Eu sou: Técnico | Docente | Estudante

UFF Volta Redonda avança em estudos sobre sustentabilidade

Criado em abril de 2016, o Centro de Estudos para Sistemas Sustentáveis (Cess), da Escola de Engenharia Industrial Metalúrgica do campus de Volta Redonda, tem como objetivo desenvolver projetos que fomentem a sustentabilidade dos serviços urbanos, industriais e logísticos, em âmbito nacional e internacional. Coordenado pelo professor do departamento de Engenharia de Produção Newton Narciso, o projeto possui quatro linhas de pesquisa principais, que são: Logística Humanitária, Portos Sustentáveis, Energia Renovável e um sistema de Gestão e Controle de água de lastro de navios, além de projetos na área de Logística e Transporte.

Os temas abordados representam campos de estudo novos ou pouco difundidos para a sociedade brasileira. A reciclagem de navios, por exemplo, que é parte de um dos estudos do Cess, tem pouco destaque no Brasil, enquanto países como Índia, Paquistão e Bangladesh já adotaram a prática desde a década de 70, apesar de não ser de maneira sustentável. Já na Comunidade Europeia existem, inclusive, leis para o desmonte de navios que atendem a normas de sustentabilidade - iniciativa que o grupo de pesquisadores da UFF busca impulsionar na indústria nacional.

Para o Cess, é fundamental ampliar os estudos a respeito dessa temática, visando promover o retorno econômico e garantir também que os recursos disponíveis hoje sejam acessíveis para as gerações futuras, afinal, o Brasil atualmente, rico em energia solar, eólica, das ondas e marés, é um dos países que menos utiliza esse seu potencial. “Baseado na pesquisa que estamos realizando sobre sustentabilidade portuária, a estimativa é que os portos brasileiros percam 500 megawatts por ano por não utilizar energia solar”, afirma o professor Newton.

Segundo o coordenador do projeto, existem alguns entraves culturais e de conhecimento que dificultam a utilização de toda capacidade energética nacional. “Quando se trata de sustentabilidade e energias alternativas é comum o choque no primeiro momento, de olhar e falar ‘nossa, nós estamos desperdiçando tudo isso?’, mas depois já vem a pergunta ‘quanto custa?’, e o questionamento não deveria ser esse, mas sim ‘como podemos aplicar isso?’. O valor é bem relativo, afinal, hoje pode ser caro, mas se você fizer uma estimativa para daqui a 30 anos, haverá um retorno significativo sobre o investimento naquela tecnologia”, ressalta.

Além do incentivo ao desenvolvimento sustentável, o Cess possui outra importante diretriz. Uma de suas linhas de pesquisa, a Logística Humanitária, tem como foco assistir populações vitimadas por desastres naturais. “Estamos estudando as consequências das últimas tragédias acontecidas nas cidades de Teresópolis, Petrópolis e Angra dos Reis - por conta das chuvas - na busca de criar soluções inovadoras que ajudem a identificar e mensurar os impactos socioeconômicos nesses locais”, relata Narciso.

Devido à relevância das pesquisas, o centro de estudos firmou importantes parcerias internacionais. Desde agosto de 2016, os pesquisadores participam do Network for Business Sustainability, instituição canadense composta por especialistas acadêmicos mundiais e líderes empresariais que desenvolvem trabalhos na área de sustentabilidade. O grupo brasileiro se destaca frente às outras instituições participantes por atuar com questões sociais e logísticas.

Como proposta acadêmica, o Cess busca criar na UFF um espaço de fomento ao pensamento sustentável, permitindo que os alunos conheçam e tenham contato mais estreito com a comunidade externa. Segundo o professor Newton, os questionamentos acerca do mundo que se deseja são valores transmitidos no laboratório. “Eu acredito que nós, da engenharia, precisamos tocar o lado humano, porque, nessa área, fazer conta todos nós sabemos. Mas que engenheiros nós formaremos? Afinal, são as pessoas que vão resolver os problemas da sociedade. Elas devem olhar para o próximo e não apenas se preocupar em ganhar dinheiro”.

Para os alunos que fazem parte do projeto, são muitas as oportunidades de conhecimento e prática. “O Cess gera valor agregado em diferentes áreas relacionadas aos interesses profissionais e acadêmicos, com destaque para a sustentabilidade, que é considerada um dos pilares da pesquisa social e científica do próximo século”, enfatiza o mestrando da UFF, formado em Engenharia de Produção, Euler Sanchez. Já para o graduando em Engenharia Elétrica, Caio Mariano, conciliar tecnologia e sustentabilidade é um diferencial. “As pesquisas dão enfoque na modernização ou no melhor aproveitamento sem que isso agrida ou prejudique o meio em que vivemos”, acrescenta o estudante.

Universidade Sustentável

A principal iniciativa de fomento ao desenvolvimento de projetos na área da sustentabilidade na Universidade Federal Fluminense é o Plano de Logística Sustentável (PLS). O projeto, que se encontra em fase de elaboração, baseia-se em um processo de coordenação do fluxo de materiais, serviços e informações, do fornecimento ao desfazimento, que considera a proteção ambiental, a justiça social e o equilíbrio dos desenvolvimentos sustentável e econômico.

Segundo a presidente da comissão de implantação, Deise Faria, o PLS deve promover interações entre cursos e unidades, fomentando assim, avanços em práticas sustentáveis na UFF. “O objetivo do plano é unificar as ações de sustentabilidade na instituição, divulgando o que está sendo realizado nos diferentes campi e permitindo também uma troca de experiências positivas entre todas as unidades da universidade”, explica Deise.

A comissão gestora é composta por um membro de cada pró-reitoria e de cada superintendência da UFF e a expectativa é de que o Plano de Logística Sustentável entre em vigor no final de julho de 2017.

Grande área: