O Projeto Piloto foi constituído pelos Cursos de Pós-Graduação em Letras e Ciência da Informação da UFF. Atualmente no RIUFF estão disponíveis em formato digital os trabalhos de conclusão de curso, manuais e procedimentos técnicos, artigos de periódicos, capítulos de livros, dissertações de mestrado e teses de doutorado dos Programas de Pós-Graduação oferecidos pela Universidade. A plataforma encontra-se em expansão, e passará a contar também com documentos administrativos produzidos pela universidade.   Para submissão no RIUFF é necessária a obtenção de autorização prévia (licença) do titular do direito de autor.  Existem alguns diretórios de políticas editoriais sobre o acesso aberto das revistas científicas, a saber: SHERPA/ROMEO  http://www.sherpa.ac.uk de alcance mundial e DIADORIM www.diadorim.ibict.br (periódicos brasileiros). Dependendo das restrições apresentadas pela Editora titular e detentora do direito de autor, será possível 3 (três) tipos de acesso ao RIUFF: Trabalho na íntegra; Após determinado período de embargo, ou Acesso apenas às referências básicas do documento, não sendo possível o acesso ao seu conteúdo. Há ainda a possibilidade de uso das licenças Creative Commons, que são licenças atribuídas pelo próprio autor à sua obra, sem intermediários.  Para saber mais, visite https://br.creativecommons.org/faq. O RIUFF também faz uso desta licença. Os procedimentos para criação de comunidade/coleção no RIUFF estão disponíveis na página do Repositório: http://www.repositorio.uff.br/jspui http://www.noticias.uff.br/bs/2017/01/003-2017.pdf UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE – BOLETIM DE SERVIÇO ANO LI – N.° 003 05/01/2017 SEÇÃO IV PÁG. 049 NORMA DE SERVIÇO Nº 655 de 03 de janeiro de 2017.