Ações do GT CEPEx e o contexto da implementação das atividades acadêmicas emergenciais na UFF

Print Friendly, PDF & Email

Ao longo do atual período de distanciamento social, a Universidade Federal Fluminense continua mantendo suas atividades junto à comunidade acadêmica. Desde o incentivo à mobilização dos diversos laboratórios, grupos de pesquisa e ações extensionistas em seus campi, até a produção de insumos, desenvolvimento de tecnologias e ações de educação, cultura e solidariedade para a comunidade em geral, no combate ao vírus SARS-CoV-2, a UFF vem mantendo seu papel institucional de centro aglutinador de ensino, pesquisa e extensão.

Dada a persistente incerteza quanto à retomada das atividades presenciais, a UFF foi instada a montar uma nova organização institucional para enfrentar os complexos desafios da atual conjuntura. Na qualidade de um desses organismos, o GT CEPEX, desde a sessão do Conselho que o constituiu, no dia 20/05, assumiu a tarefa de produzir, visando o mais curto prazo, o desenho normativo das Atividades Acadêmicas Emergenciais (ACE), para tanto sendo incumbido da revisão da minuta então apresentada para debate pela PROGRAD.

No último dia 12 de junho, o Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPEx) aprovou as Resoluções que disciplinam as ACE para prováveis concluintes de graduação, o funcionamento dos cursos de pós-graduação stricto e lato sensu e a dinâmica das atividades de extensão. A vigência de tais normas compreenderá, em caráter excepcional, o período de distanciamento social recomendado pelas autoridades sanitárias. A aprovação de tais Resoluções na reunião extraordinária do Conselho concluiu, assim, a primeira etapa do trabalho do GT CEPEx, constituído com vistas a conceber alternativas de planejamento acadêmico durante o período de recesso imposto pela pandemia ao cotidiano universitário.

O processo de revisão envolveu a concentração de esforços dos membros do Grupo de Trabalho, e a publicação de uma primeira minuta da nova Resolução provocou a mobilização da comunidade universitária, dando início a fóruns de debates, reuniões, consultas e à formulação de contrapropostas, cujo teor foi encaminhado ao GT CEPEx também através do canal aberto pelo e-mail institucional <gt.cepex@id.uff.br>, que totalizou a contribuição de 75 mensagens. O texto enfim apresentado para exame pelos integrantes do Conselho foi resultado da incorporação de sugestões e observações apresentadas pelos diversos atores da Universidade, fruto dos encontros de colegiados de curso, departamentos de ensino, fóruns de coordenadores, chefias e diretores, conselhos de representação discente e das manifestações de docentes e técnico-administrativos.

Com prazo aberto para o planejamento de oferta das ACE pelos cursos e programas, a nova fase – de consolidação das normativas – destaca o acompanhamento e o suporte institucional às coordenações e departamentos, com o objetivo de detalhar e esclarecer os principais pontos e dispositivos das Resoluções, reforçando-se ao mesmo tempo a autonomia dos cursos no trabalho de desenho dos formatos a serem assumidos pelos componentes disciplinares, consideradas as estratégias de inclusão das ACE. Para esse fim, a PROGRAD publicará, nos próximos dias, as correspondentes Instruções de Serviço.

Agora, o processo de consolidação das novas regras acadêmicas emergenciais passa a correr conjuntamente à abertura de novas temporalidades e novas frentes de atuação na agenda do GT CEPEx, como grupo institucional responsável por propor as diretrizes de planejamento e acompanhamento das ACE durante a pandemia, e construir as estratégias de ensino-aprendizagem e avaliação para o contexto atual e futuro da Universidade. Nessa etapa, ao avançar para a formulação de uma proposta de atividades acadêmicas remotas que alcançará toda a universidade, o GT CEPEx salienta a necessidade de estabelecer um cronograma de ações que supõe a progressiva ampliação do debate com a comunidade universitária, integrantes dos demais GTs institucionais e especialistas que possam contribuir de forma técnica e estratégica, considerando-se os contextos nacional e internacional das políticas educacionais para o ensino superior, e visando a formulação dos cenários futuros a partir dos quais as decisões a respeito do teor das atividades acadêmicas emergenciais poderão ser adotadas. Para tanto, uma medida é central e urgente: a produção de um mapeamento global das condições sociais, de saúde e de trabalho de todos os atores da Universidade, com vistas a perseguirmos a qualidade e a inclusão como princípios básicos da nova proposta das ACE na Universidade Federal Fluminense.

A organização desse trabalho já está em curso, e seu sucesso dependerá da colaboração ativa dos gestores, coordenadores, chefias, docentes em geral, técnicos e estudantes. Os esforços de levantamento de informações da comunidade feitos até aqui pelos diversos cursos e institutos da Universidade irão balizar e refinar a produção do novo instrumento, cujos resultados poderão lançar luz sobre o conjunto de problemas, permitindo-nos encontrar alternativas que, com observância das recomendações sanitárias, expressem o compromisso de toda a comunidade acadêmica com uma sociedade mais igualitária no enfrentamento dos desafios durante e após a pandemia.

Para saber mais sobre este informativo

Estes são os dados de contato do setor da universidade que escreveu este informativo:

Grande área: 

Avalie esta página

CAPTCHA
This question is for testing whether or not you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
A atualização mais recente deste conteúdo foi em 02/07/2020 - 16:45