Logotipo da UFF

Está com pressão alta? Conheça o Programa de Hipertensão da UFF!

Também conhecida como pressão alta, a hipertensão arterial é uma doença crônica provocada por aumento anormal - e por longo período - da pressão que o sangue faz ao circular pelas artérias do corpo. De acordo com o Ministério da Saúde (dados de 2017), a pressão alta tende a aumentar com a idade, e as mulheres ainda continuam com maior número de diagnóstico de hipertensão arterial: são 26,4% em comparação aos 21,7% que acometem os homens.

É muito importante que você, servidor, faça um acompanhamento com um profissional de saúde e mantenha os seus exames em dia para prevenir ou tratar a hipertensão. Na nossa universidade, a Progepe oferece uma série de atendimentos médicos aos servidores, incluindo a área de cardiologia e o Programa de Combate à Hipertensão. Amanhã é o Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial  e, por isso, entrevistamos o cardiologista Roberto do Carmo, que está a frente do programa, para nos explicar um pouco mais sobre esse serviço voltado para você e seus dependentes.

1) Em que consiste o Programa de Combate à Hipertensão?
É um programa que visa conscientizar os servidores sobre a hipertensão, sendo fundamental que estes saibam exatamente o que os acomete para que a enfermidade seja tratada da melhor forma possível. O nosso objetivo é não apenas limitá-lo à Reitoria da UFF, mas levá-lo futuramente às outras unidades. O programa, combinado a outros projetos, que também serão implementados em breve, visa desenvolver ações para além do Espaço Saúde do Servidor, como, por exemplo, a realização de palestras para os interessados no assunto.

2) Qual é o objetivo do Programa?
Hoje o foco que se dá é na prevenção, ou seja, é importante saber se a hipertensão arterial ocorre ou não. Existe uma hipertensão dita essencial ou primária que é a de maior prevalência e possui um caráter familiar associado, e neste caso é importante que se realize um diagnóstico precoce, porque este é o principal fator de risco para doenças cardiovasculares (acidente vascular cerebral, infarto do miocárdio, morte cardiovascular e outras comorbidades associadas). Logo, é preciso saber exatamente se o paciente tem ou não hipertensão arterial, e se a tem ou não associada a outra(s) doença(s).

3) Quais são as causas e sintomas da hipertensão?
Esta doença possui um período, que às vezes não é pequeno, em que o paciente ainda desconhece ser portador da hipertensão arterial por apresentar alguns sintomas que não o direcionam para uma avaliação médica. Por exemplo: cansaço, irregularidade do sono, irritabilidade, estresse e outras várias situações em seu cotidiano que desviam a sua atenção do real problema. Hoje existe um outro conceito que diz que, muitas vezes, a hipertensão arterial é uma doença de associação, ou seja, ela não está sozinha. Então, quando isso acontece, é importante que se faça uma investigação para descobrir se o paciente apresenta outros problemas. Destes, os mais frequentes são alterações dos lipídios, distúrbio da glicose no sangue e diabetes.

Além disso, existe também uma condição de hipertensão lábil (a hipertensão em seu estágio inicial) que se caracteriza basicamente pelos seguintes sintomas: tensão e aumento da pressão arterial. Sempre há um motivo para esse pico de pressão: ingerir alimentos com um pouco mais de sal, andar rápido ou correr, chateações e preocupações do cotidiano. A hipertensão agride, inclusive, órgãos como coração, rins, artérias periféricas e cérebro, e pode também levar à insuficiência cardíaca e arritmia. É importante que se evite a progressão desta doença, já que muitas vezes o paciente faz uso de dois ou três medicamentos e ainda assim não possui um controle ideal.

4) Como é realizada a orientação aos atendidos? Trata-se de um acompanhamento contínuo ou pontual?
Os servidores devem agendar atendimento no Espaço de Saúde do Servidor, da Casq, e fazer uma consulta de atendimento terapêutico, de preferência com um cardiologista. Futuramente, a ideia do programa é ampliar a assistência e oferecer um serviço mais especializado, onde basicamente deverão responder a um questionário de fatores de riscos cardiovasculares. A partir disso, serão realizados exames de colesterol e glicose e os pacientes serão tratados dentro dos seus graus de riscos respectivos, com uma avaliação específica. Além disso, os servidores também serão informados através de palestras sobre fatores de risco de doenças coronarianas e hipertensão arterial. O objetivo é identificar aqueles que ainda não possuem um diagnóstico e que mereçam um acompanhamento. O programa está associado a outros porque é importante que se trate a hipertensão da mesma forma que é essencial que se investigue o diabetes e dislipidemia. Não se pode esquecer das outras enfermidades.

5) Como os interessados podem agendar o atendimento?
Os servidores interessados devem comparecer de segunda a sexta-feira, na recepção do Espaço de Saúde (localizado na Rua Miguel de Fria, nº 9 - Térreo, prédio anexo à Reitoria) e agendar o atendimento. É necessário apresentar identidade, CPF, contracheque e número do SIAPE.

Dúvidas e sugestões podem ser esclarecidas no telefone (21) 2629-5279 ou no e-mail smedicareitoria@gmail.com.

Tags: