Projeto da Engenharia Agrícola ganha prêmio Sebrae

Print Friendly, PDF & Email

Feirantes em Magé

O estudante de Engenharia Agrícola da UFF, Michael Cimbra Santiago, participou da coordenação do projeto “Agricultura familiar contribuindo para a segurança alimentar”, implementado na cidade de Magé, Rio de Janeiro, conquistando com a iniciativa o 9º Prêmio Sebrae de Empreendedorismo. O trabalho concorreu, este ano, pela categoria Pequenos Negócios no Campo.

O objetivo era promover uma nova filosofia, baseada no uso de novas tecnologias e práticas de produção orgânica, orientadas pela Federação Internacional dos Movimentos Agrícolas. Mudar a cultura convencional agrícola para um método de produção limpa (orgânica/agroecológica) proporcionaria mais qualidade de vida e uma agricultura sustentável. O projeto do estudante unido às ideias do então secretário de Agricultura do município, Aloísio Sturm, possibilitaram a realização do projeto. 

Segundo Michael, uma das soluções propostas para a mudança do tipo de agricultura em Magé foi a implementação do Programa Municipal de Preparo de Solo, da Secretaria de Agricultura Sustentável (SMAS). Foram realizados 2.565 atendimentos no período de agosto de 2012 a dezembro de 2014. Com isso, mais de 20 quilômetros foram preparados adequadamente para o plantio limpo, produzindo 28 mil toneladas de alimentos.

[...] os agricultores estavam sempre muito ávidos a aprender e melhorar a condição deles”, enfatiza a professora Débora Candeias.

O grande diferencial do projeto “Agricultura familiar contribuindo para a segurança alimentar” foi a criação do Centro de Pesquisa e Treinamento em Agroecologia (CEPTA). Como o nome diz, é um local de demonstração das técnicas e tecnologias empregadas na agricultura, além de desenvolver pesquisas de interesse da comunidade. “O CEPTA se tornou um ponto de apoio para os agricultores da cidade.  Antigamente, eles usavam até material genético sem saber se funcionaria”, relata o aluno.

A chegada do centro também ajudou no fortalecimento da economia local de forma sustentável e influenciou diretamente as principais culturas do município, como banana, aipim, inhame, maracujá, entre outras. Nasceu na cidade a Feira da Agricultura Familiar de Magé em busca do fortalecimento e visibilidade a fim de mostrar o valor desse tipo de agricultura no município.

Os agricultores, num primeiro momento, estranharam o uso de uma nova tecnologia, mas logo se mostraram interessados em aprender mais. É o que conta a professora Débora Candeias, orientadora no projeto. “Tudo que é novo nem sempre é visto ou recebido de imediato. Mas, os agricultores estavam sempre muito ávidos a aprender e melhorar a condição deles”, conclui.

O cuidado com a saúde dos produtores locais foi essencial para atraí-los para o projeto. Foram feitos exames clínicos laboratoriais em pelo menos 115 produtores rurais da região. Desse número, 75% dos trabalhadores apresentaram um alto índice de contaminação, sendo 10% já com o diagnóstico de câncer. A exposição aos agrotóxicos e pesticidas usados durante a cultura pode acarretar em graves doenças. Por esse motivo, eles puderam ver a importância de uma agricultura limpa.

O aluno Michael Santiago usou o trabalho como período de estágio exigido para o término da faculdade e conta que pôde crescer muito profissionalmente. “A experiência foi maravilhosa. Eu tinha pouca prática em estruturação de projetos e muito conhecimento teórico. Tive que me dedicar e relembrar todos os conceitos aprendidos durante a faculdade – inclusive pedindo ajuda aos professores – para organizar o diagnóstico de elaboração do projeto que ganhou o prêmio Prefeito Empreendedor”.

O prêmio Prefeito Empreendedor foi criado pelo Sebrae, em 2001, com o objetivo de reconhecer e contemplar a capacidade administrativa de gestores públicos e valorizar iniciativas bem-sucedidas de apoio a micro e pequenos negócios. Os projetos inscritos devem representar uma contribuição efetiva à modernização da gestão pública e ao desenvolvimento econômico e social dos municípios.

A Agroecologia é a ciência que estuda os princípios que mais se adaptam à sustentabilidade dos modos de produção, sendo a agricultura orgânica um desses modos. Chamamos de convencional a agricultura que se utiliza de produtos químicos como agrotóxicos e fertilizantes químicos. Tanto a Agroecologia quanto a Orgânica são métodos limpos de produção, ou seja, não utilizam produtos químicos no plantio. 

Compartilhe