Eu sou: Técnico | Docente | Estudante

Sustentabilidade: UFF realiza primeiro ato de eliminação de documentos destinados à reciclagem

Documentos arquivados na SDC Foto: Flickr Oficial da UFF

A Pró-Reitoria de Extensão (Proex), em parceria com a Coordenação de Arquivos da Superintendência de Documentação (CAR/SDC), nesta terça-feira, 26 de maio, às 10h30, no Centro de Reciclagem Rio (CRR), Rua Barão de São Gonçalo, 311, Neves, São Gonçalo, promove o primeiro ato de eliminação física de documentos constantes das listagens aprovadas pela Comissão Permanente de Avaliação de Documentos.

O ato será aberto ao público e contará com a presença do pró-reitor de Extensão, Wainer da Silveira e Silva; da superintendente de Documentação, bibliotecária e mestre em Ciência da Informação, Déborah Motta Ambinder de Carvalho, responsável pelo Sistema de Bibliotecas e Arquivos da UFF; das coordenadoras do programa Maria Lucia Melo Teixeira de Souza e Anna Silvana Cavalieri, ambas da Proex; e do coordenador de Arquivos, arquivista e mestrando em Gestão de Documentos e Arquivos, Igor José de Jesus Garcez.

Trata-se de uma atividade do Programa Ações Sustentáveis Junto à Comunidade da UFF, que teve inicio em 2011, obedecendo ao Decreto Presidencial nº 5.940/2006. O programa busca desenvolver na comunidade acadêmica, que reúne professores, alunos, servidores técnico-administrativos e profissionais terceirizados, a sensibilização ambiental, divulgando a importância da reciclagem e da preservação do meio ambiente. Além disso, visa à criação de projetos que adotem estratégias ecologicamente corretas (econômicas, ambientais e sociais), a fim de aumentar a eficiência no uso da matéria-prima por meio da não geração, minimização ou reciclagem de resíduos gerados num determinado processo, disse a coordenadora adjunta do programa, Anna Silvana Cavalieri.

Segundo a coordenadora do programa, coordenadora de Difusão e Fomento à Extensão e substituta do pró-reitor de Extensão, Maria Lucia Melo Teixeira de Souza, o fato de que, apesar do grande desenvolvimento tecnológico que possibilita inegavelmente um direcionamento de melhores condições de vida para o homem, pouco se faz e até se discute na área de tratamento dos resíduos sólidos produzidos pela população mundial. “Sabemos da existência de algumas ações brasileiras de excelente qualidade apontando nessa direção”, disse. O número delas, entretanto, torna-se apenas bons modelos que, infelizmente, deixam de ser reproduzidos, devido às grandes barreiras a serem ultrapassadas.

“Assim, na certeza de que a dívida é também nossa, tanto por sentir-nos capazes de reconhecer as omissões, quanto por estarmos inseridos em um espaço ideal às realizações – quer como docentes, discentes, técnicos e prestadores de uma instituição de ensino superior, quer como membros de uma sociedade que visa ao bem-estar do cidadão – fomos levados a elaborar uma proposta que consideramos capaz de atender de forma consciente à comunidade da Universidade Federal Fluminense em Niterói e nas demais cidades onde atua”, explicou Maria Lúcia.

Ainda segundo a coordenadora, nesse panorama de importância ambiental criado na universidade, surgem diversos projetos que buscam melhores formas de proteção ao meio ambiente. Dentro desses se incluem o Projeto de Descarte de Documentos do Sistema de Bibliotecas e Arquivos da Superintendência de Documentação da UFF.

Recentemente, a UFF, por iniciativa da Proex, assinou convênio com a Cooperativa de Catadores de Niterói (Coopcanit), e dentre as várias ações dessa parceria está o descarte de material do Arquivo Central da UFF. Cabe destacar que, por se tratar de uma cooperativa, o valor do material processado será dividido entre os cooperativados, já que é proibida a venda de papéis adquiridos com recursos públicos.

Neste sentido, a UFF contribui para a redução do impacto no acúmulo de papéis que não têm mais valor administrativo ou legal para a instituição, e por serem considerados resíduos, devem ser tratados de forma sustentável para que não sejam jogados no meio ambiente sem o devido cuidado. Por isso, há a preocupação de se renovar estes resíduos (reciclagem) para que sejam reutilizados, evitando a possibilidade de um esgotamento de nossos recursos naturais. A universidade se preocupa com o desenvolvimento sustentável de seus recursos e a produção de documentos está inserida nesse processo, acrescentou a superintendente de documentação, Déborah de Carvalho.

A eliminação física dos documentos já destituídos de valor, de acordo com os instrumentos legais disponíveis, é uma das ações sustentáveis realizadas no âmbito do Sistema de Bibliotecas e Arquivos da Superintendência de Documentação. A responsabilidade ambiental se dá a partir do momento em que existe a preocupação com a sustentabilidade, e a conscientização do modo com que devemos cuidar do meio ambiente. No caso da eliminação física dos documentos da UFF, a CAR/SDC se preocupa em não atingir o meio ambiente fragmentando mecanicamente os papéis. Assim, não há impacto negativo com relação à poluição do ar, das águas e de outros recursos naturais.

Déborah de Carvalho destaca que os documentos produzidos e recebidos pela universidade são contínuos e que, após cumprirem os trâmites administrativos nas unidades, são transferidos para a CAR/SDC, onde são avaliados e submetidos à aprovação da Comissão Permanente de Avaliação de Documentos (CPAD) da UFF. Portanto, não há como estimar quantos atos como esse serão realizados anualmente pela CAR/SDC.

Embora o evento seja realizado na cidade de São Gonçalo, a CAR/SDC recebe documentos de todas as unidades da UFF mediante solicitação de assessoria técnica, às quais a equipe do arquivo vai para realizar um diagnóstico e orientações técnicas quanto à organização e tratamento dos documentos.