UFF lança Programa de Prevenção e Atenção à Saúde Mental dos EstudantesNessa segunda-feira, a Universidade Federal Fluminense realizou o lançamento do Programa de Prevenção e Atenção à Saúde Mental dos Estudantes da UFF no Auditório do Núcleo de Estudos em Biomassa e Gerenciamento de Água (NAB). O programa tem como principais objetivos garantir a melhoria na qualidade de vida dos estudantes, orientar o corpo discente sobre o acesso aos serviços que compõem a Rede de Saúde Mental da UFF e a Rede de Atenção à Saúde Mental Municipal, bem como apoiar institucionalmente os programas e projetos de atendimento à saúde mental dos estudantes da UFF. Segundo o reitor da UFF, Antonio Claudio Lucas da Nóbrega, o programa está em construção e é uma atitude concreta de envolvimento da gestão com o cuidado do estudante. “O objetivo principal é dar visibilidade e articular todas essas iniciativas e, com isso, fomentar novas atividades. Por isso, temos envolvidos no projeto desde aspectos acadêmicos, até operacionais, passando por diversos setores da UFF. Estão planejadas a continuidade, expansão e articulação das atividades de prevenção da saúde mental e de ausculta acolhedora aos estudantes, maximizando um trabalho que a Pró-Reitoria de Assistência Estudantil (Proaes) já tem feito de forma muito qualificada”, afirmou Antonio Claudio. A coordenadora do programa, Geralda Freire Marques, realizou o levantamento e cadastramento das ações e disse que passou a conhecer projetos muito importantes que já estão sendo realizados. “Foi um trabalho conjunto, exaustivo e gratificante com a colaboração da Proaes e sua equipe da Divisão de Atenção à Saúde do Estudante (DASE), que já vem realizando um excelente trabalho nessa área. Agradeço também à Pró-Reitoria de Extensão e ao professor Jairo Werner, da Faculdade de Medicina, além da Pró-Reitoria de Graduação e da Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas, que acolhem nossos alunos e servidores, além das unidades do Serviço de Psicologia Aplicada (SPA); e parcerias externas como o Centro de Valorização da Vida, que somam muito para que possamos cuidar da saúde mental dos nossos alunos”. De acordo com a pró-reitora de Graduação, Alexandra Anastacio, em novembro do ano passado havia uma grande dúvida dos coordenadores de curso sobre como orientar os estudantes com problemas relacionados à saúde mental. “Temos uma preocupação muito grande na Prograd por causa do aumento nos pedidos de trancamento de matrícula e pedidos de regime especial com o motivo principal relacionado à saúde mental. Gostaria de agradecer à escuta acolhedora que a reitoria colocou para essas demandas. Precisamos unir diferentes profissionais que trabalham a prevenção e promoção da saúde mental dos estudantes” afirmou Alexandra. O representante do Diretório Central dos Estudantes (DCE), João Neto, enfatizou que esse é um assunto importante para os discentes. “Principalmente nesse momento de crise econômica e social, que afeta diretamente a saúde dos estudantes. Para nós, isso é uma visão de futuro que mostra que a universidade se preocupa com a nossa saúde mental. O retorno disso é a gente produzir mais ciência, mais pesquisa, ter uma nota melhor e lutar para aumentar o CR”.   Rede de Atenção à Saúde Mental O programa listou a Rede de Referências na UFF, com serviços de atenção psicossocial, para transtorno ou sofrimento mental. Por meio da Divisão de Atenção à Saúde do Estudante (DASE) são desenvolvidas ações de acolhimento, acompanhamento e encaminhamento de problemas de saúde que estejam impossibilitando o curso regulamentar dos alunos na universidade. A fim de viabilizar o acesso à orientação psicossocial, atendimentos médicos e psicológicos, a projetos de saúde desenvolvidos na universidade e à prestação de serviços médico hospitalares da rede pública de saúde, a equipe responsável disponibiliza diariamente agendamento para o atendimento aos alunos, coordenadores, diretores/ professores de cursos, pais/parentes de estudantes da UFF. Acolhimento ao estudante Avaliação para serviços de clínica médica Escuta com psicólogo Orientação para a rede SUS - Projeto Café, Palavras e Suspiros Rodas de Conversas Ambulatório Clínico do Serviço de Psicologia Aplicada (SPA) Atendimento psicoterápico a pacientes Rede de Atenção a Saúde Mental dos Municípios  
Roda de Conversa com o SPA de Rio das Ostras acontece na UFF de Macaé.A professora e doutora em psicologia clinica, Soraya Martins, coordenadora do Serviço de Psicologia Aplicada (SPA) de Rio das Ostras, estará presente com sua equipe no Campus Macaé para conversar com professores, servidores técnicos e estudantes interessados na assistência psicológica na universidade. O evento chama a comunidade acadêmica de Macaé para o debate sobre saúde mental dentro das universidades, onde a pressão do cotidiano pode desencadear uma série de problemas, e abre oportunidade para sugestões sobre o atendimento a docentes, discentes e servidores técnicos. A preocupação com a saúde mental no ambiente universitário não é algo novo. Nos Estados Unidos, o primeiro serviço de assistência psicológica a estudantes universitários foi implementado em 1910, em Princeton. Na Inglaterra, o primeiro serviço de saúde estudantil que se tem notícia iniciou-se em 1927, em Oxford. No Brasil, em 1957, foi criado, na Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Pernambuco, o primeiro Serviço de Higiene Mental e Psicologia Clínica, com a finalidade de oferecer assistência psicológica e psiquiátrica aos estudantes universitários. Em São Paulo, a Escola Paulista de Medicina (EPM) organizou, em 1965, um Serviço de Saúde Mental Escolar. Nos anos 60, as universidades federais do Rio Grande do Sul, de Minas Gerais e do Rio de Janeiro também implantaram seu Serviço de Saúde Mental destinado ao universitário (Loreto, 1985). Hoje, o foco não é mais apenas o estudante universitário. Percebeu-se que a universidade é um ambiente extenuante também para os professores e servidores técnicos. E é com base nisso que a UFF de Macaé proporciona essa Roda de conversa com o SPA da UFF de Rio das Ostras. A Roda de Conversa acontecerá no dia 21/11/2017, às 18 horas, na sala 308, bloco A, da Cidade Universitária - Rua Aluísio da Silva Gomes, 50, Macaé. Maiores informações: contato@icm.uff.br  
Atendimento psicológico da UFF beneficia população de Campos e regiãoO curso de Psicologia da UFF de Campos dos Goytacazes, no norte fluminense, oferece à população, desde agosto de 2014, atendimento gratuito especializado no Serviço de Psicologia Aplicada Elizabeth Chacur Juliboni (SPA). Nesses pouco mais de três anos, a iniciativa já contemplou cerca de 600 pessoas não só da cidade, como de municípios vizinhos. Segundo as professoras Mayra Silva de Souza e Ana Lúcia Novais Carvalho, respectivamente, coordenadora e vice-coordenadora do SPA, o curso mantém, neste semestre, 17 projetos de estágio, nos quais participam 70 estagiários. Destes alunos, alguns estão inscritos em dois projetos de estágio, com diferentes frentes de atuação. A coordenadora explica que há particularidades na forma como as interações ocorrem no trabalho de campo e isso representa de maneira evidente a diversidade das práticas psicológicas oferecidas. “Cada projeto tem características próprias, de acordo com o embasamento teórico do professor coordenador e da área de atuação, como, por exemplo, paradigmas profissionais, o papel do auxiliar de psicologia na educação, a necessidade de se manter atualizado, a conciliação do trabalho teórico e prático e a constante busca de soluções para problemas que envolvem essas  mesmas questões”, explica Souza. Os projetos focados em saúde mental desenvolvidos pela UFF vêm chamando atenção da população ... que vê nessas iniciativas uma oportunidade de ter acesso a atendimento gratuito e de qualidade", destacou Estácio Neto. “Desde a inauguração do SPA, por exemplo, cerca de mil interessados já procuraram o serviço para realização de cadastramento e somente na última quinzena do mês de setembro foram realizados em torno de 100 novos cadastros”, informa