Prefeitura de Niterói e UFF assinam cooperação com investimento de R$ 30 milhões em pesquisa, extensão e inovação

Print Friendly, PDF & Email

Assinatura do Programa de Incentivos a Projetos Aplicados e Fomento à Inovação

Crédito da fotografia: 
Ingrid Telino

Valores serão destinados a projetos que apresentem soluções relacionadas a desafios prioritários da cidade

 

A Prefeitura Municipal de Niterói e a Universidade Federal Fluminense celebraram oficialmente o Programa de Incentivos a Projetos Aplicados e Fomento à Inovação nessa manhã de 28 de novembro. Por meio do programa, a Prefeitura investirá R$ 30 milhões de reais em iniciativas de pesquisa, extensão e inovação que apresentem soluções aplicadas para problemas concretos da cidade. Os objetivos foram determinados participativamente por meio de consulta pública à sociedade niteroiense. Os projetos terão duração de três anos a partir de abril de 2020.

O programa faz parte do Plano Estratégico Niterói que Queremos 2033, alinhado com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas. O cronograma já está em andamento. Na primeira quinzena de dezembro, será composto um comitê para preparação do edital e as bancas de seleção de projetos. O edital será publicado na segunda quinzena de dezembro e as inscrições estarão abertas até fevereiro. Em março, acontece o processo seletivo e em abril serão assinados os instrumentos jurídicos para execução dos projetos.

Para o reitor da UFF, Antonio Claudio Lucas da Nóbrega, o Programa de Incentivos a Projetos Aplicados e Fomento à Inovação representa uma nova forma de relacionamento entre os órgãos públicos para solução de problemas concretos e socialização do conhecimento acadêmico. “Estamos seguindo conceitos consagrados da cooperação entre a chamada tripla hélice, governo, universidade e empresas, para fomentar pesquisa, extensão e inovação. Consultei outros reitores e é um modelo de parceria inovador pela sua proposta e investimento, que certamente será exemplo para outras cidades e universidades”, conta Antonio Claudio.

Segundo o prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, o programa representa uma priorização da importância da ciência, tecnologia e inovação para o desenvolvimento autônomo, estável e soberano. “Em um contexto escandaloso de queda no fomento federal, estamos investindo média de R$ 10 milhões de reais anualmente até 2023. Contando com os aportes na finalização da construção do Instituto de Arte e Comunicação Social e recuperação do Cinema Icaraí, é um ato de governo claro em defesa do conhecimento, das instituições e da democracia. Esperamos que a sociedade niteroiense aproveite os resultados dos projetos que nascerão dessa parceria”, disse o prefeito.

Demandas relacionadas a objetivos estratégicos de consulta pública

Em consulta pública, a sociedade niteroiense sugeriu sete objetivos estratégicos que orientam as linhas a serem desenvolvidas. “Esses são pontos que a própria população de Niterói considerou relevantes para se viver e ser feliz na cidade. Não é um plano de gestão, mas uma visão de futuro coletiva de longo prazo. São projetos que vão criar as bases de desenvolvimento estável até 2033”, afirma Rodrigo Neves.

Os objetivos e focos são:

  • Niterói Organizada e Segura: Mobilidade, Desenvolvimento e Ordenamento Urbano; Prevenção e Segurança
  • Niterói Saudável: Saúde, Saneamento e Gestão de Resíduos
  • Niterói Escolarizada e Inovadora: Educação; Ciência e Tecnologia
  • Niterói Próspera e Dinâmica: Desenvolvimento Econômico, Inserção Produtiva
  • Niterói Vibrante e Atraente: Meio Ambiente; Lazer e Esporte; Cultura e Entretenimento
  • Niterói Inclusiva: Igualdade de Oportunidades
  • Niterói Eficiente e Comprometida: Gestão Pública, Participação Cidadã, Integração Regional

As propostas a serem submetidas deverão demonstrar a relevância enfatizando os impactos para Niterói em relação aos eixos da Niterói que Queremos e dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Onu.

Fomento à pesquisa e inovação

De acordo com o secretário de Planejamento de Niterói, Axel Grael, a visão da Niterói que Queremos será desenvolvida pela parceria com a UFF para potencializar a solução de problemas concretos de Niterói. “Esta proposta está sendo transformada em programas com critérios, procedimentos, governança, cronograma e responsáveis. Dessa forma, vamos entregar de volta para a sociedade niteroiense projetos que trarão impacto direto”.

Para o professor de Educação da UFF e deputado estadual, Waldeck Carneiro, o programa é o ápice de um longo planejamento institucional e envolvimento pessoal na elaboração de políticas educacionais, científicas e tecnológicas no município. “O que está acontecendo hoje é um marco para a história da UFF e de Niterói. Apresentamos um programa maduro nesse momento de desinvestimento em ciência”.

Para submeter um projeto, as equipes deverão ser compostas por, no mínimo, dois pesquisadores. Cada equipe será liderada por um professor doutor com vínculo efetivo com a UFF. Estarão aptos a participar da seleção: professores, graduandos, mestrandos, doutorandos, pós-doutorandos e apoio técnico especializado.

Fomento ao empreendedorismo e inovação

Além disso, a parceria prevê o Ecossistema de Inovação, que fomenta um gabinete de inovação entre a Prefeitura de Niterói e a UFF. De acordo com a secretária da Fazenda de Niterói, Giovanna Victer, o programa estimula a geração de ideias de negócio, aceleração e incubação de startups. “Teremos duas áreas de atuação prioritárias: Cidades Inteligentes e Inovadoras; e Economia do Mar. A ideia é gerar novas empresas em áreas estratégicas e capacitar empreendedores. É uma proposta inovadora de criar um cluster de inovação em cooperação com a UFF”, explica.

O fomento à inovação terá edital específico, em parceria com a Agência de Inovação da UFF. O processo envolverá ideação, pré-incubação, incubação, aceleração e a graduação final, com apresentação de relatório listando as conclusões, desafios e próximas etapas. Das 30 empresas selecionadas, 22 serão incubadas, recebendo cada empresa um investimento de R$ 60 mil reais; e outras oito serão aceleradas, recebendo R$ 80 mil reais. “Também está previsto um plano para o futuro. Caso o negócio seja promissor e necessite de um investimento adicional, haverá a possibilidade de financiar até 100 mil reais o projeto”, detalha Giovanna Victer.

Próximos passos

Em dezembro, haverá intensiva divulgação dos editais e dos objetivos dos programas, com workshops e comunicação digital. A Universidade Federal Fluminense convida toda a sua comunidade a ficar atenta nas novidades e atualizações para participar de forma engajada na proposição de projetos e na socialização do conhecimento.

Localidade: 

Compartilhe