conflitos urbanos

São Gonçalo, a segunda maior cidade do estado do Rio, é frequentemente associada ao trânsito caótico e desorganizado. Entretanto, por de trás disso, existem facetas que podem passar despercebidas na rotina do tráfego. Uma delas é a atuação da Guarda Civil na cidade, que tem como um de seus propósitos a administração de conflitos. É sobre isso que reflete a antropóloga Talitha Rocha em “Quem dirige em São Gonçalo dirige em qualquer lugar”, novo livro da Eduff.

Nos jornais, todos os dias manchetes estampam agressões e diferentes formas de violência que, infelizmente, são cotidianas. Em um dos últimos casos, uma adolescente de 13 anos foi morta após ser baleada dentro da sua escola, em Acari, Zona Norte do Rio de Janeiro. Para refletir sobre os conflitos dessa natureza,  os professores Simoni Lahud Guedes e Edilson Márcio Almeida da Silva organizaram a obra “Conflitos Sociais no Espaço Urbano”, recém-lançada pela Eduff.

A Livraria Icaraí abre as portas para o lançamento do livro "Pensando o Rio - Políticas públicas, conflitos urbanos e modos de habitar", no dia 13 de novembro, a partir das 18h. A coletânea, publicada pela editora Intertexto, reúne os resultados de um projeto financiado pela Faperj e desenvolvido por pesquisadores do Instituto Nacional de Estudos Comparados em Administração Institucional de Conflitos da UFF (Ineac/UFF).

A Livraria Icaraí abre as portas para o lançamento do livro "Pensando o Rio - Políticas públicas, conflitos urbanos e modos de habitar", no dia 13 de novembro, a partir das 18h. A coletânea reúne resultados de um projeto financiado pela Faperj e desenvolvido por pesquisadores do Instituto Nacional de Estudos Comparados em Administração Institucional de Conflitos da UFF (Ineac/UFF).

Subscrever conflitos urbanos