Alunos da UFF se destacam na Maratona de Negócios da Campus Party

Print Friendly, PDF & Email

Foto: Reprodução/Campus

Dois projetos apresentados por alunos e egressos da UFF se destacaram na Maratona de Negócios da oitava edição da Campus Party Brasil (CPBR-8), realizada em São Paulo na semana passada. Apresentado pelos egressos Guilherme Lopes (minor em Empreendedorismo), Priscila Mana Vaz (Estudos de Mídia) e Bruno Souza (Economia), o projeto Aprenda e Empreenda conquistou o primeiro lugar geral e na Maratona de Empreendimento Social. Além disso, o projeto PinkDollar, apresentado por Janderson Pereira Toth (Estudos de Mídia e minor em Empreendedorismo) e Mateus William (Artes), foi um dos cinco classificados para a fase final do concurso na Maratona de E-commerce.

A Maratona de Negócios é realizada pela Campus Party Brasil desde sua sexta edição. Neste ano, foram apresentados 250 projetos, divididos em cinco categorias. Desses, 110 foram selecionados para a CPBR-8 e 25 (cinco por categoria) para a fase final. O evento é patrocinado pelo Sebrae e avalia as iniciativas com base no seu valor de inovação e na sua aplicabilidade concreta.

A proposta de "Aprenda e Empreenda" é estimular atitudes empreendedoras entre os adolescentes. Para isso, combina dois tipos de conteúdos: material audiovisual disponibilizado gratuitamente no YouTube e cursos on-line pagos, cujo acesso é vendido às escolas. Mais do que um projeto, é uma iniciativa em andamento e já atinge um público de cerca de 90 mil pessoas na internet, com entrevistas com empreendedores e vídeos sobre atitudes empreendedoras. A premiação deu novo fôlego ao trabalho: o prêmio de R$ 10 mil será investido na veiculação de cursos on-line. “Nosso projeto tem uma grande capacidade de impactar a vida de muitos adolescentes, e isso nos deixa muito motivados a seguir em frente”, disse Guilherme Lopes.

Já a ideia por trás do projeto PinkDollar é elaborar um e-commerce voltado para o consumidor LGBT. Janderson Toth explica que o mercado do e-commerce para esse público é um dos que mais cresce no mundo, e o Brasil apresenta, a esse respeito, um enorme potencial de crescimento, mas para explorá-lo é preciso ir além do foco nos produtos e entender este público. Para Toth, criar um e-commerce LGBT não é uma questão de mix de produtos e, sim, a compreensão de um estilo de vida. “A aprendizagem e o resultado que alcançamos só nos motivou ainda mais a colocar a startup no ar o mais rápido possível.”

Ao lado da garra e da perseverança, fundamentais para quem quer começar o seu negócio, Priscila destaca a formação sólida oferecida pelos cursos da UFF como um elemento central para o sucesso do seu grupo. Essa formação é reforçada pelo curso minor em Empreendedorismo e pela Incubadora de Empresas da UFF. Mantida pela Agência de Inovação da UFF, a incubadora tem como objetivo criar condições para que o conhecimento adquirido na universidade possa servir de base a uma atitude empreendedora por parte dos alunos. “Acreditamos que trabalhar para os outros não é, nem deve ser, o único caminho para os universitários. Queremos criar oportunidades para que nossos alunos possam abrir seu próprio negócio”, explicou o diretor da Incubadora, Francisco Batista.

Público-alvo: