Ex-reitores assinam carta de apoio à Universidade Federal Fluminense

Print Friendly, PDF & Email

Em reunião na reitoria nessa quinta-feira, 04 de julho, foi entregue documento assinado por cinco ex-reitores da Universidade Federal Fluminense em defesa da instituição. No encontro, os professores Cícero Mauro Fialho e Hildiberto Ramos Cavalcanti de Albuquerque Jr. representaram os ex-reitores que prepararam a carta. O ato foi uma reflexão sobre o processo histórico da Universidade, sua ligação com a sociedade e o Estado, bem como uma manifestação de solidariedade frente aos desafios contemporâneos.

De acordo com Cícero Mauro Fialho, reitor da UFF entre 1998 e 2006, é sempre bom relembrar a defesa da universidade e da administração. “A Universidade é resultado do esforço diário de muita gente. Nós que passamos pelo cargo conhecemos as dificuldades. Sabemos da seriedade e empenho da gestão atual. Antonio Claudio é uma pessoa séria que se esforça e conhece a universidade”, afirmou Cícero.

O professor Hildiberto Ramos Cavalcanti de Albuquerque Jr., reitor da UFF entre 1985 e 1989, relembrou os desafios de sua administração e enfatizou que a carta de defesa da instituição demonstra o apoio a todos que trabalham e trabalharam pela universidade. “Levaremos esse documento para a sociedade, para conversar com deputados e lideranças e fortalecer o movimento em favor da educação superior brasileira”.

O reitor da UFF, Antonio Claudio Lucas da Nóbrega, se emocionou com o ato dos ex-reitores e os convidou para reuniões periódicas de troca de experiências que podem enriquecer o aprendizado da administração de uma estrutura tão robusta e complexa quanto a UFF. “É uma carta muito bonita que captura bem o momento de mobilização social em favor da educação de qualidade, gratuita e inclusiva. Um verdadeiro manifesto de apoio a instituição de quem conhece a UFF e ajudou a construir o que ela é hoje”.

 

Leia a carta na íntegra:

Nós, ex-reitores da Universidade Federal Fluminense, unidos em defesa do legado que ajudamos a construir, vemos com enorme preocupação o recente contingenciamento orçamentário a que foram submetidas as universidades federais brasileiras.

Reconhecemos a difícil situação pela qual passa hoje nosso País, que exige sacrifício de todos, mas entendemos que, em momentos como esse, é necessário estimular fortemente, e não inibir, iniciativas nas áreas de educação, ciência, tecnologia e inovação.

Nas universidades federais brasileiras são desenvolvidas importantes e promissoras pesquisas nas mais diversas áreas de conhecimento e consideramos que este fato faz delas aliadas primordiais da sociedade em que estão inseridas. Temos a certeza de que, com a inteligência e o conhecimento acumulado que detêm, nossas universidades desempenham um importante e decisivo papel na resolução dos problemas atuais, e contribuem para um futuro auspicioso de desenvolvimento socioeconômico com justiça social, em consonância com o que prevê a Constituição Federal de 1988.

Acreditamos igualmente que a universidade é o espaço propício para a formação não apenas de profissionais competentes, mas também de cidadãos conscientes e comprometidos com o futuro do nosso País. Reputamos que nossos jovens estudantes são, aqui como em todo o mundo, a força-matriz capaz de promover as transformações necessárias à superação de nossas limitações e dificuldades, com o idealismo e a impetuosidade de todos aqueles que sonham com uma sociedade mais justa e fraterna.

No caso específico da UFF, estamos nos referindo a uma instituição com um contingente de mais de 60 mil pessoas, entre técnico-administrativos, estudantes e docentes, distribuídas por nove municípios do estado do Rio de Janeiro, além de uma unidade avançada em Oriximiná, no Pará. Trata-se de uma pujante universidade, que apresenta uma história de sucesso, com alta qualidade de suas atividades acadêmicas. O recente evento “UFF nas Praças”, realizado nas diversas cidades onde atuamos, demonstrou o interesse e a adesão da sociedade fluminense às inúmeras e exitosas iniciativas de nossa comunidade universitária nas áreas de ensino, pesquisa e extensão.
 
Somos testemunhas do empenho, seriedade e responsabilidade da atual gestão, que constitui mais uma etapa de um trabalho institucional que vem sendo desenvolvido ao longo de muitos anos. Sabemos o quanto foi difícil para todos nós, juntamente com a nossa comunidade, fazer da UFF o que ela é hoje. Não podemos nem devemos permitir que haja retrocesso nessa caminhada.

Pelo exposto, apelamos às autoridades governamentais no sentido de buscar os meios ao seu alcance para garantir a continuidade do relevante e inestimável trabalho desenvolvido pelas universidades federais brasileiras, entre as quais se inclui a Universidade Federal Fluminense, e, desse modo, evitar o imenso prejuízo que poderia advir de uma eventual e indesejável paralisação de nossas atividades acadêmicas e administrativas.

 

Ex-reitores da UFF: Jorge Emmanuel Ferreira Barbosa, José Raymundo Martins Romêo, Hildiberto Ramos Cavalcanti de Albuquerque Jr., Cícero Mauro Fialho, Sidney Luiz de Matos Mello

Grande área: