Enade: um compromisso de todos com a educação pública e gratuitaO Exame Nacional de Avaliação do Desempenho dos Estudantes (Enade) é o instrumento que o governo federal utiliza para avaliar o ensino superior e garantir a qualidade e eficiência da educação nos âmbitos público e privado. Ele tem como objetivo analisar o rendimento dos alunos matriculados em relação aos conteúdos programáticos previstos nas diretrizes curriculares dos cursos de graduação. Além disso, também são observadas as habilidades e as competências necessárias para a compreensão de temas exteriores ao campo específico de sua profissão, ligados à realidade nacional e a demais áreas de conhecimento. As provas são realizadas anualmente pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Anísio Teixeira (Inep) com os estudantes concluintes das áreas selecionadas, que são definidas por meio de portarias e avaliam cada curso de três em três anos. “Para o ENADE deste ano, são considerados concluintes aqueles com expectativa de conclusão do curso até julho de 2018 ou os alunos que tenham integralizado 80% para licenciaturas e bacharelados, 75% para Cursos Superiores de Tecnologia (CST) ou mais da carga horária mínima do currículo do curso até 25 de agosto”, explica o diretor da Divisão de Avaliação da UFF, Marcelo Linhares. Nas Instituições Federais de Educação Superior (Ifes) como a UFF, os bons resultados obtidos no Enade, se refletem na média dos conceitos dos cursos. Essa média tem grande representatividade no Conceito Institucional no Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes), que no caso da UFF, responde por cerca de 40% do Índice Geral de Cursos (IGC), fator que representa um acréscimo de até 20% no orçamento institucional. A boa avaliação no Enade é um elemento importante para que a sociedade tome partido da universidade pública e atue na construção de um argumento contrário à privatização”, afirma o pró-reitor de graduação da UFF. Bons resultados no Enade tendem, portanto, a aumentar significativamente os recursos repassados pelo Ministério da Educação (MEC) às universidades federais para serem empregados em mais e melhores programas acadêmicos, moradias estudantis, restaurantes universitários e instalações físicas em geral. “Quanto maiores os conceitos obtidos no exame por cada curso, mais recursos a universidade federal obterá para garantir, oferecer e sustentar a qualidade dos serviços prestados à comunidade”, analisa Marcelo. Já para o pró-reitor de Graduação José Rodrigues de Farias Filho, a obtenção de boas notas no Enade envolve aspectos que vão desde a atração de novos estudantes até a sinalização de ajustes necessários à melhoria dos projetos pedagógicos dos cursos e da formação acadêmica. Ele destaca, ainda, a valorização do diploma e, consequentemente, o aumento da visibilidade do curso e das possibilidades de empregabilidade dos estudantes de um curso com bom conceito. O Enade também é a base de cálculo do Conceito Preliminar de Curso (CPC), utilizado como parâmetro para diversos fins, dentre eles, a renovação de reconhecimento de cursos de graduação pelo MEC. Todos esses dados são públicos e abertos à sociedade, que por meio deles avalia a qualidade dos cursos oferecidos por uma Instituição de ensino superior pública ou privada. Os resultados adquiridos no exame são usados como parâmetro de avaliação das instituições e cursos de graduação superior no país. E, no caso das universidades públicas de ensino superior, podem ainda verificar a eficiência da aplicação dos recursos provenientes dos impostos. Segundo José Rodrigues: “A boa avaliação da UFF no Enade consolida e fortalece a ideia de uma universidade pública de qualidade. É um elemento importante para que a sociedade tome partido da universidade pública e atue na construção de um argumento contrário à privatização”. Entre os cursos da UFF habilitados ao Enade 2017 estão: O Enade não é apenas uma medida de avaliação externa. A prova é também um mecanismo de “feedback" das condições de formação dos estudantes egressos dos cursos avaliados. Com ele, as instituições de ensino podem avaliar seus projetos pedagógicos, a pertinência das suas matrizes curriculares e, inclusive, através da análise das respostas ao Questionário do Estudante, a percepção destes quanto a diversos aspectos da vida acadêmica. Com isso, o diretor da Divisão de Avaliação da UFF destaca a importância de realizar a prova de maneira responsável. “Responder adequadamente aos questionamentos - especificamente a avaliação contida no Questionário do Estudante - é uma forma de garantir, manter e sustentar uma universidade pública integralmente financiada com recursos públicos e até melhorar o perfil de nosso orçamento e, por conseguinte, dos serviços prestados a comunidade”, garante Linhares. Dessa forma, os “boicotes”, que são ações políticas organizadas pelos estudantes, têm grande impacto negativo para as instituições. “Se os resultados individuais são ruins, seja por incapacidade ou ação política dos estudantes, o curso e a instituições de ensino tendem a ser penalizados administrativamente pelo MEC e principalmente estigmatizados pela sociedade como maus cursos de graduação. No caso de cursos em universidades públicas, passam a ser vistos como um mau investimento, que eventualmente deve ser revisto. Há, portanto, nesse caso um dano de longo prazo, que pode até ser irreversível”, alerta o diretor. Para Linhares, esse tipo de ação diminui o conceito Enade e, por conseguinte, o Indicador de Diferença dentre os Desempenhos Observado e Esperado (IDD), o Conceito Preliminar de Curso (CPC) e o Índice Geral de Cursos (IGC), interferindo na composição da matriz orçamentária. Assim, a instituição deixa de contar com mais recursos que poderiam ser investidos em melhorias de programas acadêmicos, infraestrutura e outros fatores. A prova do Enade 2017 será realizada no dia 26 de novembro e, além disso, os estudantes concluintes precisam acessar o site do Inep para completar o cadastro e responder ao Questionário do Estudante. Para evitar dúvidas, a Pró-Reitoria de Graduação disponibilizou no site da UFF uma seção dedicada ao Enade, inclusive com diversas perguntas frequentemente elaboradas por toda a comunidade.
Conceito Preliminar de Curso - CPCO Conceito Preliminar de Curso (CPC) é um indicador de qualidade que avalia os cursos superiores. Ele é calculado no ano seguinte ao da realização do Enade de cada área, com base na avaliação de desempenho de estudantes, corpo docente, infraestrutura, recursos didático-pedagógicos e demais insumos, conforme orientação técnica aprovada pela Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior (Conaes). O CPC, assim como o Conceito Enade, também é calculado por Unidade de Observação e é divulgado anualmente para os cursos que tiveram pelo menos dois estudantes concluintes participantes e dois estudantes ingressantes registrados no Sistema Enade. Os cursos que não atendem a estes critérios não têm seu CPC calculado, ficando Sem Conceito (SC). O CPC dos cursos com oferta nas modalidades presencial e a distância é divulgado de maneira unificada, considerando a soma dos estudantes das duas modalidades e seus respectivos resultados. Para um entendimento detalhado de como o cálculo do CPC é feito, consulte a Nota Técnica ou Metodológica referente ao ano desejado. Mais detalhes
Importância do ENADE Para a Instituição, seus cursos e para os estudantes Muito se questiona sobre a utilização do ENADE como medida ou ferramenta válida para avaliar cursos de graduação ou ainda o método de sua aplicação. Todavia o ENADE tem enorme importância na avaliação das IES pelo SINAES, principalmente pelo peso relativo que tem no cômputo dos conceitos avaliativos dos cursos e da própria IES. Ele é um componente da avaliação que sozinho corresponde a cerca de 55% do CPC – Conceito Preliminar de Curso – uma das modalidades de avaliação do SINAES. Nas Instituições Federais de Educação Superior como a UFF, os bons resultados obtidos no ENADE, refletem na média dos conceitos dos cursos, essa média tem grande representatividade no Conceito Institucional no SINAES (o, no caso da UFF, responde por cerca de 40% do IGC – Índice Geral de Cursos). E o ICG representa hoje um acréscimo de até 20% no orçamento institucional. Bons resultados no ENADE, tendem, portanto, a aumentar significativamente os recursos repassados pelo MEC para serem empregados em mais e melhores programas acadêmicos, mais e melhores moradias estudantis, mais e melhores restaurantes universitários e instalações físicas em geral. Quanto maior os conceitos ENADE obtidos por cada curso, mais recursos a universidade federal obterá para garantir, oferecer e sustentar a qualidade dos serviços prestados à comunidade. A importância do ENADE ganha significado também na visibilidade do curso pela sociedade, tendo em vista a forma como a mídia tem dado destaque aos seus resultados desde sua implantação e, principalmente, que a sociedade já assimilou os resultados do ENADE como principal parâmetro de avaliação das instituições e cursos de graduação superior no país. Diferentemente do que nos acostumamos a pensar a educação superior brasileira não é gratuita. Ela custa caro e é integralmente financiada pela sociedade através dos impostos pagos. Bons resultados no ENADE passam uma mensagem positiva e reconfortante a sociedade brasileira que financia a educação superior pública através de uma carga tributária significativa. Outro aspecto importante relacionado ao ENADE, é que este exame é a base de cálculo do Conceito Preliminar de Curso (CPC), utilizado como parâmetro para diversos fins, dentre eles a Renovação de Reconhecimento de cursos de graduação. Todos esses dados são públicos, abertos a sociedade que por meio deles avalia a qualidade dos cursos oferecidos por uma Instituição de Ensino Superior pública ou privada. E no caso das instituições públicas de ensino superior podem verificar de modo relativo a eficiência da aplicação dos recursos provenientes dos impostos que a financiam. Mas o ENADE não é apenas uma medida de avaliação externa. É um importante, porém não exclusivo, mecanismo de "feedback" das condições de formação dos estudantes egressos dos cursos avaliados. Com ele as IES podem avaliar relativamente às demais IES os seus Projetos Pedagógicos de Curso, a pertinência das suas matrizes curriculares e, inclusive, através da análise das respostas ao Questionário do Estudante, a percepção destes quanto a diversos aspectos da vida acadêmica. Particularmente, para o estudante, o ENADE tem importância quanto a pronta emissão e ao "valor" de seu diploma no mercado de trabalho. Outro aspecto não menos importante para o estudante e relacionado com tudo que dissemos é a responsabilidade social que a avaliação pelo ENADE se reveste. Participar do ENADE; fazer aprova diligente e responsavelmente; responder adequadamente aos questionamentos; especificamente a avaliação contida no Questionário do Estudante são formas de garantir, manter e sustentar uma Universidade Pública integralmente financiada com recursos públicos e até melhorar o perfil de nosso orçamento e, por conseguinte, dos serviços prestados a comunidade. Apresentar a qualidade do trabalho aqui realizado à sociedade, garantir que nossos irmãos, filhos e netos poderão desfrutar de uma universidade gratuita, que não obstante todas as dificuldades e fragilidades, consegue formar egressos de alto nível. No entanto, para que tudo funcione a contento é necessário que todos cumpram rigorosa e criteriosamente suas responsabilidades no ENADE.
Exame Nacional de Avaliação do Desempenho dos Estudantes - ENADE  Instituído pela Lei 10.861/2004 – Lei do SINAES, o Exame Nacional de Avaliação do Desempenho dos Estudantes foi criado com o objetivo de aferir o desempenho dos estudantes da educação superior em relação aos conteúdos programáticos previstos nas diretrizes curriculares do respectivo curso de graduação, bem como suas habilidades de ajustamento  às demandas decorrentes da evolução do conhecimento e as competências necessárias para compreensão de temas exteriores ao campo específico de sua profissão, ligados a realidade nacional e a demais áreas do conhecimento. O ENADE é, portanto, uma ferramenta que busca avaliar os cursos de graduação a partir das habilidades agregadas  e competências adquiridas pelos estudantes desses cursos, observados a partir de uma prova elaborada tendo em vista exprimir às habilidades e competências esperadas conforme as Diretrizes Curriculares Nacionais de cada curso. A realização do exame é efetuada pelo INEP anualmente a estudantes das áreas selecionadas, definidos através de portarias sendo de aplicação trienal para os estudantes do primeiro e do último ano de cada curso avaliado, garantida uma nova aplicação em tais áreas em um prazo máximo de três anos. Os estudantes são alocados para efeito do exame como INGRESSANTES ou CONCLUINTES tendo em vista a carga horária integralizada. São considerados INGRESSANTES os alunos do primeiro ano e matriculados no ano da avaliação; são considerados CONCLUINTES aqueles estudantes do último ano que tenham integralizado mais de oitenta por cento (80%) para baharelados e licenciaturas ou mais de setenta e cinco por cento (75%) nos cursos superiores em tecnologia (CST) da carga horária total do curso. Além da prova, a Lei do SINAES estabelece a aplicação aos estudantes de “instrumento destinado a levantar o perfil dos estudantes, relevante para a compreensão de seus resultados”, ou seja, um questionário de preenchimento pelo estudante que busca levantar suas informações socioeconômicas e acadêmicas; e outro específico, coletado nos quinze dias subseqüentes à prova via Internet, a ser preenchido pelo Coordenador do Curso que tem por objetivo reunir informações que contribuam para a definição do perfil do curso. Também é estabelecida em lei a necessidade de se considerar a realização do exame como componente curricular obrigatório, sendo inscrita no histórico escolar apenas sua situação regular com relação a obrigação de participar do exame, atestada pela sua efetiva participação ou dispensa pelo MEC, se for o caso. A prova do ENADE é, desde 2011, aplicada apenas aos estudantes concluintes. Os ingressantes, não precisão fazer o exame, embora precisem ser devidamente inscritos para que o INEP possa utilizar os resultados do ENEM para efeito de comparação estatística. As provas são elaboradas pelas Comissões Assessoras de Área, cuja atribuição principal é definir as competências, conhecimentos, saberes e habilidades a serem avaliadas e todas as especificações necessárias à elaboração da prova a ser aplicada no ENADE, sendo compostas por professores de IES públicas e privadas oriundas das diversas regiões do país. A nota do ENADE é resultado dos valores padronizados das médias das provas: componente geral e componente específico. A Lei do SINAES estabelece que o desempenho dos alunos de cada curso no ENADE deve ser expressa por meio de conceitos em escala de 5 níveis. Saiba mais!
ENADE Perguntas mais frequentes para alunos e coordenadores de curso   Exame Nacional de Avaliação do Desempenho dos Estudantes - ENADE Importância do ENADE para Estudantes, IES e Sociedade Responsabilidades no ENADE Informações sobre o ENADE 2019 Consulta situação de regularidade dos estudantes em edições até 2016 Consulta situação de regularidade dos estudantes em edições a partir de 2017 Provas e gabaritos de anos anteriores