Eu sou: Técnico | Docente | Estudante

UFF mapeia tecnologias sociais desenvolvidas por sua comunidade

Tecnologia social

Professores, servidores técnico-administrativos e alunos da UFF têm até o dia 30 de abril para realizar inscrição no Mapeamento de Tecnologias Sociais, promovido pela Divisão de Inovação e Tecnologias Sociais da Agência de Inovação (Agir), vinculada à Pró-reitoria de Pesquisa, Pós-graduação e Inovação (Proppi). O levantamento busca identificar, mapear, documentar, catalogar e divulgar soluções inovadoras desenvolvidas em diferentes áreas do ensino, pesquisa e extensão da universidade.

As informações levantadas serão utilizadas na elaboração do Catálogo de Tecnologias Sociais da UFF, publicação pioneira em todo o Brasil. O mapeamento, documentação e divulgação dos dados apurados darão visibilidade às experiências de tecnologia social já realizadas pela universidade ou ainda em fase de desenvolvimento, criando o que os organizadores chamam de “Memória da UFF”. Isso se dará a partir das iniciativas registradas e permitirá que os produtos, processos, metodologias, serviços e técnicas mapeadas possam ser objeto de reaplicação e intercâmbio com diferentes áreas da instituição e da sociedade.

O diretor da Agir e coordenador do Núcleo de Estudos em Políticas Públicas para a Inovação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj), Thiago Borges Renault, afirma que hoje em dia a transferência de tecnologias tem causado impacto significativo em diferentes áreas como: infraestrutura, biotecnologia e de software, por exemplo, e quase sempre com fins mercadológicos. No entanto, na contramão desse pensamento, a UFF buscou o que ele chama de “desbalanceamento dessa estrutura amadurecida”, ou seja, passou a investir e incentivar pesquisas e trabalhos nas áreas de ciências humanas, sociais e aplicadas, como psicologia, educação, saúde, segurança pública, etc.

O catálogo será uma importante fonte de informação e pesquisa na área das tecnologias sociais", garante Luciane Patricio.

“A realização de dois fóruns de inovação, em 2015 e 2016, que resultaram em quatro reuniões importantes nesse período, serviram para ampliar nosso programa de bolsas, que teve um crescimento relevante, de 5% há três anos para 25% atualmente, totalizando 105 bolsas oferecidas para os mais diversos campos de pesquisa”, comemorou Thiago Renault.

Já para a chefe da Divisão de Inovação e Tecnologias Sociais da Agir, Luciane Patricio, não há exatamente um consenso sobre o conceito de tecnologia social. Para os propósitos do edital, no entanto, pode ser um produto, processo, metodologia, serviço ou técnica reaplicável, construída e desenvolvida com a participação da comunidade e que representa uma solução inovadora voltada para a transformação, desenvolvimento ou inclusão social.

O mapeamento e a produção do catálogo buscam, de acordo com Luciane, ampliar o conhecimento e a visibilidade do que a UFF tem produzido na área das tecnologias sociais, valorizando assim as especificidades de cada iniciativa. Com isso, a comunidade acadêmica terá acesso direto ao que está sendo desenvolvido na universidade.

Luciane ressaltou ainda a necessidade de mobilizar professores, alunos e servidores a participarem do mapeamento, feito através de uma pesquisa exploratória. “O catálogo será uma importante fonte de informação e pesquisa na área das tecnologias sociais”, garantiu.

Chamada pública

A Agir fomenta, por meio de bolsas para alunos de graduação, projetos de inovação voltados para o desenvolvimento social. Ao analisar os projetos, a agência verificou a necessidade de lançar uma chamada pública a toda a UFF no sentido de buscar outras iniciativas semelhantes que causem impacto social. A agência também se inspirou no Banco de Tecnologias Sociais da Fundação Banco do Brasil.

Luciane esclarece que as experiências poderão ser fruto de projetos de pesquisa, extensão ou inovação e devem responder a demandas sociais nas mais diversas áreas, como educação, energia, alimentação, acesso à justiça, geração de renda, habitação, saúde, recursos hídricos, meio ambiente e segurança. Além disso, serão selecionadas para compor o mapeamento as atividades que atendam, pelo menos, a três dos critérios listados no edital e que serão utilizados para avaliar os projetos de alunos, professores e técnicos.

Os interessados em participar deverão preencher uma ficha de inscrição e encaminhá-la para a Agir pelo e-mail: tecnologiasocial.uff@gmail.com

Para outras informações, consulta ao edital e ficha de inscrição, acesse: http://www.editais.uff.br/2012

Grande área: