UFF mobiliza comunidade universitária para combate ao mosquito ‘Aedes aegypti’

Print Friendly, PDF & Email

O mosquito “Aedes aegypti”, transmissor da febre amarela, dengue, febre chikungunya e zika, não podia imaginar que ao mexer com quem estava aparentemente quieto, acabaria por deflagrar uma grande campanha de combate à sua espécie. Resultado: desde o dia 12 de janeiro, a UFF, em parceria com a Fundação Municipal de Saúde de Niterói, por meio do Departamento de Vigilância Sanitária e Controle de Zoonoses (Devic), vem desenvolvendo ações educativas junto à comunidade universitária no sentido de orientar servidores técnico-administrativos, alunos, professores e funcionários terceirizados, que somam 65 mil pessoas, quanto à identificação e eliminação de possíveis focos do vetor, em todas as unidades. 

Por conhecer todos os espaços dos “campi” da UFF, o professor de Veterinária e ex-prefeito Universitário Mário Augusto Ronconi foi indicado pelo reitor Sidney Mello para liderar as ações de combate ao mosquito. A universidade, por sua vez, mobilizou seus funcionários terceirizados, responsáveis pela conservação das áreas verdes, para que identifiquem e retirem todos os utensílios encontrados nos “campi”, que possam acumular água, tornando-se ambientes propícios para a procriação do inseto.

A parceria da UFF e Prefeitura de Niterói, segundo Ronconi, tem permitido realizar ações que incluem também aplicação de larvicidas em forma de pastilhas (que garantem efeito prolongado) e o combate ao mosquito adulto com inseticidas, por meio do carro “Fumacê”. O trabalho se estende também à eliminação de roedores, com a aplicação de raticidas em forma de tabletes (iscas), nas “ninheiras” encontradas nos “campi”.

Educação e informação

A estratégia de combate aos focos do mosquito reúne duas principais aliadas no trabalho de eliminação do “Aedes aegypti”: educação e informação. Para aproveitar o momento das ações, as equipes da UFF e do Devic distribuem aos servidores, alunos e professores panfletos com orientações a respeito do controle do inseto. Palestras educativas serão realizadas em todas as unidades, em data, horário e locais a serem definidos.

No dia 29 de janeiro, foram realizadas ações no Hospital Universitário Antônio Pedro (Huap), que se estenderam às obras dos prédios das faculdades de Medicina e Direito, bem como no Instituto de Arte e Comunicação Social (Iacs). Nessa ocasião, houve a passagem do carro “Fumacê”, além da distribuição de folhetos, afixação de cartazes, aplicação de larvicidas, recolhimento de utensílios e retirada de lixo. A operação, que faz parte do Plano de Ação do Ministério de Educação, foi realizada por equipes da Prefeitura Universitária (Preuni), Superintendência de Arquitetura e Engenharia (Saen) e Devic.

Comitê Temático

As ações de combate ao “Aedes aegypti” serão desenvolvidas durante todo o ano de 2016, mantendo a comunidade universitária em alerta e mobilizada. Para isso, o reitor constituiu um Comitê Temático, que dará suporte aos trabalhos de prevenção e eliminação do vetor nos “campi” da UFF em Niterói, Angra dos Reis, Campos dos Goytacazes, Rio das Ostras, Macaé, Santo Antônio de Pádua, Nova Friburgo, Volta Redonda, Petrópolis, Cachoeira de Macacu e Iguaba.

O comitê é formado por Mario Augusto Ronconi; engenheiro Oscar Manoel Erthal de Souza, representante da Prefeitura Universitária; Beatriz Maria Tiengo Forte, da Pró-Reitoria de Administração; médica da Coordenação de Atenção Integral à Saúde e Qualidade de Vida da UFF Fátima de Azevedo Loureiro; professor e superintendente de Comunicação Social, Afonso de Albuquerque; servidor Bruno Leonardo Brito Vicente, da Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis; e professor Antonio de Souza Boechat, da Pró-Reitoria de Extensão.

Grande área: