reitoria

Em reunião na reitoria nessa quinta-feira, 04 de julho, foi entregue documento assinado por cinco ex-reitores da Universidade Federal Fluminense em defesa da instituição. No encontro, os professores Cícero Mauro Fialho e Hildiberto Ramos Cavalcanti de Albuquerque Jr. representaram os ex-reitores que prepararam a carta. O ato foi uma reflexão sobre o processo histórico da Universidade, sua ligação com a sociedade e o Estado, bem como uma manifestação de solidariedade frente aos desafios contemporâneos.

Em abril de 2019, o Ministério da Educação anunciou o bloqueio de cerca de 30% do orçamento discricionário das universidades federais brasileiras. Na Universidade Federal Fluminense, esse percentual representa um montante de R$ 52 milhões. Antes mesmo desse anúncio, nossa situação orçamentária e financeira já era muito difícil, com dívidas acumuladas ao longo dos últimos anos, desde quando tivemos nosso orçamento congelado em valores menores do que o custo do nosso funcionamento.

O dia 6 de dezembro de 2018 foi histórico para a UFF. Em uma noite emocionante, a universidade celebrou com toda a comunidade a chegada de um novo ciclo de sua gestão, com a transmissão do cargo de reitor para Antonio Claudio Lucas da Nóbrega e o vice Fabio Barboza Passos. A cerimônia ocorreu após a assinatura do termo de posse no Ministério da Educação, em Brasília, no dia 27 de novembro.

No dia 27 de novembro de 2018, o novo reitor da Universidade Federal Fluminense, Antonio Claudio Lucas da Nóbrega, assinou o termo de posse para seu mandato do próximo quadriênio (2018-2022). A cerimônia oficial no Ministério da Educação foi uma celebração da escolha da comunidade interna da UFF, que elegeu Antonio Claudio como reitor e Fabio Passos como vice-reitor.

Nos dias 13 e 14 de junho, o reitor da Universidade Federal Fluminense, Sidney Mello, e o reitor eleito, Antonio Claudio Lucas da Nóbrega, cumpriram agenda pública em Brasília para estruturar a transição da administração e planejar ações concretas para o quadriênio 2018-2022. Os reitores foram recebidos pelo Presidente da República, Michel Temer, e pelos ministros da Saúde, Gilberto Occhi, da Educação, Rossieli Soares, e das Cidades, Alexandre Baldy.

Cumprindo nosso papel de gestores das Instituições Federais de Ensino Superior (IFES), manifestamos publicamente nosso apoio e solidariedade à Universidade Federal Fluminense (UFF) pelo desligamento abrupto, feito pela Enel, da energia do seu prédio de administração central. Com consternação e preocupação, recebemos a informação da interrupção do fornecimento de serviços básicos da universidade, ato descompromissado que atinge mais de 60 mil pessoas.

Em relação a uma reclamação postada esta semana no Facebook, a respeito de carros estacionados irregularmente em cima da calçada no jardim da Reitoria, a Universidade Fluminense esclarece que desde a última quinta-feira, dia 06/04, foram deliberadas novas instruções aos vigilantes de plantão, a fim de coibir a entrada e permanência de veículos em cima e nas laterais das calçadas no local.

A Pró-Reitoria de Planejamento lamenta informar que, devido à invasão do prédio da Reitoria pelo Sintuff, poderá haver atraso no pagamento dos salários referentes ao mês de outubro.

Na última sexta-feira, 23 de setembro, na sala dos Conselhos, foi oficializada a entrega de propostas elaboradas pelo Grupo de Trabalho (GT) criado com o objetivo de regulamentar a jornada de trabalho e frequência dos funcionários técnico-administrativos de toda a UFF, incluindo das unidades de ensino de todos os campi, reitoria e os servidores do Hospital Universitário Antônio Pedro (Huap) regidos pela Lei Nº 8.112/90.

Páginas

Subscrever reitoria