Centro de Artes UFF

Subscrever feed Centro de Artes UFF
Portal do Centro de Artes da Universidade Federal Fluminense
Atualizado: 3 horas 37 minutos atrás

MEU NOME É DANIEL

ter, 15/10/2019 - 14:41

Brasil, 2018, 83’, 12 anos
De Daniel Gonçalves

Daniel Gonçalves nasceu com uma deficiência que nenhum médico foi capaz de diagnosticar. No documentário pessoal, o jovem cineasta, residente no Rio de Janeiro, traça o caminho de sua vida para tentar compreender sua condição. Através de imagens de arquivo da família e de cenas gravadas hoje em dia, vamos passear por momentos, histórias e reflexões de Daniel. O longa venceu o Troféu Barroco de Melhor Filme – Júri Popular na 22ª Mostra de Cinema de Tiradentes e ganhou o prêmio “Documental Calificado Oscar” do Festival Internacional de Cine de Cartagena, realizado na Colômbia. Com o prêmio, o filme está qualificado para disputar o Oscar da categoria Melhor Documentário em 2020.

Categorias: Centro de Artes UFF

ELEIÇÕES

ter, 15/10/2019 - 14:38

Brasil, 2018, 100´, 12 anos
De Alice Riff

A rotina do ensino médio da Escola Estadual Doutor Alarico da Silveira, localizada no centro de São Paulo, é alterada por conta das eleições do grêmio estudantil que se aproximam. Durante este período é possível identificar como as consequências do processo eleitoral afetam as relações entre os alunos, assim como as eleições presidenciais, em proporções bem maiores, conseguem alterar a atmosfera de um país.

Categorias: Centro de Artes UFF

Música no Jardim – Música Antiga da UFF

qui, 10/10/2019 - 12:34

O grupo Música Antiga da UFF se une ao Coro da UFF para realizar canções da Renascença e algumas peças comemorando antecipadamente o Natal.

Anônimo –  Hannapachap Cussicuinin
Josquin des Prez –  El grilo
Claudin de Sermisy – Tant que vivray
Jacob Arcadelt – Il bianco e dolce cigno
Cancioneiro de Upsalla – Verbum caro factum est
Michael PraetoriuS – In dulce jubilo
Michael Praetorius – In dulce jubilo
Michael Praetorius – Num komm

Coro da UFF
Música Antiga da UFF – Mario Orlando e Leandro Mendes 
Músico convidado Peri Santoro

27 de novembro de 2019
Quarta | 17h
Jardim da Reitoria
Rua Miguel de Frias, 9 – Icaraí, Niterói
Entrada Franca

Categorias: Centro de Artes UFF

A NOITE AMARELA

seg, 07/10/2019 - 15:09

Brasil, 2019, 102′, 12 anos
De Ramon Porto Mota
Com Rana Sui, Ana Rita Gurgel, Felipe Espíndola

Em um breve feriado, um grupo de jovens decide ir até uma ilha. No entanto, o lugar se mostra extremamente escuro, tanto durante o dia quanto à noite, e acontecimentos sinistros ocorrem enquanto os amigos estão por lá. Ou seriam meras alucinações?

Categorias: Centro de Artes UFF

GRETA

seg, 07/10/2019 - 15:01

Brasil, 2019, 97′, 18 anos
De Armando Praça
Com Marco Nanini, Démick Lopes, Denise Weinberg

Pedro é um enfermeiro de 70 anos que trabalha em um hospital público de Fortaleza. Sua melhor amiga é Daniela, artista transexual que enfrenta graves problemas de saúde. Quando ela precisa ser internada, mas não encontra leito disponível, Pedro sequestra um paciente recém-chegado, Jean, e o abriga em sua casa. Inicialmente, o enfermeiro tem medo do rapaz agressivo, que se esconde da polícia. Depois, nasce entre eles uma relação de cumplicidade e afeto. Melhor Filme, Ator e Diretor no Festival Nacional Cine Ceará 2019 e Melhor Filme no Festival de Cinema Lésbico e Gay de Milão 2019.

Categorias: Centro de Artes UFF

DOMINGO

seg, 07/10/2019 - 14:57

Brasil/França, 2018, 95′, 16 anos
De Fellipe Barbosa e Clara Linhart
Com Itala Nandi, Camila Morgado, Augusto Madeira, Chay Sued

Múltiplos pontos de vista de uma família burguesa do interior gaúcho no dia 1º de janeiro de 2003, quando o Brasil vivia a histórica posse do presidente Luís Inácio Lula da Silva. Durante uma festa extravagante, muitas verdades estão prestes a vir à tona e o mal estar entre os convidados fica evidente. Melhor Filme e Direção de Arte no Festival de Cinema Luso-Brasileiro de Santa Maria da Feira 2019 e Melhor Atriz (Itala Nandi) no Festival do Rio 2018.

Categorias: Centro de Artes UFF

RESGATES

seg, 07/10/2019 - 14:54

Brasil, 2019, 39′, livre
De Zhai Sichen

No interior do Palácio São Cristóvão, destruído pelo incêndio de setembro de 2018, acontece um trabalho árduo e minucioso de resgate de acervos. Entre memórias, sentimentos e o compromisso com a educação pública e a ciência no Brasil, estudantes e trabalhadores ligados à instituição se dedicam a dar continuidade a um símbolo cultural do país, o Museu Nacional.

————

Trabalhando profissionalmente desde 2009 na área do audiovisual, Zhai Sichen se formou em cinema pela PUC-Rio. Tem no currículo longas e curtas-metragens, filmes institucionais e videoclipes. Atualmente é servidor da UFRJ.