o professor e coordenador do curso de graduação em Psicologia de Campos, Francisco Estácio Neto. Carvalho ressalta que algums procuram o serviço por iniciativa própria e outros através de encaminhamentos de diversos setores e profissionais do município. “Do total de cadastrados, vários já realizaram ou estão realizando acompanhamento no nosso serviço. Atualmente, temos cerca de 400 pessoas aguardando atendimento”, destaca a professora. “O interesse do aluno de psicologia nas atividades do Serviço de Psicologia se deve ao fato de que a teoria está intimamente associada à prática. Os estágios em clínica ou no SPA não são obrigatórios”, ressalta Mayra. Para se inscreverem nos projetos, os interessado passam por um processo seletivo. Inicialmente, eles recebem informações sobre os critérios de inscrição e sobre os projetos disponíveis no semestre. A coordenação de estágio, por sua vez, organiza toda seleção e o procedimento de avaliação, realizado de acordo com normas estabelecidas e previamente divulgadas pelo professor coordenador do projeto. Antes, porém, como pré-requisito o aluno deve, obrigatoriamente, realizar dois projetos de estágio, com duração de dois semestres cada, e ter concluído as disciplinas: Ética e Estágio Básico I e II.   Campos contra a LGBTfobia No dia 17 de maio deste ano, quando foi comemorado o Dia Internacional contra a Homofobia, a cidade realizou o “Campos contra a LGBTfobia: Dignidade e Cidadania”. O evento, uma parceria da prefeitura municipal com a UFF e outras entidades locais, realizou uma série de atividades, entre elas, o aconselhamento sobre DST/HIV, com foco na importância da prevenção, distribuição gratuita de preservativos, aconselhamento jurídico para os que sofrem ou já sofreram algum tipo de violência física ou psicológica. Na ocasião, também foi disponibilizado aos interessados um espaço de acolhimento com profissionais do departamento de psicologia da universidade, com encaminhamento para atendimento no SPA. Ações de promoção de cidadania, igualdade e conscientização são fundamentais, pois muitos membros da comunidade LGBT vivem em situação de vulnerabilidade e sem o apoio familiar e social. De acordo com a coordenadora do Laboratório de Psicanálise, Política, Cultura e Estudos de Gênero (LPPCEG), da UFF de Campos, e também supervisora de estágio, Bárbara Breder, a linha adotada no SPA é a clínica psicanalítica. “Oferecemos atendimento psicológico para pessoas que sofreram violência de gênero - mulheres e/ou pessoas LGBT. Atualmente, a unidade tem 10 estagiários que atendem em média um total de 30 pacientes com esse perfil”, ressalta. Entre as demais iniciativas também realizadas pelo departamento de Psicologia da UFF de Campos. Dentre elas, destaca-se o atendimento no presídio feminino pela equipe do Laboratório de Estudos, Pesquisas e Práticas em Educação, Sexualidade e  Psicanálise (Lepesp), que proporciona atividades ocupacionais e de escuta clínica, dinâmicas de grupo e oficinas diversas às internas. Também ocorrem atividades em abrigos, na Associação de Proteção e Orientação aos Excepcionais (Apoe), no Centro de Referência da Assistência Social (Cras) da região, em hospitais, escolas e universidades, totalizando quinze instituições locais. Segundo o coordenador Estácio Neto, "os projetos focados em saúde mental desenvolvidos pela UFF vêm chamando atenção da população não só de Campos, mas também dos municípios adjacentes, que vê nessas iniciativas uma oportunidade de ter acesso a atendimento gratuito e de qualidade", conclui.
Orientação VocacionalORIENTAÇÃO VOCACIONAL De 30/05 à 03/06/2016 estarão abertas as inscrições presenciais na Secretaria do Serviço de Psicologia Aplicada (Campus do Gragoatá, Bloco N, 5º andar) para as Oficinas de Escolha Profissional, destinadas a alunos do ensino médio, alunos de graduação e outros interessados que em determinado momento da vida se deparem com as escolhas profissionais: Para mais informações sobre datas e horários de inscrição, consulte: http://www.spa.uff.br/index.php/escolhaprof