Artes Visuais - Centro de Artes UFF

Subscrever feed Artes Visuais - Centro de Artes UFF
Portal do Centro de Artes da Universidade Federal Fluminense
Atualizado: 1 hora 35 minutos atrás

Reservado para pichador amador

qui, 19/09/2019 - 10:17

Em ‘Reservado para Pixador Amador’, Mulambö fala sobre potências. Seja a frase na parede que evita que a cidade deixe sua marca até as marcas que a cidade deixa em nós. A partir do existir periférico e, automaticamente, de resistência no Rio de Janeiro, o artista desenvolve trabalhos de pintura, instalação e objetos que remetem a algumas das forças que constroem o chão que a gente pisa, corre e trabalha. Uma de suas imagens mais conhecidas é a montagem sobre uma foto de Marielle Franco redesenhada como Iansã, com o título “Força da natureza sobre foto de Bárbara Dias da Marielle Franco”, de 2016. 

Mulambö nasceu como João da Motta em 1995 e foi na Praia da Vila, em Saquarema/RJ, que nasceu o artista Mulambö, da necessidade de encontrar um lugar. Um lugar onde se anda descalço e uma arte com os pés no chão, porque não tem museu no mundo como a casa da nossa vó. Em seus trabalhos, o artista fala de gente como ele, usando materiais que encontra nos lugares onde vive. “Na verdade, eu queria mesmo era ser jogador de futebol e antes de ser artista ou qualquer coisa do tipo, sou filho, neto, irmão, padrinho e cabeça de área”, afirma ele.

Galeria de Arte UFF Leuna Guimarães dos Santos
Abertura: Dia 18 de setembro de 2019, às 18h
Visitação até 20 de outubro de 2019
Entrada Franca

Categorias: Centro de Artes UFF

Corpura

qui, 19/09/2019 - 10:14

“Corpura” é uma exposição coletiva que a partir da fotografia aborda os corpos negros e as diversas subjetividades que os atravessam. Composta pelas séries fotográficas “Fardo”, “Pele preta em mundo branco” e “Beleza”, questiona sobre como as estruturas sociais brasileiras – o racismo, as desigualdades sociais e o genocídio – atuam como construtores desses corpos. Os trabalhos são feitos pelos artistas Carla Santana, Mateus Almeida e Thomas Mariano. 

Em “Fardo”, Carla Santana molda o indizível. Transborda as densidades e questões sobrepostas e impostas à sua corporeidade. Utiliza-se da argila como meio de externalizar processos internos e materializar dores. As esculturas saltam das fotografias a fim de corporificar, o peso, o íntimo, o invisível. “Pele preta em mundo branco”, de Mateus Almeida, demanda os impactos da colonização dos corpos negros. O que é possível para a população negra no Brasil? Que lugar esses corpos ocupam? A partir da fotografia o artista nos mostra corpos atravessados pela brancura do mundo. “Beleza”, de Thomas Mariano, a partir do retrato sensível propõe um olhar sobre a pele e corpo negro que subverta os estereótipos, criando imagens que refletem primor, sutileza e exaltação. Segundo Carla Santana, “Corpura afasta a relação do corpo enquanto objeto de análise do outro para reivindicar a construção primordial do Ser. Revelamos aqui, ainda que fragmentados, a necessidade de resgatar e recriar cenas por uma visão essencialmente escurecida”.

Espaço UFF de Fotografia Paulo Duque Estrada
Abertura: Dia 18 de setembro de 2019, às 18h
Visitação até 20 de outubro de 2019
Entrada Franca

Categorias: Centro de Artes UFF

Cartografias: outros olhares

qua, 31/07/2019 - 16:51

Exposição de imagens fotografadas por alunos do CAEP Escola Especial Favo de Mel, em visita ao Forte de Copacabana, resultante do projeto de extensão e pesquisa Turismo, Hospitalidade e Inclusão” realizado pela Faculdade de Turismo e Hotelaria da Universidade Federal Fluminense (UFF), que visa a inclusão social de pessoas com deficiência intelectual em visitas a atrativos turísticos da região metropolitana do Rio de Janeiro.

Categorias: Centro de Artes UFF

Agarrar-se a pedras afiadas

sex, 19/07/2019 - 11:27

“Agarrar-se a pedras afiadas” é a primeira exposição individual de Nathan Braga. O artista do Rio de Janeiro trabalha com múltiplas plataformas, mas tem o pensamento escultórico como ponto de partida para a concepção da maior parte dos trabalhos, uma vez que a relação com o espaço é muito importante para grande parte das suas obras. Doze peças compõem esta exposição, de forma a mostrar um recorte da produção e poética do artista, que investiga a morte enquanto uma alegoria, partindo da História da Arte e atualizando plasticamente a Vanitas e seus motivos, à partir de sua história pessoal com a perda de sua mãe quando tinha apenas 7 anos. Dentre as obras expostas, existem esculturas, pinturas, gravuras, fotografias, instalações, objetos e trabalhos sonoros, mas o diálogo entre essas mídias, borrando as fronteiras que definem cada uma delas, é uma característica do modo de trabalho do artista. As obras em exposição indicam caminhos seguidos pelo artista em sua investigação poética, exibindo de forma clara a variedade de sua produção. Ao tratar da morte, o artista faz com que cada um de nós se coloque em seu lugar, pensando a nossa própria relação diante da morte ou das perdas, nos lembrando que a vida tem um fim e que devemos viver.

07 de agosto a 08 de setembro de 2019
Galeria de Arte UFF
Rua Miguel de Frias, 9 – Icaraí, Niterói
Segunda a Sexta, das 10h às 22h
Sábados e Domingos das 13h às 22h
Entrada Franca

Categorias: Centro de Artes UFF

DESENHO-CAMINHO

ter, 16/07/2019 - 16:08

Desenho-caminho é a primeira individual da artista Fernanda Andrade, com curadoria de André Vechi. O título da exposição é mesmo o da instalação que ocupa a sala com desenhos de trajetos feitos pela artista na cidade, e seus desdobramentos. Esses caminhos são re-escritos em linhas sinuosas no papel jornal, cujo formato A4 enquadra estes registros de fluxo, ao mesmo tempo que demarca seu entorno: todas as linhas se apresentam como grifos e sustentam o suporte como mais uma camada de desenho, capaz de orientar e desorientar a circulação no espaço. Assim, marcas em papel são suspensas por linhas de madeira, corda e aço, matérias tencionadas pelo contato com a força gravitacional, entrelaçando circuitos que provocam os ângulos retos e a estabilidade do pensamento cartesiano. Assumir a fragilidade da leveza e o desconforto do desequilíbrio é articular um espaço de vicissitude e sutil conflito, respiro necessário para tempos de crescente cerceamento de dissidências e divergências. Fernanda Andrade nasceu em Salvador e mora no Rio de Janeiro. É bacharel em Pintura pela Escola de Belas Artes da UFRJ e atualmente é bolsista no programa de formação Resistência e Emergência da EAV Parque Lage. Integrou diversas coletivas, dentre as quais Abre Alas 15 com curadoria de OPAVIVARÁ!, Renato Silva e astro vivid focus na galeria A Gentil Carioca, DISSECADA com curadoria de Keyna Eleison na Galeria Marquês 456; Pela Estrada e Fora-Arte Londrina 5 com curadoria de Ricardo Basbaum e Danillo Villa na Galeria da Universidade Estadual de Londrina e Depois do Futuro com curadoria de Daniela Labra nas Cavalariças do Parque Lage.

07 de agosto a 08 de setembro de 2019
Galeria de Arte UFF
Rua Miguel de Frias, 9 – Icaraí, Niterói
Segunda a Sexta, das 10h às 22h
Sábados e Domingos das 13h às 22h
Entrada Franca

Categorias: Centro de Artes UFF