IML ganha estudo etnográfico em novo livro da Eduff

Print Friendly, PDF & Email

A rotina e os meandros do funcionamento do Instituto Médico Legal Afrânio Peixoto (IMLAP), no Rio de Janeiro, é objeto de um estudo etnogáfico minucioso feito pela cientista social Flavia Medeiros e recém-publicado pela Eduff no livro “Matar o morto”.

Na obra, a autora relata como é desenvolvido um conjunto de procedimentos que tem por objetivo identificar o corpo e a causa de sua morte. Por meio de categorias médico-legais, é possível classificar o óbito e desta forma redefinir relações sociais que, em tese, seriam interrompidas pela morte.

A partir da análise dos procedimentos de identificação dos cadáveres, Flavia Medeiros revela a transformação de corpos muitas vezes desfigurados em corpos apresentáveis às famílias. Ao mesmo tempo, a autora discute como esses mortos se institucionalizam ao se converter em “provas” de crimes, o que é resultado da associação de dois saberes acadêmicos (Medicina e Direito) e um saber profissional (Polícia Judiciária), que caracterizam a construção de verdades pela “Polícia Técnico-Científica”.

--> Como comprar

 

Para saber mais sobre este informativo

Estes são os dados de contato do setor da universidade que escreveu este informativo:

Setor responsável: 
Telefone: 
2629-5290
Grande área: 

Informes

Não há nenhum conteúdo neste grupo.

A atualização mais recente deste conteúdo foi em 12/01/2017 - 12:30