Victor Bittar é graduado em Ciências Biológicas (bacharel e licenciatura) na UFF, seguido de mestrado em Arqueologia, com ênfase em Bioantropologia, no Museu Nacional – UFRJ. Também graduado em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, na Estácio, hoje é funcionário do Museu Nacional, no departamento de Antropologia, como Bioarqueologo. No resgate ocupa o cargo de Coordenador Logístico/Executivo, responsável por manter o funcionamento das operações e fazer a interface com as
empresas contratadas.

 

Categorias: Centro de Artes UFF

Feira dos Afetos

ter, 01/10/2019 - 16:55

O Centro de Artes UFF convida a todos que tenham trabalhos de arte, alimentação, artesanato, moda, etc a participar da Feira dos Afetos, dentro do projeto Espiral dos Afetos. O projeto marca os 20 anos do falecimento da Dra. Nise da Silveira, médica e psiquiatra brasileira, que revolucionou o tratamento mental no Brasil.

  • A Feira será nos dias 27 de outubro e 03 de novembro de 2019, ambas as datas caem em um domingo, de 10h às 17h;
  • Inscrições de 01 a 11 de Outubro de 2019;
  • Resultado até o dia 15 Outubro de 2019.

Inscrições no link abaixo:

FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO

Categorias: Centro de Artes UFF

Concurso garante reposições no grupo Música Antiga e na Orquestra Sinfônica Nacional

ter, 01/10/2019 - 15:04

Fonte: jornalismo da Superintendência de Comunicação Social da UFF

São 11 vagas oferecidas para cargos da Orquestra Sinfônica e do Música Antiga
 
Concurso público abre inscrições para preenchimento de 11 vagas de músicos na Orquestra Sinfônica Nacional e no grupo Música Antiga da Universidade Federal Fluminense. A oferta contempla os seguintes cargos: Flauta, Percussão, Trombone Baixo, Trombone Tenor, Trompa, Violino (Música Sinfônica), Violoncelo (Música Camerista), Alaúde, Canto e Viola da Gamba (Música Antiga). Candidatos devem se inscrever, segundo edital disponível no site da Coseac, até as 12 horas do dia 08 de outubro de 2019.

O Música Antiga possui 35 anos de história, um dos pilares da vasta tradição musical da UFF. Em sua formação original, contava com oito membros e depois se transformou em um quinteto. Por conta das aposentadorias, o grupo conta apenas com dois membros atualmente. Nunca havia ocorrido concurso para reposição de vagas no Música Antiga. Além de atuarem em apresentações, os músicos da UFF estão integrados academicamente com a Universidade, realizando seminários, estudos, formação, projetos de pesquisa e de extensão.

De acordo com o reitor da UFF, Antonio Claudio Lucas da Nóbrega, essa foi uma iniciativa da gestão para garantir a continuidade de um patrimônio fundamental da Universidade. “Os conjuntos da UFF fazem parte da história não somente da instituição, mas da música brasileira como um todo. Tomamos uma decisão administrativa importante de realizar reuniões interssetoriais para garantir a realização do concurso de forma ágil para que houvesse a recomposição de servidores dos três conjuntos musicais da UFF, levando em conta a aposentadoria dos membros. O Gabinete do Reitor liderou essa organização em articulação com Progepe, Coseac e Centro de Artes”, explica.

Para se inscrever no concurso, os candidatos deverão atender os seguintes requisitos: formação superior completa em curso de graduação em Música, realizado em instituição reconhecida pelo Ministério da Educação; e registro na Ordem dos Músicos do Brasil.

Detalhes sobre o certame podem ser consultados no site: http://www.coseac.uff.br/concursos/uff/musico/2019/index.htm 

Categorias: Centro de Artes UFF

SÓCRATES

seg, 30/09/2019 - 12:01

Brasil, 2018, 71′, 16 anos
De Alex Moratto
Com Christian Malheiros, Tales Ordakji, Caio Martinez Pacheco

Depois da morte de sua mãe, o jovem Sócrates, que foi criado apenas por ela durante os últimos tempos, precisa fazer tudo o que for possível para que consiga sobreviver na realidade da miséria, somado com o preconceito por ser homossexual. Seus valores e ideais são colocados na balança com o medo de não conseguir se virar sozinho. Prêmio Félix de Melhor Filme de Ficção no Festival Rio 2018, Melhor Filme, Diretor e Ator no Festival Mix Brasil 2018, prêmio Someone to Watch no Independent Spirit Awards 2019 e outros sete prêmios internacionais.

Categorias: Centro de Artes UFF

4º BRICS FILM FESTIVAL

seg, 30/09/2019 - 11:53

3 a 8 de outubro – Entrada franca (exceto Ganga Bruta – OSN CINE)

A Mostra Clássicos BRICS será uma oportunidade para conhecer obras-primas do cinema brasileiro, russo, indiano, chinês e sul-africano, inclusive grandes filmes muito pouco conhecidos fora de seus próprios países, exibidos em cópias restauradas. Serão dez filmes de diferentes épocas e estilos. Curadoria dos Profs. Dr. João Luiz Vieira e Dr. Rafael de Luna Freire.

 

Dia 03, quinta, 18h

SORGO VERMELHO | RED SORGHUM
Hong gao liang, China, 1987, 95′, 18 anos
De Zhang Yimou
Com Gong Li, Jiang Wen, Teng Rujun, Liu Ji, Qian Ming

No norte da China entre as décadas de 1920 e 1930, uma jovem mulher tem seu casamento arranjado com um velho leproso e dono de uma destilaria. O filme acompanha sua vida, entre o amor e o negócio, enfrentando a violência de criminosos e a brutalidade da invasão do país durante a guerra Sino-Japonesa. Urso de Ouro no festival de Berlim 1988 e Melhor Ator no Golden Phoenix Awards, China 1989.  

Dia 03, quinta, 20h10

FOI EM MAIO | IT WAS THE MONTH OF MAY
Byl mesyats may, Rússia, 1970, 115′, 16 anos
De Marlen Khutsiev
Com Aleksandr Arzhilovsky, Pyotr Todorovskiy, Sergey Shakurov

Poucos dias após a rendição nazista e o fim da Segunda Guerra Mundial, um grupo de soldados soviéticos vive dias de paz em território alemão. Apesar da aparente tranquilidade, uma inquietude vai tomando conta dos soldados que, aos poucos, irão descobrir horrores da guerra, que só então começa a revelar suas marcas.

 

Dia 04, sexta, 19h | Dia 05, sábado, 10h30 | Dia 06, domingo, 10h30
Ingressos: Dia 04 > R$ 30 e R$ 15 | Dias 05 e 06 > R$ 20 e R$ 10

GANGA BRUTA – OSN CINE
Brasil, 1933, 82′, 14 anos
De Humberto Mauro
Com Durval Bellini, Dea Selva, Lu Marival

Em plena noite de núpcias, por desconfiar de sua infidelidade, Marcos mata sua esposa. Atormentado pelo episódio e apesar de absolvido pela justiça, o engenheiro aceita emprego numa fábrica do interior. Lá, conhece Sônia, irmã de criação de seu colega Décio. O desejo pela sedutora Sônia levará Marcos e Décio a uma nova tragédia.

 

Dia 05, sábado, 18h

UM BURRO NUMA ALDEIA BRÂMANE | DONKEY IN A BRAHMIN VILLAGE
Agraharathil Kazhutai, Índia, 1977, 96′, 14 anos
De John Abraham
Com M.B. Srinivasan, Swathi, Srilalitha

Um professor decide adotar um pequeno burro órfão. Diante de gozações de colegas e alunos, ele o leva para sua aldeia Brâmane natal e contrata uma garota cega para cuidar dele. Em meio à superstição e religiosidade da população local, o burro é considerado ora maldito, ora milagroso, provocando inúmeras consequências.

 

Dia 05, sábado, 20h10

VOLTE, ÁFRICA | COME BACK, ÁFRICA
Come Back, África, África do Sul, 1959, 86′, 16 anos
De Lionel Rogosin

O zulu Zachariah chega a Joanesburgo vindo de sua aldeia em busca de trabalho para alimentar sua família. Na cidade grande, ele se depara com a opressão e a injustiça impostas aos negros pelo regime Apartheid, enquanto passa por diversos empregos e trava relações com outras pessoas na mesma situação. Prêmio Pasinetti no Festival de Veneza 1959.

 

Dia 06, domingo, 18h

FRAGMENTO DE UM IMPÉRIO | FRAGMENT OF AN EMPIRE
Oblomok Imperii, Rússia, 1929, 109′, 14 anos
De Fridrikh Ermler
Com Fyodor Nikitin, Lyudmila Semyonova, Valeri Solovtsov

Na Primeira Guerra Mundial, um soldado czarista sofre um choque que o faz perder a memória. Mais de dez anos depois, ele finalmente se recupera da amnésia e parte em busca de sua antiga esposa. Entretanto, ao retornar a São Petersburgo – agora Leningrado – ele descobre como as radicais mudanças da Revolução Russa afetaram não apenas a sociedade, mas também sua antiga vida, incluindo seu trabalho e casamento.

 

Dia 06, domingo, 20h20

ELES NÃO USAM BLACK-TIE
Brasil, 1981, 120′, 14 anos
De Leon Hirszman
Com Gianfrancesco Guarnieri, Fernanda Montenegro e Carlos Alberto Riccelli

O jovem operário Tião namora Maria e sonha com uma vida melhor para o casal. Ambos trabalham numa fábrica na qual uma greve está prestes a estourar. O posicionamento em relação à greve vai opor Tião e seu pai, Otávio, líder sindical veterano, gerando um conflito em sua família e, até mesmo, em seu relacionamento com Maria. Prêmio Especial do Júri e Prêmio da Crítica no Festival de Veneza 1981, Prêmio Coral no Festival de Havana 1981 e outros sete prêmios internacionais.

 

Dia 07, segunda, 18h

TOLOS | FOOLS
Fools, África do Sul, 1997, 90′, 16 anos
De Ramadan Suleman
Com Patrick Shai, Dambisa Kente, Hlomla Dandala

Em 1989, antes da libertação de Nelson Mandela, o jovem Zani retorna a sua cidade natal após completar os estudos e confronta o professor de meia-idade Zamani, que havia estuprado sua irmã. Os protestos do idealista Zani contra o regime Apartheid fazem Zamani refletir sobre o conforto e o vazio de sua vida e carreira em conivência com a opressão do regime. Prêmio do Júri no Festival de Locarno 1997. 

 

Dia 07, segunda, 20h10

A DEUSA | THE GODDESS
Shénnǚ, China, 1934, 85′, 16 anos
De Yonggang Wu
Com Lingyu Ruan e Zhizhi Zhang

Uma jovem mãe solteira é obrigada a se prostituir nas ruas de Xangai e para escapar da polícia, acaba se tornando refém de um violento cafetão. Ela suporta todo tipo de provação e economiza dinheiro secretamente para dar uma boa educação para seu filho. Mas sua vida noturna ameaça esse sonho.

 

Dia 08, terça, 20h

A TENDA DO CIRCO | THE CIRCUS TENT
Thampu, Índia, 1978, 130′, 12 anos
De Govindan Aravindan
Com Gopi, Venu, Sriraman e Jalaja

O filme acompanha a chegada, a instalação, os espetáculos e, ao fim, a partida de um circo em uma pequena cidade no sul da Índia. Pequenas histórias envolvendo vários personagens, da companhia mambembe e da cidade, se desenrolam tendo o circo como fio condutor.

Categorias: Centro de Artes UFF

Era uma vez um tirano

sex, 27/09/2019 - 11:22

11ª Mostra de Teatro Infantil de Niterói

Nos dias 19 e 20 de outubro, o Teatro da UFF recebe os espetáculos infantis Memórias de um pequeno grande príncipe e Era uma vez um tirano, respectivamente. Os espetáculos fazem parte da 11ª Mostra de Teatro Infantil de Niterói, realizada pela Associação dos Trabalhadores em Artes Cênicas de Niterói – ATACEN, e foram selecionadas por meio de chamada pública.

Realizada no período de 12 a 27 de outubro de 2019, a Mostra é dividida em duas categorias: Mostra Palco e Mostra Alternativa, ocupando vários espaços da cidade de Niterói, incluindo o Teatro da UFF. Todas as apresentações são gratuitas.

Era uma vez um Tirano

Em 2017, a peça Era uma vez um Tirano, de Ana Maria Machado, completou 35 anos de publicação sem nunca ter sido adaptada para teatro no Brasil. O clássico da literatura infanto-juvenil brasileira narra a história de um lugar feliz e colorido, não se sabe se aqui pertinho ou muito longe, cujo povo perde sua liberdade a partir do momento em que um ditador toma o poder. Após um longo tempo cinzento, caracterizado por mandos e desmandos por parte do Tirano, três crianças se conhecem e, com um arco-íris no bolso, uma canção no corpo e uma chuvarada de estrelas, resolvem contagiar a população na tentativa de pôr fim àquele tempo de tristeza.

Com adaptação de Vinicius Baião, a Cia Cerne apresenta a primeira montagem de Era uma vez um Tirano, no Brasil e pretende, além de homenagear sua autora, fomentar a discussão sobre as possibilidades de um fazer teatral direcionado a crianças e adolescentes que toque, de maneira lúdica, em questões sociopolíticas.

De Ana Maria Machado
Adaptação e Direção – Vinicius Baião
Com Cesário Candhí, Gabriela Estolano, Higor Nery, Juliana França, Leandro Fazolla e Mariana Amaral

20 de outubro de 2019
Domingo | 16h
Teatro da UFF
Rua Miguel de Frias 9, Icaraí, Niterói
Entrada Franca
Classificação etária: Livre

Categorias: Centro de Artes UFF

Memórias de um pequeno grande príncipe

sex, 27/09/2019 - 11:10

11ª Mostra de Teatro Infantil de Niterói

Nos dias 19 e 20 de outubro, o Teatro da UFF recebe os espetáculos infantis Memórias de um pequeno grande príncipe e Era uma vez um tirano, respectivamente. Os espetáculos fazem parte da 11ª Mostra de Teatro Infantil de Niterói, realizada pela Associação dos Trabalhadores em Artes Cênicas de Niterói – ATACEN, e foram selecionadas por meio de chamada pública.

Realizada no período de 12 a 27 de outubro de 2019, a Mostra é dividida em duas categorias: Mostra Palco e Mostra Alternativa, ocupando vários espaços da cidade de Niterói, incluindo o Teatro da UFF. Todas as apresentações são gratuitas.

Memórias de um pequeno grande príncipe

A Artecorpo Teatro e Cia traz à cena uma livre adaptação do livro “O Pequeno Príncipe”, de Antoine Saint Exupèry. Nesta releitura, os atores pesquisaram as técnicas do teatro de animação para dar vida ao protagonista, um boneco articulado com 75 cm de altura. Ele surge a partir do instante em que um avião cai no deserto. O aviador é um homem sisudo, estressado, e era preciso um choque para organizar seus pensamentos. Com isso, sua memória traz à tona os personagens simbólicos de sua vida: a Rosa, simbolizando o amor e suas dificuldades de compreensão; a Serpente, a superioridade de um ser divino; a Raposa, a amizade, o cuidado, o carinho, que surge por meio de gestos, e não de palavras; o Guarda Chaves, o caos da população; e o próprio Pequeno Príncipe, o menino que havia dentro do aviador e que estava adormecido. Essa proposta torna a história uma análise psicológica da vida do aviador, passando por momentos amorosos, divinos, de compreensão de quem ele é, e para onde vai. Além desses personagens, o Pequeno Príncipe viaja “pelo universo”, na intenção de encontrar seu lugar. Esbarra, pelo caminho, com diversas criaturas que não lhe agradam. Estes personagens serão retratados através de três técnicas teatrais que se unificam para provocar surpresa, estranhamento e reflexão: a animação das malas, a sombra e as máscaras. 

Categorias: Centro de Artes UFF

OSN Cine – Ganga Bruta

qui, 26/09/2019 - 16:40

A Orquestra Sinfônica Nacional UFF apresenta no dia 4 de outubro, às 19h, e nos dias 5 e 6 de outubro, às 10h30, no Cine Arte UFF, a série OSN Cine. As exibições fazem parte da programação do 4º Festival de Cinema do BRICS, que reúne produções e atividades voltadas para o cinema dos membros do grupo BRICS – Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. O filme Ganga Bruta será exibido com execução da trilha sonora ao vivo pela OSN UFF. O regente convidado Thiago Santos comandará a Orquestra nestas apresentações que contarão com composições de Radamés Gnattali (1906 – 1988).  

A série OSN Cine une duas formas de arte distintas, mas que se complementam de forma ímpar: a música e o cinema. Ambas encontraram na cultura brasileira o terreno fértil e propício para o surgimento de grandes artistas. Dois deles estarão em evidência no OSN Cine deste ano: um dos maiores cineastas brasileiros, Humberto Mauro, idealizador do mais significativo ciclo regional de nosso cinema, inspiração de Glauber Rocha e do Cinema Novo; e Radamés Gnattali, um dos mais profícuos arranjadores brasileiros de todos os tempos, artista de destaque tanto na música popular quanto na música erudita.

Nesta exibição especial do filme Ganga Bruta, obra de 1933, com direção de Humberto Mauro e trilha de Gnattali, o público poderá conferir a junção do trabalho destes dois grandes nomes. A plateia também será contemplada com a presença do maestro Thiago Santos, um dos principais nomes da nova geração de regentes brasileiros.

 

Ficha técnica:

Ganga Bruta
Brasil, 1933, 82′, 14 anos
De Humberto Mauro
Com Déa Selva, Durval Bellini, Lu Marival e Décio Murilo

Em sua noite de núpcias, Marcos mata a esposa ao descobrir que ela não era virgem. O escândalo repercute, mas ele é absolvido. Muda-se para Guaraíba, onde dirige as construções de uma fábrica, auxiliado por Décio, que vive com sua mãe paralítica, e Sônia, sua irmã de criação. Sônia se interessa por Marcos, mas Décio, que a ama platonicamente, teme que algo aconteça entre os dois. Marcos ainda vive atormentado pelas recordações de seu noivado com a esposa que assassinara. Um retrato da vida brasileira nos anos 1930, onde predominam a sensualidade, a repressão sexual e a violência urbana.

 

BRICS

O 4º Festival de Cinema do BRICS reúne produções e atividades voltadas para o cinema dos membros do grupo BRICS – Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul –, com edições anuais intercaladas entre os cinco países.

Em 2019, o Brasil sedia o BRICS, e Niterói foi a cidade escolhida para acolher, entre os dias 23 de setembro e 9 de outubro, a quarta edição do festival. O evento é realizado pelo Departamento de Cinema e Vídeo da Universidade Federal Fluminense (UFF), com a cooperação da prefeitura de Niterói, apoio institucional da Ancine e patrocínio da Secretaria Especial de Cultura, do Ministério da Cidadania.

A 4ª edição do Festival de Cinema do BRICS busca valorizar o passado, o presente e o futuro do cinema, com ações voltadas para a história cinematográfica dos países membros do bloco e para dar espaço para novos talentos do audiovisual. O evento conta com diversas atividades, cursos e mostras, todos abertos ao público. Além disso, a 4ª edição evidencia a importância da universidade pública na formação audiovisual no Brasil e a sua participação na produção e manutenção de acervos audiovisuais.

Nota de programa

Se Ganga Bruta (1933) marca o cinema nacional como um dos mais importantes filmes brasileiros de todos os tempos, para o jovem Radamés Gnattali (1906-1988) é o início de sua atividade como compositor de trilhas sonoras – nos 50 anos seguintes, escreveu música para mais de 35 filmes incluindo Rio 40 Graus (1955), O Homem do Sputnik (1959) e Eles Não Usam Black-tie (1981). Como o longa de Humberto Mauro surgiu na transição do cinema silencioso para o falado, a trilha essencialmente orquestral de Gnattali cumpre papel fundamental no desenrolar da trama, numa espécie de tradução musical da narrativa. Ao longo do filme, uma variedade de gêneros e estilos musicais caracterizam e conceituam personagens, sentimentos e locações. Como traço marcante da produção de Radamés Gnattali, sua fácil circulação entre a música de concerto e a música popular nos faz ouvir em Ganga Bruta seresta, maxixe, batuque, valsa, inserções de trechos da Abertura 1812 de Tchaikovsky além de canções românticas – incluindo Teus Olhos, Água Parada, concebida como leitmotiv do casal protagonista – e a marchinha de carnaval Ta-Hí, grande sucesso nos anos 1930 na voz de Carmen Miranda.

Radamés Gnattali

Radamés Gnattali nasceu em 1906, em Porto Alegre. Foi um compositor, arranjador, maestro, pianista e violista. Filho de dois apaixonados por música, recebeu aulas de piano dadas pela mãe, lições de violino com a prima, além da influência do pai que era músico. Se forma pianista pelo Instituto de Belas Artes de Porto Alegre aos 18 anos de idade.

Por 4 anos, toca Viola no quarteto de cordas Henrique Oswald. Em fins de 1920, se muda para o Rio de Janeiro, onde se torna integrante do quarteto Hotel Central. Em 1930, apresenta as suas primeiras composições, todas elas de repertório erudito. À música popular, ele apenas vai se aproximar em 1932, em virtude da necessidade financeira de subsistência. Muitos de seus trabalhos nessa época são realizados sob o pseudônimo Vero, em uma tentativa de encobrimento de seu repertório popular. Sua carreira cresce conectada à música popular. Seus arranjos se tornam muito cobiçados. Cria a Orquestra Carioca, primeira rádio dedicada exclusivamente à música brasileira. Em 1943, surge a Orquestra Brasileira de Radamés Gnattali, com a intenção de levar uma brasilidade maior às orquestrações. 

Após o fim das orquestras radiofônicas (pelo advento da televisão), seu trabalho retoma um foco maior novamente para a música erudita, além de ser maestro e arranjador em algumas TVs.

Em janeiro de 1983, recebeu um Prêmio Shell na categoria de música erudita. Um dos maiores responsáveis pela diluição das fronteiras entre erudito e popular no Brasil, ele morreu em 1988, no Rio de Janeiro, tendo composto em sua vida a trilha sonora de mais de 35 filmes. 

 

Thiago Santos – Regente convidado

Thiago Santos tem sido apontado como um dos mais promissores jovens regentes brasileiros da atualidade. Após atuar como maestro assistente da BBC Philharmonic e da Royal Liverpool Philharmonic, na Inglaterra (2014-2016), retornou ao Brasil e desde então tem dirigido regularmente diversas orquestras pelo país, dentre elas: a Sinfônica Nacional-UFF, Sinfônica da UFRJ, Sinfônica de Sergipe e Sinfônica Jovem de Goiás.

Também trabalhou com a Filarmônica de Minas Gerais, Sinfônica de Porto Alegre e Sinfônica de São José dos Campos.

Por duas temporadas (2017 e 2018), foi maestro titular e diretor artístico da Orquestra Sinfônica da Universidade Federal da Paraíba, sendo reconhecido por importante expansão artística do grupo e sua consolidação no cenário orquestral nacional. Foi o primeiro latino-americano contemplado com a bolsa de estudos Leverhulme Arts Scholar para o renomado programa de regência orquestral do Royal Northern College of Music, em Manchester (Inglaterra).

4 a 6 de outubro de 2019
Sexta | 19h, sábado e domingo | 10h30
Cine Arte UFF
Rua Miguel de Frias 9, Icaraí, Niterói
Ingressos – Sexta: R$30,00 (inteira) e 15,00 (meia).
Sábado e domingo: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia)
Classificação etária: 14 anos

Categorias: Centro de Artes UFF

Projeto Vital para o Brasil

qui, 26/09/2019 - 15:33

Curadoria: Eduardo Monteiro

ALEJANDRO ALDANA violino    ÉRIKA RIBEIRO piano

LUDWIG VAN  BEETHOVEN (1870-1927)
Sonata para violino e piano n. 5 em Fá maior, op. 24, “Primavera”
Allegro
Adagio molto espressivo
Scherzo. Allegro molto – Trio
Rondo. Allegro ma non troppo

ROBERT  SCHUMANN (1810-1856)
Sonata para violino e piano n. 1, em lá menor, op. 105
Mit leidenschaftlichem Ausdruck
Allegretto
Lebhaft

MANUEL DE FALLA (1876-1946)
Sete canções populares Espanholas
El paño moruno
Seguidilla murciana
Asturiana
Jota
Nana
Canción
Polo

13 de outubro de 2019
Domingo | 10h30
Cine Arte UFF
Rua Miguel de Frias, 9 – Icaraí, Niterói
Ingressos: R$ 20 | R$ 10 (meia)

Categorias: Centro de Artes UFF

A MÚSICA DO TEMPO – DO SONHO DO IMPÉRIO AO IMPÉRIO DO SONHO

seg, 23/09/2019 - 17:28

Brasil, 2017, 97’, livre
De João Velho

Documentário musical produzido e idealizado pela equipe do Centro de Artes UFF e protagonizado pelo Conjunto Música Antiga da UFF. O fio condutor são os mitos em torno do Quinto Império e do Sebastianismo, desde suas origens na corte portuguesa, nos séculos XV e XVI, até o culto ao Rei Sebastião na religião afro-maranhense Tambor de Mina, encontrada principalmente no Maranhão.

Categorias: Centro de Artes UFF

PANORAMA DA 3ª MOSTRA DO FILME MARGINAL

seg, 23/09/2019 - 17:19

Por meio de uma parceria entre o cineclube Sala Escura, do Departamento de Cinema e Vídeo da UFF, e a Mostra do Filme Marginal, a sessão apresenta seis curtas-metragens realizados entre 2017 e 2019. Após a exibição, haverá debate com as realizadoras e os realizadores dos filmes. A sessão é um recorte da 3ª Mostra do Filme Marginal, que aconteceu no Rio de Janeiro entre 14 e 22 de setembro de 2019.

 

MANGA COM LEITE
Brasil, 2019, 9’ | De Nathali de Deus

Manga com leite é uma história de busca à ancestralidade que parte do olhar de uma criança. Diara é uma menina de 10 anos que tem a companhia de uma árvore antiga em seu quintal, que irá lhe ensinar qual o significado de resistência.  

COROAÇÃO
Brasil, 2019, 9’
De Juciara Áwô e Luana Arah, com Mariana Maia, Rubens Barbot, Sonia Regina

A performer Mariana Maia transita seu corpo pela cidade numa narrativa sensorial que envolve a relação da água na sua ancestralidade enquanto mulher preta.

 

REBENTO
Brasil, 2019, 17’
De Vinicius Eliziário, com Jessica Duarte, Juliete Nascimento, Pedro Riccardo, Gabriel Piedade, João Pedro

Zói, ao saber da gravidez de sua namorada, desata em si sentimentos suspensos. Pedro só queria terminar o desenho de sua família.

 

EU PRECISO DESTAS PALAVRAS ESCRITA
Brasil, 2017, 19’
De Milena Manfredini e Raquel Fernandes, com Luciano Quirino

O passado de Arthur Bispo do Rosario é praticamente desconhecido. Sabe-se apenas que era negro, marinheiro e pugilista. Em 1938 é internado na Colônia Juliano Moreira após um delírio místico. Com diagnóstico de esquizofrenia paranoide, é iniciada sua peregrinação em busca do divino e da catalogação do universo.

 

EU NÃO NASCI PRA SER DISCRETA
Brasil, 2018, 15’ | De Alek Lean

Jovens descendentes de negros, japoneses, índios e judeus falam como é difícil ser afeminado num mundo machista até mesmo no meio LGBTQ, onde há certa exigência em ser discreto para poder se relacionar afetivamente e ter uma boa convivência na sociedade em geral.

 

MARAKÁ’NÀ
Brasil, 2019, 21’ | De Grupo Popular Pesquisa em Ação

Esta é uma história semelhante a muitas lutas em todo o Brasil, contra os megaeventos e o modelo de desenvolvimento imposto de cima. Este filme usa testemunhos dos protagonistas e imagens históricas para relatar toda a violência e abusos que ocorreram devido à Copa do Mundo de 2014. Ao redor do estádio do Maracanã, levantaram-se diferentes lutas: aquele do movimento social “Não vai ter copa”, a resistência indígena da Aldeia Marakana, contra a remoção da Favela do Metrô Mangueira e da escola Municipal Friedenreich.

Categorias: Centro de Artes UFF

Fora deste mundo

seg, 23/09/2019 - 11:06

Lucas Toledo é ator formado em Artes Cênicas pela CAL (Casa de Artes de Laranjeiras) e é ilusionista profissional há 12 anos, já tendo se exibido em todo o Brasil e, pela primeira vez, se apresenta em um grande teatro na cidade de Niterói. Como ilusionista já se apresentou em teatros, casas de espetáculos, e em eventos em cidades do Rio Grande do Sul, São Paulo, Minas Gerais, Amapá, Santa Catarina, Espírito Santo, Pará, Rio de Janeiro e, também, em cidades da Argentina. Fez shows para empresas como Vivo, Natura, Globo, Sky, SESC e AMBEV, entre outras. Foi ainda o idealizador e professor do Curso de Mágica da CAL, no Rio de Janeiro. Como ator, participou dos espetáculos: Bailei na curva, com direção de Antonio de Bonis, Delicioso lugar, direção de Marcelo Morato, Don Juan, direção de Adriana Maia, e Marca Registrada, com direção de Menelick de Carvalho.

Em Fora deste mundo, ele une o ilusionismo e teatro, apresentando um show bem diferente de tudo o que o público está acostumado a ver em espetáculos de mágica, tanto na TV quanto em teatro.

Fora deste mundo é um espetáculo de mágicas para toda a família! O público irá participar de experiências inexplicáveis como aparições, desaparições, previsões impossíveis, leituras de pensamento, transformações e muito mais. Segundo ele, “o impossível acontecerá diante dos olhos de todos”! É ver para crer!

Ficha técnica

Elenco: Lucas Toledo
Direção: Lucas Toledo
Produção: Fernanda Guerreiro
Iluminação: Raphael Cesar Grampolla
Operador de Som: João Victor Pascale

12 e 13 de outubro de 2019
Sábado e domingo | 16h
Teatro da UFF
Rua Miguel de Frias 9, Icaraí, Niterói
Ingressos – R$40,00 (inteira) e R$20,00 (meia)
Classificação etária: Livre

Categorias: Centro de Artes UFF

Gentil Gentileza

seg, 23/09/2019 - 11:01

Glorinha e Renato interpretam dois personagens chamados Gentil e Gentileza, os quais levam, em suas narrativas, exatamente o que seus nomes significam.

O Gentil e a Gentileza, sempre bem vindos em todas as circunstâncias da vida, podem e devem ser exemplificadas para o público infantojuvenil e adulto por meio da música. O espetáculo apresenta canções muito queridas do público da dupla Glorinha e Renato, além de músicas inéditas que serão lançadas durante o show. Entre elas estão Pacha Mama, que promove uma dança circular no palco, Oxalá – O mantra, que fala sobre o namorar a vida para realizar os sonhos, de Glorinha, e Xote da bagunça, de Renato, com seu trava-língua dificílimo. Sucessos como Chocolocco e Golfinho, entre outros, também estarão presentes.

O perfil de todos os shows dessa dupla, sempre irreverente, é acolhedor e interativo, e a conversa entre músicos e plateia está sempre presente. O show acontece por meio da interação de todos, pois a plateia também faz parte do show.

Sobre Glorinha e Renato

Glorinha é carioca, instrumentista de violão e ukulele, cantora, compositora, produtora musical, atriz, escritora, com formação em Psicologia e Ciências Sociais. Seu parceiro, o niteroiense Renato, é pianista, cantor, compositor, ator, arranjador, escritor, produtor musical e com formação em Ciências Biológicas. Juntos, formam a dupla Glorinha e Renato em seu trabalho musical infantil.

Dias 26 e 27 de outubro de 2019
Sábado e domingo | 16h
Teatro da UFF
Rua Miguel de Frias 9, Icaraí, Niterói
Ingressos – R$40,00 (inteira) e R$20,00 (meia)
Classificação etária: Livre

Categorias: Centro de Artes UFF

Agnaldo Rayol – A alma do Brasil

seg, 23/09/2019 - 10:57

O premiado musical Agnaldo Rayol – A alma do Brasil apresenta grandes sucessos do cantor que dá nome ao espetáculo e canções que marcaram várias gerações como Fascinação, Se todos fossem iguais a você, A praia, Mia Gioconda, entre outros sucessos. O espetáculo revisita o cancioneiro popular de outras décadas, contando e cantando a trajetória de Agnaldo Rayol, nos palcos, na vida e ao redor do Brasil. Constitui assim um mosaico sonoro, visual e musical de uma época, que retrata, recria e rende homenagem ao personagem título do espetáculo.

Na interpretação do ator e cantor Marcelo Nogueira, acompanhado por um trio de baixo, bateria e piano, Agnaldo Rayol ganha vida, diante do público. O espetáculo, em formato de monólogo musical, mostra as origens, o apogeu e a sensibilidade desse ícone da música brasileira, cumprindo o importante papel de resgatar e imortalizar parte fundamental da formação cultural da história do nosso país. Até hoje, Agnaldo Rayol é uma referência da Cultura Popular Brasileira mundo afora, a síntese da voz nacional. E não só pelo seu grande talento, mas também pela extraordinária maneira de interpretar canções que influenciam gerações atuais.

O espetáculo vem tendo grande sucesso de público e crítica, permitindo a Marcelo Nogueira a indicação como Melhor Ator de Musical aos Prêmios: Bibi Ferreira 2018, Broadway World Brazil Awards 2018 e Prêmio CESGRANRIO 2015, além de mais 12 indicações a outras premiações. 

Marcelo Nogueira – É cantor, ator e músico carioca. Nascido em 02 de agosto de 1975. Começou a carreira aos 16 anos como pianista e vocal da Banda Foco Real, que misturava o estilo soul music com o samba-rock de Jorge Ben. De lá para cá, seguiu sua carreira produzindo e atuando no mercado musical brasileiro. Em 2014, estreou no papel-título do espetáculo Agnaldo Rayol – A alma do Brasil. No ano seguinte, gravou o DVD Agnaldo Rayol – Concerto de Natal, cantando com Agnaldo Rayol o dueto Creio em Ti, versão de I believe, que foi sucesso na voz de Elvis Presley, também ao lado de Daniel e Ronnie Von. Participou do show Você e Eu – 2 na bossa. Cantou no show Benção, Baden. Abrindo o festival Toda essa bossa, ao lado de Ithamara Koorax, entre outras excelentes cantoras. Protagonizou o compositor Chopin em Chopin e Sand – Romance sem palavras, de Walter Daguerre, recebendo dois prêmios por sua atuação neste espetáculo. Participou do musical Grande Circo Místico, de Chico Buarque e Edu Lobo, onde interpretou a célebre canção A bela e a fera, que foi sucesso, anteriormente, na voz de Tim Maia. O espetáculo teve a direção de João Fonseca e ganhou várias indicações e Prêmios. Marcelo também integrou o elenco do espetáculo Rock in Rio – O musical, de Rodrigo Nogueira, passando pelo Rio e São Paulo. Na sequência, produziu e atuou na opereta A noiva do condutor, de Noel Rosa, com o público lotando as sessões todos os dias. Agora, circula em turnê com os shows: Nunca pare de sonhar, celebrando o compositor Gonzaguinha. Recentemente, integrou o elenco da versão brasileira do aclamado musical da Broadway Billy Elliot – O musical, e realizou o espetáculo O Príncipe Poeira e a flor da cor do coração, no Centro Cultural Oi Futuro.

 

Críticas

“Marcelo Nogueira – a voz mais potente dos musicais cariocas”. (Marcelo Aouila – Aouila no Teatro)

“Divertido e encantador tributo […], Marcelo Nogueira exibe voz maravilhosa e convence plenamente nas passagens faladas, proferindo as palavras de forma irresistivelmente charmosa e encantadora”. (Lionel Fischer – Crítico e professor de teatro) 

 “Marcelo Nogueira merece aplausos pela construção de seu personagem. Agnaldo Rayol – A alma do Brasil faz um delicioso passeio pelas canções que marcaram a carreira do cantor”. (Backstage musical)

“O aplauso maior é merecidamente de Marcelo Nogueira, um tenor de primeira grandeza […]. Não só pela voz potente e firme, ou pela afinação perfeita, Nogueira enfrenta o desafio de construir o personagem e mantê-lo firme na proposta do texto e da direção”. (Rodrigo Monteiro)

“O coração cintilante do espetáculo é Marcelo Nogueira. O atento intérprete constrói seu personagem com filigranas detalhadas, sutilezas, piscadelas, impostações vocais, pequenos gestos e olhares delicados. Sua atuação como Agnaldo Rayol é uma amorosa reverência de um talentoso jovem ator a um grande ídolo da história das nossas artes”. (Fabiano Gonçalves – Movimento.Com)

Ficha técnica
Com: Marcelo Nogueira
Direção: Roberto Bomtempo
Texto: Fátima Valença
Iluminação: Brisa Lima
Dir. Musical, arranjos e piano: Roberto Bahal
Desenho de som: Marcelo MDM
Operação de luz: Thainá Dutra
Operação de som: Otto
Operação de vídeo: Pedro Waddington
Direção Produção: Sandro Rabello
Realização: Arte Mestra e Diga Sim Produções

04 a 13 de outubro de 2019
Sextas, sábados e domingos, às 19h
Teatro da UFF
Rua Miguel de Frias 9, Icaraí, Niterói, Rio de Janeiro
Ingressos – R$50 (inteira) e R$25 (meia)
Classificação indicativa – livre

Categorias: Centro de Artes UFF

Páginas