icone pessoasEu sou: Técnico | Docente | Estudante

UFF implanta núcleo de comunicação e cultura em país africano

A UFF deu mais um passo em direção à internacionalização da universidade. Em maio, a instituição finalizou o projeto “São Tomé e Príncipe Plural: Ações Programáticas em Comunicação e Cultura” fruto da parceria entre o governo brasileiro e o de São Tomé e Príncipe. A iniciativa surgiu através do intercâmbio firmado com a Agência Brasileira de Cooperação (ABC), do Ministério das Relações Exteriores.

Desenvolvido pelo Instituto de Artes e Comunicação Social a convite da ABC, a UFF elaborou um projeto amplo no campo da comunicação baseado na cooperação entre os dois países. O trabalho buscou fortalecer as práticas comunicacionais e culturais de São Tomé e Príncipe a partir de três áreas de atuação: definição de modelos de gestão em rádio e TV, capacitação técnica e instrumentalização voltada para o reconhecimento e difusão das expressões culturais. Ao todo, desde o início do programa, em agosto de 2012, foram realizadas 10 missões, envolvendo cerca de 15 docentes atuando em São Tomé.

A demanda inicial do governo São Tomense era desenvolver um projeto na área de comunicação, na questão de capacitação técnica para dar suporte a TV São Tomense e a Rádio Nacional - duas instituições nacionais. O projeto ganhou outra dimensão, principalmente, na área cultural, a partir da primeira prospecção feita em 2011 pela UFF na cidade. Na análise inicial foi estabelecido articular cinco áreas de atuação - Rádio; TV e Audiovisual; Publicidade, Propaganda e Marketing; Internet; Mediação Cultural -  para nortear as atividades a serem desenvolvidas.

Coordenador do projeto, Leonardo Guelman ressalta que o escopo principal do projeto tornou-se trabalhar na interface entre a comunicação e cultura. “A perspectiva do projeto é contribuir para a sociabilidade, a ética, a cidadania e para o fortalecimento cultural, onde as práticas comunicacionais são também meios para transformação da realidade”, ressalta.

Voltado para a comunidade local e funcionários da TV e Rádio Nacional, o programa São Tomé e Príncipe Plural implantou o Núcleo de Comunicação e Cultura no país junto a atual Universidade de São Tomé. O espaço deu suporte e sustentação às oficinas e ao trabalho de capacitação técnica. “A gente tem ali uma estação de trabalho, uma espécie de telecentro com equipamentos que foram adquiridos e que vão ser revertidos para a Universidade de São Tomé e Príncipe”, conclui Guelman.

A perspectiva do projeto é contribuir para a sociabilidade, a ética, a cidadania e para o fortalecimento cultural, onde as práticas comunicacionais são também meios para transformação da realidade. - Leonardo Guelman.

Como resultado das oficinas desenvolvidas, o projeto gerou importantes produtos entre os quais se destacam o portal colaborativo http://www.portalstp.com/ com produção de vlogs, blogs, podcasts, mapeamento do patrimônio imaterial, dentre outros. De acordo com João Fanara, que promoveu a capacitação para a criação do site, a ferramenta é um espaço plural para democratizar a informação e se tornar um ponto de referência para os conteúdos gerados pela própria população de São Tomé e Príncipe.

Além de contribuir com a formação de profissionais e capacitar os estudantes, o resultado do projeto é significativo tanto para a UFF, quanto para São Tomé e Príncipe. Para a UFF, significa um projeto de extensão no âmbito internacional, onde professores e técnicos administrativos terão a oportunidade de desenvolver conhecimentos em contato direto com uma realidade social de grande riqueza por meio da troca de experiências e de visões de mundo distintas. Já São Tomé e Príncipe recebeu transferência de conhecimento e equipamento de forma valiosa para capacitar, desenvolver e atuar no âmbito da comunicação e cultura.

Para Leonardo Guelman, a relação estabelecida entre a UFF e São Tomé produziu um campo de experiência na área social muito importante. “Os professores e técnicos que vão produzir experiências em São Tomé não vão simplesmente para ensinar, mas para aprender e apreender essa realidade”.

De acordo com o vice-reitor Antonio Claudio da Nóbrega, a internacionalização da universidade firma um processo continuado de conexão com o mundo. Segundo Nóbrega, o desenvolvimento de projetos inéditos de caráter solidário fortalece o crescimento acadêmico de forma socialmente referenciada para além das fronteiras brasileiras. 

Os professores e técnicos que vão produzir experiências em São Tomé não vão simplesmente para ensinar, mas para aprender e apreender essa realidade. - Leonardo Guelman.

“O projeto com STP marca nossa relação não somente com o continente africano, mas com nossa própria história, língua e cultura se desenvolvidas com semelhanças e particularidades. Portanto, mais do que o apoio na capacitação técnica, significa uma interação ampla em comunicação bilateral com ganhos para o indivíduo, instituições e os dois países”, afirma Nóbrega 

No período de 25 a 29 de maio de 2015, foi realizada em São Tomé e Príncipe, a missão de avaliação final do projeto. Marcou o encerramento das atividades o lançamento do documentário “Dosu Manu”, dirigido por Leonardo Guelman e João Velho, que enfoca os contadores de histórias Zawa e Guewa.  A exposição “Brasil – São Tomé e Príncipe: um encontro fotográfico”, composta em maior parte por fotografias de alunos, também integrou a programação.  Em dois anos de trajetória, São Tomé e Príncipe Plural emitiu 550 certificados de participação.

Grande área: